Desperdício de alimentos no processo industrial: principais causas e como evitá-las

A indústria alimentícia brasileira enfrenta desafios significativos no combate ao desperdício de alimentos, apesar de sua posição de destaque global. Entenda a importância da gestão eficiente de estoque, a padronização de processos e o papel da tecnologia na resolução desse problema.
Atualizado em: 25 de março de 2024
Tempo de leitura: 9 minutos

O Brasil é um dos maiores produtores da indústria alimentícia mundial, detentor de um ecossistema único, com áreas de preservação, agropecuária, agricultura e produção em alta escala. É reconhecido pela fertilidade e capacidade de produção.

Em contrapartida, também é um dos países que mais contribuem para o desperdício de alimentos. Desperdício este que ocorre em todas as etapas do processo de produção de alimentos (plantio, colheita, armazenamento, distribuição e consumo).

Como um país que consegue produzir tanto, desperdiça na mesma medida? Explicamos neste artigo os impactos do desperdício alimentício na saúde dos negócios no Brasil e como a tecnologia pode ser uma aliada na luta contra o desperdício de alimentos no processo industrial.

O desperdício de alimentos no Brasil

De acordo com uma pesquisa feita pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil é um dos maiores produtores de alimentos do mundo. Em 2022, o país produziu comida suficiente para aproximadamente 1,6 bilhão de pessoas. Uma quantidade muito maior do que a própria população brasileira, estimada em aproximadamente 200 milhões.

Infelizmente, os dados de desperdício de comida não ficam para trás. Uma quantidade estimada em 46 milhões de toneladas de alimentos por ano, o que em porcentagem equivale a 30% do total produzido no país, acaba sendo jogado fora. Esse desperdício equivale a uma perda de R$ 61,3 bilhões de reais por ano.

Segundo a ONU, esses números colocam o Brasil em 10º lugar no ranking de países que mais desperdiçam comida no mundo. Mas o problema de desperdício não está apenas na mesa dos brasileiros, mas sim em toda a cadeia de produção. E os procedimentos dentro da indústria têm grande impacto no resultado desses números.

Impactos da indústria no desperdício de alimentos

A indústria alimentícia tem impacto direto na produção e desperdício de alimentos no Brasil. E o mau gerenciamento desses recursos acontece principalmente antes de chegar às prateleiras do mercado. Dados da FAO, agência da Comissão Europeia especializada em implementar esforços para erradicar a fome, indicam que 14% dos alimentos produzidos mundialmente são perdidos antes mesmo de chegar aos comércios. Segundo a ONU Meio Ambiente, pela parte dos varejistas, o número é estimado em 931 milhões de toneladas de alimentos desperdiçados.

A quantidade de alimentos desperdiçados dentro da indústria, somada às perdas nas residências, estimada em 17% dos alimentos que chegam às prateleiras dos mercados, revelam não apenas um desperdício de dinheiro, mas também de recursos naturais.

Esse desperdício acontece em diferentes etapas do processo de produção e consumo. Na etapa de produção industrial, as causas são diversas.

Quais os tipos de desperdício dentro da indústria?

O desperdício dentro dos domicílios está em torno de 60% das 27 milhões de toneladas desperdiçadas de alimentos, de acordo com a ONU Meio Ambiente. Identificar e entender os tipos de desperdício dentro da indústria é fundamental para auxiliar na sua redução. Os principais tipos de desperdício dentro da indústria alimentícia são:

Desperdício de matéria-prima

A matéria-prima é o recurso em sua forma inicial, por exemplo, uma laranja em sua forma pura seria um alimento com casca. Quando ocorre o desperdício da matéria-prima é porque o alimento não foi utilizado em sua totalidade, nesse caso, desperdiçando a casca e outras partes comestíveis ou que podem ser utilizadas para outros fins, como produção energética ou adubo, como a casca de banana. Na indústria da carne, desperdiçar partes do animal seria um dos desperdícios de matéria-prima.

Desperdício de produtos não conformes

Estes são produtos que não estão dentro do padrão de qualidade exigido. Dessa forma, precisam ser descartados, podendo aumentar os custos dos demais produtos e alimentos.

Data de validade expirada

Alimentos com data de validade vencida são frequentemente descartados, mesmo que ainda estejam seguros para consumo. Quando um produto expira antes da fase de distribuição ou ainda nos mercados, os motivos podem estar relacionados a um mau planejamento de logística. 

Superprodução ou excesso de compra

A produção excessiva, maior do que a demanda do mercado, leva ao desperdício. Nesse caso, a indústria não consegue distribuir a totalidade do produto. Isso também pode acontecer na etapa de venda ou nas casas dos consumidores, quando os produtos estão chegando perto da data de validade e ainda não foram vendidos, ou quando a família compra um produto em excesso sem conseguir finalizar o consumo.

Perdas no transporte e armazenamento

O transporte e armazenamento de alimentos são cruciais na cadeia de suprimentos, mas enfrentam desafios que podem levar a desperdícios. Condições ambientais variáveis durante o transporte, como temperatura e umidade, podem comprometer a qualidade dos alimentos. As perdas de alimentos ao longo do transporte e armazenamento fazer parte de problemas logísticos, assim como atrasos e falta de planejamento.

Práticas de gestão da cadeia de suprimentos, como planejamento de rotas e colaboração com fornecedores, são essenciais para reduzir o desperdício. Minimizar as perdas no transporte e armazenamento requer esforços conjuntos da indústria e partes interessadas, com investimentos em infraestrutura, tecnologia e gestão sustentável.

BAIXE GRÁTIS | Kit Estratégico para Logística e Transporte

O Governo Federal está ciente da situação do país e de como desperdícios como esse podem afetar a economia e a qualidade de vida dos brasileiros. Por isso, houve uma revisão das leis vigentes e também a aprovação de novas leis.

Leis brasileiras para evitar o desperdício de alimentos

Na tentativa de diminuir os desperdícios dentro do setor alimentício, o Governo Federal em 2020 sancionou a Lei n.º 14.016. A lei pretende combater o desperdício de alimentos na indústria alimentícia, permitindo estabelecimentos como lanchonetes, bares, cooperativas, restaurantes e supermercados a doarem alimentos para o consumo humano enquanto continuam em condições positivas para consumo.

As doações são com foco no público em situação de vulnerabilidade e explicam quais os tipos de alimentos podem ser doados.



Para mais esclarecimentos sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia nosso Aviso de Privacidade.

[…] “Art. 1º Os estabelecimentos dedicados à produção e ao fornecimento de alimentos, incluídos alimentos in natura, produtos industrializados e refeições prontas para o consumo, ficam autorizados a doar os excedentes não comercializados e ainda próprios para o consumo humano que atendam aos seguintes critérios:

I – estejam dentro do prazo de validade e nas condições de conservação especificadas pelo fabricante, quando aplicáveis;

II – não tenham comprometida sua integridade e a segurança sanitária, mesmo que haja danos à sua embalagem;”[…]

Como reduzir o desperdício de alimentos na indústria?

A gestão eficiente desses alimentos e resíduos é uma das principais formas de evitar o desperdício desses recursos. Aqui vão algumas formas práticas de como a indústria pode evitar o desperdício de alimentos.

Gestão de estoque

A gestão de estoque exige um acompanhamento constante do estado e armazenamento dos alimentos. É nessa etapa em que a indústria precisa garantir que a qualidade esperada do alimento seja entregue ao final do processo dentro da cadeia de produção.

Para isso, as empresas precisam garantir uma temperatura adequada para os alimentos, fazer o acompanhamento da data de validade e mapear todo o ciclo desse alimento até a etapa de distribuição e uma checagem rotineira de controle desse estoque, garantindo boa quantidade, qualidade e aparência desses alimentos.

Padronização de processos e gestão de qualidade

A padronização, otimização e gestão dos processos dentro da indústria têm impacto direto na qualidade, armazenamento e vida útil dos alimentos. A indústria precisa, nesse caso:

  • Identificar os processos existentes e suas falhas;
  • Identificar no que podem melhorar em cada um desses processos;
  • Definir quais são os objetivos e atividades necessárias em cada etapa da produção;
  • Padronizar esses processos e fazê-los o mais otimizados possível;
  • Identificar possíveis ferramentas e tecnologias para auxiliar dentro desse processo;
  • Organizar o controle de estoque;
  • Verificar equipamentos;
  • Documentar processos de forma clara;
  • Treinar e acompanhar a equipe.

Quando a equipe está ciente de todo o processo e consegue fazer esse acompanhamento de forma ágil, o desperdício de recursos é reduzido e a indústria consegue manter o controle de qualidade em dia.

Gestão de resíduos

A produção de alimentos cria consequentemente resíduos derivados dessa produção, esses recursos podem ser reutilizados em forma de reciclagem, compostagem, criação de energia entre outros. Para isso, as indústrias precisam primeiro entender a quantidade estimada de resíduos produzidos por parte dos alimentos distribuídos, fazer o gerenciamento com o apoio de plataformas tecnológicas dentro da indústria, e também ter um sistema de captação desses resíduos depois da etapa de consumo e distribuição.

Reaproveitamento de sobras

O reaproveitamento de sobras ou descartes é uma das iniciativas que podem estar dentro do processo de gestão de resíduos. Um programa de reaproveitamento das sobras de alimentos pode ser implementado tanto na fase industrial como nos comércios e estabelecimentos que trabalham com alimentos. Os fornecedores da indústria podem participar desse processo de implementação e até ser um dos captadores dessas sobras para o reaproveitamento em processos dentro da cadeia de produção.

Gerenciamento da cadeia de fornecimento

A etapa de distribuição dos fornecedores para os comércios e varejos precisa ser executada com atenção, pois é onde os produtos podem ser perdidos por conta do estado estético e data de validade. Os comerciantes precisam receber os produtos em uma temperatura adequada e em um estado pronto para serem comercializados.

Ter o mapeamento do tempo estimado de entrega, tempo necessário para a locomoção desses alimentos e das exigências do ambiente em que eles precisam ser armazenados é imprescindível. Um checklist para a checagem dessas exigências pode auxiliar nessa etapa e em todas as outras.

BAIXE GRÁTIS | Modelo de Checklist para Prevenção de Perdas no Varejo

A automação como aliada na redução do desperdício na indústria

As ferramentas de automação de processos e otimização desempenham um papel fundamental na redução do desperdício na indústria de alimentos. São elas:

Monitoramento do ambiente (temperatura e umidade)

A indústria precisa ter uma infraestrutura que permita o monitoramento de temperatura e umidade dos alimentos, para garantir que eles estão sendo preservados em condições favoráveis ao seu armazenamento.

Esse monitoramento pode ser automatizado através de sensores IoT. Esse tipo de tecnologia pode ser integrada ao Checklist Fácil para controlar os resultados e identificar não conformidades, criando planos de ação para corrigir os erros.

BAIXE GRÁTIS | Passo a passo para medições automatizadas em processos industriais

Gestão do estoque e atividades de checagem

Ferramentas que possibilitam o acompanhamento de tarefas, como o Checklist Fácil, em que lembretes de tarefas e o acompanhamento são todos acessíveis pela nuvem e automatizados para lembrar os colaboradores, tornam a gestão desses alimentos muito mais fácil e ágil.

Rastreabilidade dos Alimentos e ferramentas de checklist

A rastreabilidade dos alimentos é essencial para acompanhar o trajeto dos produtos desde sua origem até o consumidor final. Por meio de sistemas de automação e ferramentas de checklist, como a Checklist Fácil, é possível registrar detalhes como datas de produção, transporte e armazenamento, além de informações sobre fornecedores e condições de manipulação. Esses registros permitem identificar rapidamente possíveis problemas e implementar medidas corretivas.

A rastreabilidade aumenta a transparência e confiança dos consumidores, que buscam informações precisas sobre a origem e qualidade dos alimentos. Investir em soluções de automação com sistemas de rastreamento e ferramentas de checklist é fundamental para melhorar a qualidade e segurança dos alimentos.

Controle de processos

O acompanhamento de processos e a automação em diferentes áreas da indústria podem ser facilmente alcançados com a ajuda da tecnologia. São ferramentas essenciais na padronização de processos e acompanhamento de tarefas.

LEIA MAIS | O que é controle de processos e como praticá-lo na sua empresa?

Predição de demanda

A predição de demanda é uma forma de analisar dados de venda e determinar qual será a demanda futura pelo mercado. Esse tipo de previsão é fundamental para entender qual a quantidade a indústria precisa produzir e o lucro estimado.

Dessa forma, as empresas podem produzir a quantidade certa para não inflacionar o mercado e evitar o desperdício de alimentos. Softwares de análise de dados também podem auxiliar nesse processo dentro da indústria.

Quais são as tendências na indústria alimentícia?

As perspectivas e tendências futuras da indústria alimentícia e do desperdício de comida no Brasil apontam para uma crescente conscientização e ação para enfrentar esse desafio complexo. Pesquisas sugerem que a busca por soluções tecnológicas e políticas públicas mais eficazes será uma prioridade nos próximos anos.

O estudo já citado, realizado pelo IBGE, indica que o desperdício de alimentos ainda é um problema significativo no país, com uma quantidade estimada em 30% dos alimentos produzidos perdidos anualmente. No entanto, a implementação da Lei n.º 14.016 em 2020, que incentiva a doação de alimentos em boas condições, representa um passo importante na direção certa.

Além disso, há uma crescente adoção de tecnologias na indústria alimentícia para otimizar processos, reduzir o desperdício e melhorar a eficiência. A automação de processos, o uso de sensores IoT para monitorar condições de armazenamento e a análise de dados para prever a demanda são algumas das tendências emergentes.

A conscientização dos consumidores também desempenhará um papel fundamental no futuro, com mais pessoas buscando produtos sustentáveis e empresas com práticas responsáveis em relação ao desperdício de alimentos. A educação e a mudança de comportamento são aspectos-chave para promover uma cultura de redução do desperdício.

Perspectivas futuras indicam um movimento em direção a uma indústria alimentícia mais sustentável e eficiente, com uma redução significativa no desperdício de alimentos por meio de uma combinação de tecnologia, regulamentação e mudanças culturais.

O uso de checklists digitais na redução do desperdício na indústria

A indústria brasileira, mais do que nunca, possui um compromisso de reduzir o desperdício dentro da cadeia de produção. Para isso, o uso de soluções tecnológicas e políticas públicas precisam ser implementadas.

As ferramentas de gestão de qualidade e de gerenciamento de processos, como a Checklist Fácil, são uma das alternativas disponíveis hoje para esse tipo de setor. A Checklist Fácil possui algumas funcionalidades que podem ser de grande auxílio na organização e prevenção de desperdício de alimentos para essas empresas, como:

  • Integração com sensores IoT, que permite a automação de medições de parâmetros como temperatura, umidade, vazão, etc. O sistema possibilita a configuração de gatilhos para que qualquer não conformidade durante as checagens automáticas seja imediatamente notificada aos responsáveis, agilizando correções;
  • Criação de checklists configuráveis conforme as necessidades de cada negócio, com possibilidade de opções de resposta, contestação de itens, dicas para preenchimento, leitura de código de barras ou código QR, etc;
  • Planos de ação criados automaticamente quando alguma não conformidade é identificada no momento da aplicação do checklist. O plano pode ser atribuído ao responsável, com prazo configurado e todas as diretrizes para garantir que a correção será realizada;
  • Agendamento de checklists para que nenhuma atividade deixe de ser realizada na data correta.

A Checklist Fácil é uma solução essencial na gestão da qualidade e no controle eficaz dos processos para evitar desperdícios na indústria. Solicite uma demonstração gratuita!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideal para o seu negócio!

Categorias

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.

25 de Abril | 16h | ao vivo

Boas Práticas
de SST:

Como zerar acidentes e criar processos eficientes de segurança