Como obter sucesso na consultoria de campo? Confira 7 ferramentas que podem ajudar

A consultoria de campo é um recurso muito útil para franquias e empresas com mais de uma unidade. Mas por que ela é tão importância? E mais: quais ferramentas podem ajudar a obter sucesso ao longo dos seus processos? Continue com a gente e descubra.

Tempo de leitura: 6 minutos
Profissional realizando consultoria de campo em uma franquia

A consultoria de campo é um recurso muito utilizado por redes de franquias e empresas que possuem mais de uma filial. Isso porque ela permite promover melhorias na gestão e no controle das unidades.

O responsável por essa atividade, chamado de consultor de campo, é o principal elo entre franqueador e franqueado – ou matriz e unidades. Diferentemente dos supervisores tradicionais, ele não apenas controla a eficácia. Mas também transfere o know how com foco em padronização do serviço e melhoria na qualidade.

Mas afinal, o que é consultoria de campo e quais os seus benefícios? Neste artigo, responderemos essas questões e, ainda, mostraremos ferramentas que podem ajudar a obter sucesso utilizando esse recurso. Vamos lá?

O que é consultoria de campo?

A consultoria de campo é uma inspeção periódica que a rede ou matriz promove em suas unidades. Hoje, ela está entre uma das ferramentas mais eficazes para a promoção de uma gestão uniforme e eficiente.

O seu objetivo não é simplesmente detectar falhas ou modificar processos. Mas sim contribuir para o desenvolvimento de todos. E, desta forma, garantir a qualidade dos produtos oferecidos, fortalecendo a marca em geral.

Através da consultoria de campo, é possível identificar necessidades e dificuldades, por exemplo, propondo ações corretivas. Entre os problemas mais comuns de serem encontrados durante essa análise estão: 

  • Falta de treinamento e capacitação dos profissionais;
  • Realização de ações de marketing desalinhadas;
  • Planejamento estratégico incompleto.

Sabendo dessas informações, realiza-se os ajustes necessários para que, de fato, a empresa consiga atuar de forma alinhada. O que, convenhamos, é benéfico para todos. 

Para que serve a consultoria de campo?

Sua intenção principal é ajudar franqueados e unidades a melhorarem seu market share local e a lucratividade. Junto a isso, visa promover um alinhamento com os valores da marca, para que todos trilhem o mesmo caminho.

Podemos destacar como principais objetivos da consultoria de campo:

  • Aumentar as vendas;
  • Manter a qualidade do serviço oferecido pela franquia;
  • Padronizar o modelo de negócio;
  • Desenvolver a rede e, consequentemente, seus profissionais;
  • Oferecer suporte para melhorar as atividades de rotina;
  • Garantir um padrão operacional e de atendimento;
  • Apoiar para o atingimento dos resultados.

Além disso, através da consultoria de campo, os gestores conseguem visualizar de perto as principais dificuldades. Com isso, podem desenvolver estratégias para superá-las e, principalmente, evitar que afete outras unidades.

É importante destacar que a Lei de Franquias não exige que as redes de franchising ofereçam esse serviço. Entretanto, ela garante tantos benefícios que compensa adotá-lo.

Principais benefícios de contar com uma consultoria de campo

Se você ainda tem dúvidas sobre adotar esse sistema na sua franquia ou empresa, selecionamos algumas das vantagens que ele oferece. São eles:

Identificação de riscos

No momento em que existe um acompanhamento próximo, é possível antever riscos e problemas que possam prejudicar a marca. E, assim, adotar medidas cabíveis para resolvê-los.

Padronização de processos

A padronização de franquias é um dos passos essenciais para o sucesso de uma rede. No caso, é importante que os processos estejam alinhados e sendo seguidos por todos. Com o acompanhamento especializado, é possível detectar falhas e, ao mesmo tempo, corrigi-las rapidamente.

Obtenção de indicadores reais

A consultoria de campo é igualmente vantajosa para a matriz. Afinal, permite que ela obtenha indicadores de todas as suas unidades para realizar uma análise de desempenho mais complexa. 

Direcionamento do suporte

Quando a marca não sabe os problemas pelos quais seus franqueados estão sendo acometidos, não consegue oferecer o suporte adequado. Em contrapartida, esse recurso permite que ela conheça o cenário real, direcionando suas ações de forma adequada. 

Como funciona a consultoria de campo na prática?

Existem 4 etapas consideradas essenciais para que ela seja, de fato, eficiente. São elas:

1. Análise

Essa fase consiste na obtenção de indicadores, que irão facilitar o conhecimento sobre aspectos como:

  • Finanças;
  • Atendimento;
  • Gestão;
  • Comportamento dos profissionais.

Esses e outros temas influenciam diretamente no resultado das unidades e, portanto, no sucesso do negócio. Desta forma, devem ser acompanhados e analisados de perto.

2. Visita presencial

Com os indicadores em mãos, o consultor de campo deve ir até a unidade ou franquia. Nessa visita, ele pode compartilhar os dados apurados e, ainda, entender o dia a dia do negócio.

Esse também é o momento ideal para o franqueado esclarecer dúvidas, expor dificuldades e apresentar conquistas. Tudo isso irá contribuir para seguir para a próxima etapa.

3. Orientação

Passadas as duas etapas acima, é momento de orientar os gestores. No caso, apresentar os pontos que precisam ser corrigidos, especialmente no que tange à estratégia de negócio

Aqui, a intenção deve ser promover melhorias e adequações. E não julgar as ações realizadas.

4. Follow up

Por fim, chegamos a etapa de follow up, ou seja, de acompanhamento de processos. O consultor de campo deve conversar com os demais envolvidos, para avaliar se as metas estipuladas foram cumpridas e se houve algum tipo de dificuldade.

Ainda nesse momento, é possível identificar outras não conformidades. E, a partir disso, já criar novas estratégias para corrigi-las.

7 ferramentas que irão ajudar na consultoria de campo da sua empresa

Agora que você entendeu as etapas desse trabalho, vamos mostrar algumas ferramentas que podem facilitar no dia a dia. Vamos lá!

1. Benchmarking para consultoria de campo

Benchmarking é um processo que consiste em comparar as métricas da empresa com as praticadas pelos seus concorrentes no mercado. As métricas mais tradicionais do benchmarking incluem:

  • Custos de produção;
  • Receita;
  • Tempo do ciclo do processo;
  • Rotatividade de funcionários.

2. Balanced scorecard (BSC)

O balanced scorecard, mais conhecido pela sigla BSC, é uma metodologia de medição e gestão de desempenho. Ele é utilizado para rastrear aspectos importantes da estratégia da empresa. Assim como facilitar a melhoria organizacional ou algum processo de mudança. 

Ele atua em métricas que vão além das tipicamente financeiras. Com isso, ajuda a conduzir as empresas a focar nos objetivos estratégicos de longo prazo. E, ainda, se antecipar aos erros que poderia gerar impactos financeiros.

O scorecard é um conjunto quantitativo e abrangente dos objetivos que podem ser medidos ao longo do tempo. Os componentes mais comuns incluem:

  • Ganhos;
  • Receita;
  • Qualidade;
  • Métricas de satisfação do cliente.

3. Cinco forças de Porter

Desenvolvido por Michael E. Porter, professor da Harvard Business School, as cinco forças de Porter se resumem a uma estrutura para análise de mercado. Ela é utilizada como uma entrada para o planejamento estratégico. 

As cinco forças competitivas que influenciam a rentabilidade em qualquer setor e que estão descritas no modelo de Porter são:

  • O poder de barganha dos fornecedores;
  • O poder de negociação dos compradores;
  • A ameaça de novos players;
  • A ameaça de novas ofertas;
  • Concorrência rival.

4. A matriz das nove caixas de McKinsey

Esta matriz foi concebida pela McKinsey & Company nos anos 70. A intenção era auxiliar a empresa General Electric a dar prioridade aos seus investimentos em suas várias unidades de negócios. 

As unidades de negócios, (aqui no caso chamadas de “oportunidades”) são classificadas como “alto”, “médio” ou “baixo” nos dois eixos da matriz, que são denominados como “atratividade do mercado” e a “força competitiva da unidade de negócios”.

Matriz das nove caixas de McKinsey

Fonte: Ministério da Infraestrutura

5. Matriz BCG 

Esta curiosa matriz desenvolvida pela Boston Consulting Group (BCG), é uma ferramenta utilizada para que as empresas avaliem a força relativa das linhas dos produtos dentro de seus portfólios. 

As linhas de produto são atribuídas a um dos quatro quadrantes:

  • Vacas leiteiras: Baixo investimento e alta lucratividade;
  • Estrelas: Referência de mercado e em equilíbrio com o fluxo de caixa;
  • Pontos de interrogação: Alto investimento e baixo retorno;
  • Cães (ou abacaxis): De difícil recuperação. Deixar de trabalhar com este produto é algo que deve ser considerado.

Matriz BCG da Boston Consulting Group

Fonte: Endeavor Brasil

6. As competências essenciais

O processo de identificação das competências essenciais ajuda a definir o posicionamento do empreendimento e seus diferenciais competitivos. A principal competência deve ser uma habilidade ou atitude que não seja facilmente imitada pelos concorrentes.

Elas permitem entrega valor único para os clientes, dando ao negócio um distanciamento dos concorrentes dentro do mercado. 

Quer um exemplo? A empresa de tecnologia Apple se diferencia pelo atendimento rápido e respostas eficazes. Logo, essa é uma competência que deve ser desenvolvida entre os colaboradores, uma vez que ela não consegue competir por preço.

7. Checklists informatizados na consultoria de campo

Existem várias opções de checklists informatizados que são altamente eficazes na padronização dos serviços. Elas permitem, por exemplo, desenvolver checklists padrões – que devem ser avaliados em todas as visitas realizadas nos franqueados.

As principais vantagens que elas oferecem são:

  • Possibilidade de operar inclusive em plataformas móveis;
  • Serem altamente customizáveis;
  • Contar com a opção de criação de planos de ação específicos.

Os checklists de padronização de franquias são os mais utilizados na consultoria de campo. Eles permitem ao franqueador e ao franqueado terem o pleno controle sobre o que foi estabelecido no contrato.

Eles também ajudam a unificar padrões, desde estéticos até administrativos. O sistema Checklist Fácil, por exemplo, facilita que o consultor se mantenha a par de todos os processos já feitos e os que ainda precisam ser concluídos.

Já utiliza alguma das ferramentas citadas? Possui outra que faz toda a diferença para a consultoria de campo? Então deixe seu comentário e compartilhe sua experiência.

Agora se você não quer depender de conexões de internet para conseguir executar os checklists diários, então você precisa conhecer a Checklist Fácil. Ela está disponível para web, tablets e smartphones, seja com os sistemas Android ou iOS, e pode ser utilizada normalmente sem conexão. Teste agora mesmo!

Jornalista e especialista em Comunicação Empresarial. Sou apaixonada por marketing, escrever, criar e inovar - inclusive nas horas vagas.
Estefânia Martins

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *