Entenda o que é manufatura inteligente e saiba como aplicá-la na sua indústria

Quer aprender a implementar a manufatura inteligente na sua indústria? Veja aqui os benefícios e o passo a passo para executá-la.
Atualizado em: 28 de março de 2024
Tempo de leitura: 6 minutos

Com a transformação digital permeando todos os setores de produção, as indústrias de manufatura não poderiam ficar de fora. Hoje, acompanhar a digitalização da indústria é cada vez mais importante para manter a competitividade. Dessa forma, a manufatura inteligente, no contexto da indústria 4.0, não pode ser ignorada. 

No cenário atual, com uso ostensivo de tecnologia na indústria, é possível reduzir os custos, melhorar a eficiência, e oferecer melhores produtos em um tempo reduzido. Isso faz toda a diferença para o negócio, uma vez que a tendência esperada para os próximos anos é de um cenário completamente redesenhado para as indústrias.

Mas, por que a manufatura precisa ser inteligente e quais benefícios ela pode trazer para o seu negócio? Neste artigo, vamos abordar os principais pilares, exemplos de tecnologias e o passo a passo para implementação desse conceito que surge em um contexto de intensa transformação digital. Continue a leitura!

O que é manufatura inteligente?

A manufatura inteligente ou smart manufacturing se refere à revolução nas práticas de fabricação que combinam a inteligência das pessoas com a automação industrial, usando tecnologias de ponta para deixar os processos mais inteligentes e eficientes.

Essas ferramentas tecnológicas tornam o processo mais completo e produtivo, além de melhorar a qualidade dos produtos, reduzir o tempo, fazer manutenções preventivas, aproveitar melhor os recursos e evitar erros.

Na manufatura inteligente, as máquinas trabalham de maneira autônoma e se comunicam entre todos os setores da linha de produção por meio de tecnologias como Internet das Coisas (IoT), robótica e automação. Assim, os dados são compartilhados em tempo real, sendo possível acompanhar cada etapa do processo produtivo e também antecipar os erros, defeitos e outras irregularidades.

A manufatura inteligente visa criar fluxos de trabalho automatizados, com a menor intervenção manual possível. Para tanto, conta-se com o auxílio de robôs e rastreadores para realizar as atividades com o menor período de tempo possível, com redução de custos e maior controle de qualidade.

Como a manufatura inteligente se relaciona com a indústria 4.0?

A indústria 4.0 se diferencia pelo papel central dos dados, impulsionada pela internet e outras fontes de conexão. Além disso, com o rápido avanço digital foi possível o desenvolvimento de diversas tecnologias, como IoT, Big Data, Machine Learning e Inteligência Artificial, Robotic Process Automation (RPA) e outras.

A manufatura inteligente se relaciona à indústria 4.0 na automação e informatização dos processos, o que permite aproveitar os dados coletados e melhorar a produção industrial para criar um processo inteligente, que trará:

  • Mais eficiência nos processos produtivos;
  • Condições melhores de trabalho;
  • Simplificação das etapas;
  • Melhorias na integração entre clientes e parceiros, alinhando as organizações à agenda ESG (Enviromental, Social and Governance), aumentando a rentabilidade.

BAIXE GRÁTIS | Kit Estratégico para Indústrias para uma gestão de processos mais eficiente

Princípios e pilares da manufatura inteligente

Na manufatura inteligente, você vai encontrar diversas tecnologias que auxiliam a automação de processos e diminuem as ações manuais

Nesse contexto, as tecnologias permitem que as máquinas “conversem entre si” para melhorar as operações industriais, gerar informações e conectar diversas etapas na cadeia produtiva. Com isso, torna-se viável desenvolver produtos novos, acelerar a produção, e até melhorar o processo de pós-venda.

Internet of Things (IoT)

Essa tecnologia permite a interconexão entre equipamentos, sensores, máquinas e outros dispositivos. Tais recursos geram uma rede capaz de coletar, compartilhar e analisar dados para melhorar os processos na indústria e fazer a manutenção preditiva eficiente.

A partir da coleta de dados por sensores, como a temperatura, pressão, umidade e outros, é possível processar as informações por softwares e fazer ajustes automáticos para normalizar as condições de trabalho. Esse monitoramento é determinante no processo de tomada de decisões sobre as estratégias do mercado, modelos de negócios e investimentos.

As companhias no Brasil investiram, em 2022, aproximadamente R$8,5 bilhões de reais em IoT, segundo a International Data Corporation (IDC). Esse montante pode alcançar a faixa dos R$11,2 bilhões em 2026, acelerado pela expansão do 5G.

O Checklist Fácil, por exemplo, é um sistema que oferece  a integração com sensores IoT para automatizar medições de parâmetros como temperatura, umidade, desempenho de máquinas e condições de ambientes. Assim, pode-se obter dados em tempo real e receber alertas programados para reduzir erros e executar ações preventivas. 

ACESSE AGORA | Passo a passo para realizar medições automatizadas em processos industriais 

Big Data

A manufatura inteligente usa os métodos de armazenagem, extração e análise provenientes de bancos de dados extensos para otimizar os resultados de produção

Com a tecnologia de Big Data na indústria, é possível analisar em tempo real os dados coletados em uma operação. Além disso, ela consegue interpretar uma grande variedade de informações e analisar dezenas de gigabytes a cada segundo

Quando integrada com IoT por meio dos sensores acoplados no ambiente industrial, como em máquinas, essa tecnologia viabiliza a obtenção der dados sobre o processo de produção, permitindo ajustes e otimizações em setores e processos. Além disso, essa ferramenta pode ser usada para:

  • Calcular os processos com maiores custos;
  • Auxiliar o setor de compras na quantidade de insumos e matérias-primas com base na demanda;
  • Prever a demanda de um produto a cada período.

Robótica avançada

As versões inteligentes dos robôs se comunicam diretamente com os sistemas industriais e podem trabalhar de forma integrada com os humanos na linha de produção. Eles podem aprender a resolver problemas e tomar decisões independentes, graças à capacidade de aprendizagem de máquina.

Além disso, são passíveis de modificar seus comportamentos e atitudes a partir de dados de sensores armazenados no sistema. Esse tipo de robótica é aplicada no chão de fábrica para realizar atividades como empacotamento, carga e descarga, montagem e limpeza.

No Brasil, o que vemos é um mercado com grandes possibilidades de expansão desse recurso, mas que precisa se desenvolver em tecnologia. Prova disso é que, em 2022, o país ocupou o 62º lugar no ranking de 131 países no Índice Geral de Inovação, segundo o estudo publicado pela Organização Mundial de Propriedade Intelectual (Ompi) juntamente com a Universidade de Cornell e o Instituto Europeu de Administração de Empresas (Insead).

Realidade aumentada

A realidade aumentada mescla os dados digitais com o mundo real e proporciona uma experiência mais rica do mundo físico. Sendo assim, é extremamente vantajosa nos casos de manutenção e treinamento. Por exemplo, ela pode fornecer orientações e instruções visuais aos funcionários da linha de montagem, o que reduz os erros e melhora a eficiência das atividades.

Quais os benefícios da manufatura inteligente na indústria?

A indústria 4.0 já é uma realidade no nosso país e a tendência natural é a expansão de manufatura inteligente, pois a transformação digital tem alcançado todos os ramos e serve para tornar as indústrias mais competitivas e entregar produtos com maior qualidade. 

Com o processo de robotização e o deep learning (ou aprendizagem profunda) das máquinas, juntamente com equipamentos e sistemas da cadeia de produção, é possível ter:

  • Diminuição das falhas humanas no processo: produtos com mais qualidade, além de aumentar o rendimento e usar os recursos de forma mais eficiente;
  • Cortes nos gastos com manutenção: com a manutenção preditiva, os problemas de desempenho dos ativos podem ser rapidamente resolvidos, o que diminui os reparos onerosos com equipamentos e paradas na produção;
  • Redução nos custos: com uma maior precisão das previsões a partir do acesso aos dados e análises dos processos, é possível reduzir os desperdícios e  gerenciar os recursos da forma mais adequada;
  • Funcionários mais satisfeitos: além de atrair novos talentos, a tecnologia reduz erros, otimizando processos e diminuindo a quantidade de problemas para resolver, o que, consequentemente, reduz as reclamações dos clientes e proporciona mais satisfação no trabalho;
  • Melhor gerenciamento dos estoques: redução de custos e mais precisão nas compras.

BAIXE GRÁTIS | Modelo POP para Indústrias para padronização de processos 

Como implementar uma jornada de manufatura inteligente?

Como vimos, implementar um processo de manufatura inteligente significa ter processos mais otimizados e custos reduzidos. No entanto, transformar uma empresa e seu processo produtivo envolve tempo e mudança de mentalidade entre os colaboradores.

Mas é preciso entender que, mais cedo ou mais tarde, as empresas terão que se adaptar a um cenário diferente no consumo e na jornada de compra dos clientes, bem como uma mudança no mercado e nas relações entre empresas, trabalhadores, clientes e tecnologias. E isso, inevitavelmente, levará a adaptações na forma de trabalho.

Portanto, para implementar uma jornada de manufatura inteligente, alguns passos precisam ser seguidos, como:

1. Mapear os processos da empresa

Para entender como é o processo da empresa e os seus fluxos, é preciso fazer um levantamento dos processos da organização e os setores envolvidos. Isso vai permitir a configuração correta das máquinas para realizar o trabalho.

2. Levantar os pontos fortes e fracos da cadeia de produção

Saber quais são os pontos fracos e fortes da produção vai mostrar os gargalos que precisam ser consertados para melhorar os resultados. Além disso, nessa etapa, você vai compreender mais sobre o produto, capacidade de atendimento ao público e demandas, além de melhorar as irregularidades dessas áreas com a tecnologia correta.

3. Treine a sua equipe e contrate talentos necessários

Para ter sucesso no uso de tecnologias a fim de aprimorar a cadeia de produção, você precisa de mão de obra qualificada. Por isso, promova um programa de treinamento para o time. Invista também em profissionais qualificados para áreas de análise de dados.

4. Comece com tecnologias acessíveis

Em um primeiro momento, invista em tecnologias mais acessíveis e de custo baixo, como os sensores IoT, computação em nuvem e Big Data. Eles já vão proporcionar insumos suficientes para ajudar a gestão a entender o chão de fábrica e a reduzir custos.

Descubra como o Checklist Fácil colabora com a manufatura inteligente

O Checklist Fácil é um exemplo de tecnologia acessível para padronizar e otimizar os processos industriais. O software permite a centralização de informações coletadas em auditorias, inspeções e checagens, fornecendo uma visão ampla e completa sobre operações industriais. 

Com mais de 150 funcionalidades, a ferramenta oferece os recursos necessários para a eficiência operacional de qualquer indústria, adaptando-se à realidade de cada negócio. Um dos destaques é a integração com sensores IoT (que já mencionamos anteriormente).

Os dispositivos de fácil manuseio e instalação, quando integrados ao Checklist Fácil, realizam medições automáticas para facilitar o controle de qualidade e de performance nas rotinas. Caso alguma anormalidade seja detectada, o sistema notifica os responsáveis e também possibilita a criação de um plano de ação, para garantir que a situação seja revertida. 

Se você quer implementar a manufatura inteligente na sua fábrica, solicite uma demonstração gratuita com o nosso time de especialistas. Não perca tempo e torne a sua empresa mais competitiva!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideal para o seu negócio!

Categorias

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.

25 de Abril | 16h | ao vivo

Boas Práticas
de SST:

Como zerar acidentes e criar processos eficientes de segurança