Conheça os principais pilares e práticas de gestão da indústria farmacêutica

A indústria farmacêutica tem um papel essencial. Uma vez que é responsável pela produção e validação de remédios, vacinas e vitaminas. Neste artigo, você vai conhecer melhor os seus processos e entender como é feita a gestão de diferentes frentes. Acompanhe!
Atualizado em: 31 de janeiro de 2024
Tempo de leitura: 7 minutos

A gestão na indústria farmacêutica é fundamental para garantir a qualidade e segurança dos medicamentos usados nos tratamentos de diversas doenças, distúrbios e outras condições de saúde.

Por isso, acompanhar as mudanças na legislação, manter em dia a auditoria farmacêutica, atualizar o conhecimento da equipe e garantir a conformidade das lojas é essencial para controlar e padronizar o processo produtivo.

Neste artigo, vamos falar sobre a indústria farmacêutica no Brasil e seus 4 principais pilares de gestão: processos, produção, produtos e qualidade. Boa leitura!

Panorama geral da indústria farmacêutica

Segundo a 6ª edição do Anuário Estatístico do Mercado Farmacêutico, da Anvisa, esse mercado teve um faturamento de R$ 131,2 bilhões de reais no ano de 2022. A indústria farmacêutica é um dos mercados mais promissores do país e o 1º no ranking da América Latina, segundo dados do 2022 ACTS Annual Report do IQVIA Institute.

Segundo o artigo publicado pela InovaFarma sobre o mercado nacional de medicamentos, nos anos de 2010 a 2020, o Brasil passou da 10ª para a 5ª posição no ranking que avalia o uso global de medicamentos. Em 2021, o país movimentou R$ 88,28 bilhões nesse mercado.

Já no ranking mundial, o Brasil desceu para a 10ª posição no mercado farmacêutico, com uma movimentação de R$ 137 bilhões em produtos farmacêuticos e crescimento de 17,7% em relação ao ano de 2021.

Diferentemente de outros setores, a indústria farmacêutica trabalha com níveis de informação e assertividade próprios e uma série de regulamentações nacionais, como as impostas pela Anvisa, e globais, impostas pela OMS. 

Toda a regulamentação e controle – feitas por meio da gestão da qualidade, são essenciais, já que os processos produtivos são extensos e o impacto da tecnologia não ocorre apenas na produção ou nos processos de negócios, mas na vida de milhares de pessoas.

Gestão da qualidade na indústria farmacêutica

A gestão de qualidade na indústria farmacêutica é um dos pilares mais importantes, pois tem impacto direto na eficácia, pureza e segurança dos medicamentos.

Para que a comercialização seja feita de maneira segura para a população, com fórmulas que têm eficácia comprovada e confiável, são necessários vários passos que garantam um eficiente controle de qualidade industrial.



Para mais esclarecimentos sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia nosso Aviso de Privacidade.

Esse processo de controle se inicia com a análise das amostras, presente em todos os ciclos de produção, até o armazenamento, para certificar que esses produtos estarão seguros e com eficácia preservada.

Quando a gestão industrial farmacêutica de qualidade é feita de forma eficiente, fica mais fácil identificar os erros na produção e as modificações para solucionar o problema com maior celeridade. 

Afinal, os fabricantes precisam garantir que os produtos são seguros e cumprem os requisitos dos órgãos de regulação, como a Anvisa, passando por um processo de gestão cuidadoso.

O controle de qualidade é o setor responsável por seguir as Boas Práticas de Fabricação (BPF), ou seja, as técnicas necessárias para garantir que os produtos sejam produzidos e controlados conforme os padrões de qualidade estabelecidos nas regulamentações do órgão fiscalizador.

O BPF abrange todos os aspectos da produção e traz esse detalhamento dos Procedimentos Operacionais Padrão (POP), importantes para cada etapa do processo que podem afetar a qualidade do produto acabado.

Também fazem parte do trabalho do setor de controle de qualidade:

  • Uso e revisão dos EPIs nos locais de produção;
  • Protocolos e técnicas de desinfecção;
  • Comercialização e armazenamento de matéria-prima;
  • Embalagem e rotulagem do produto final.

Ter uma boa gestão de qualidade na indústria farmacêutica ajuda a melhorar a confiabilidade e oferece uma vantagem competitiva para as empresas que desejam ser referência. Além disso, ainda podemos citar outros benefícios:

  • Mantém a confiança e a satisfação dos clientes: entrega produtos e serviços que atendem às expectativas dos consumidores; 
  • Diminui os erros de produção, estabelecendo um processo padronizado;
  • Garante que os produtos terão um padrão – seguem a mesma forma, sem alterações;
  • Permite a melhoria contínua: com as documentações e controle rigoroso do processo, é mais fácil acompanhar os setores que precisam de adequações e entender melhor os gargalos.

BAIXE GRÁTIS | Modelo de Checklist para Gestão de Qualidade

Gestão de produção na indústria farmacêutica

As Boas Práticas de Fabricação (BPF) são normas e procedimentos criados pela Anvisa para garantir a qualidade e segurança dos medicamentos produzidos na indústria farmacêutica. Elas vão desde a escolha das matérias-primas até a distribuição desses produtos.

Essas práticas ajudam a evitar riscos à saúde dos consumidores, incluem medidas que garantem a higienização e sanitização adequadas das instalações e equipamentos, controle de umidade e temperatura e documentação dos processos de fabricação.

Ela também garante a eficácia dos medicamentos, verificando se contém a quantidade e os ativos corretos para aquele produto, medida essencial para assegurar que o produto é seguro para o paciente.

Outro ponto crucial é que a BPF auxilia a manter a integridade dos medicamentos durante o transporte e armazenamento, estabelecendo normas para que os remédios cheguem preservados até o consumidor final.

Para garantir que a indústria farmacêutica vai seguir as orientações contidas nas BPFs, a Anvisa realiza periodicamente auditorias e pode tomar medidas disciplinares caso encontre não conformidades no processo de produção, como o cancelamento do registro dos medicamentos e multas.

Para garantir que os padrões estejam em conformidade com as Boas Práticas de Fabricação, alguns elementos essenciais precisam ser seguidos:

  • Ter a instalação correta;
  • Definir e revisar os processos de fabricação;
  • Treinar a equipe;
  • Gerenciar resíduos;
  • Padronizar procedimentos e métodos;
  • Adequar os equipamentos, fazendo a calibração, higienização e manutenção regulares;
  • Armazenar e transportar de forma adequada.

O Checklist Fácil, com a sua integração com sensores IoT, permite a automação de parâmetros importantes para a produção, como a temperatura, umidade, produtividade e vida útil de máquinas e equipamentos, prevenção de acidentes e controle da cadeia logística e de transporte.

Além disso, é possível ajustar gatilhos para que qualquer não conformidade durante as checagens automáticas seja notificada aos responsáveis, a fim de agilizar as correções.

Gestão de processos na indústria farmacêutica

A gestão de processos na indústria farmacêutica permite melhorar os resultados e serve para preparar a equipe para se adequar às mudanças e aprimorar o processo de decisão dos gestores.

É uma prática de gerenciamento que organiza o fluxo de trabalho da indústria farmacêutica de ponta a ponta, padroniza os processos, melhora a operação e o seu desempenho. 

Essa ferramenta permite ter uma visão objetiva do funcionamento da linha de produção, facilita a tomada de decisões e a implementação de projetos. Além disso, ela melhora a visibilidade dos indicadores de desempenho e permite melhorar os resultados.

BAIXE GRÁTIS | Modelo de Checklist para Auditoria Farmacêutica

De maneira geral, a gestão de processos é dividida em seis etapas para a sua execução:

  1. Arquitetura de processos: é feita uma análise do encadeamento de processos e como isso contribui para alcançar os objetivos estratégicos;
  2. Mapeamento de processos: permite localizar lacunas que impactam as operações. Esclarece os objetivos do processo, os recursos e os responsáveis;
  3. Padronização de processos: ajuda a desenvolver um padrão de trabalho seguido por todos os funcionários, uniformizando os resultados;
  4. Modelagem de processos: permite a diagramação lógica das atividades, mostrando como o trabalho deve ser feito na indústria;
  5. Transformação de processos: realiza mudanças para otimizar o desempenho do negócio e agregar valor ao cliente e a organização. Vai desde a melhoria até a reengenharia de processos;
  6. Controle de processos: pretende acompanhar o desempenho por meio de indicadores e gerenciar os processos. Aproveite e faça o Diagnóstico de Maturidade de Processos da Checklist Fácil para descobrir a eficiência das suas operações.

Um dos grandes gargalos do processo na indústria farmacêutica é garantir que todas as etapas do processo produtivo estejam alinhadas às normas. Por isso, padronizar os processos ajuda a identificar as não conformidades e promover a melhoria contínua.

O Checklist Fácil pode te ajudar com essa padronização das tarefas, evitando erros e diminuindo os custos. Veja aqui 9 formas de usar Checklist Fácil para padronizar processos.

Gestão de produtos na indústria farmacêutica

O setor é altamente regulamentado e competitivo, por isso, a gestão de produtos desempenha um elemento fundamental para o sucesso. Ela permite o lançamento e comercialização de medicamentos de forma estratégica, cobrindo todas as necessidades dos consumidores.

É importante dizer que, nesse ramo, os produtos desenvolvidos já nascem com data prevista para serem retirados do mercado, o que é conhecido como obsolescência planejada, ou o ciclo de vida do produto (CVL).

Isso acontece porque, com o avanço das pesquisas e da tecnologia, chega um momento em que não faz mais sentido um produto continuar no mercado. Isso pode acontecer, por exemplo, devido a uma molécula nova que foi desenvolvida ou descoberta e tem poder de ação e menos efeitos colaterais.

A gestão de produtos permite à indústria farmacêutica identificar oportunidades de forma eficiente, desde a pesquisa até o lançamento no mercado. Este ciclo possui quatro etapas:

1. Pesquisa e desenvolvimento

A primeira fase é uma das mais importantes do CVL. Envolve a descoberta de novas moléculas e ensaios pré-clínicos e clínicos, que vão avaliar a eficácia e segurança do produto para o uso na população. 

2. Produção e fabricação

Nesta etapa acontece a fabricação do medicamento em larga escala. Aqui, as indústrias devem seguir os requisitos rigorosos de controle de qualidade e as Boas Práticas de Fabricação (BPF) para garantir a segurança final do produto. Nessa fase também são desenvolvidas as embalagens e rotulagens.

3. Regulamentação e aprovação

É a fase em que a indústria vai submeter os dados e informações aos órgãos reguladores responsáveis por testar a eficácia, segurança e qualidade do produto. Sem isso, não é possível fazer a comercialização do medicamento.

Nessa etapa, usar ferramentas como a Checklist Fácil é fundamental para garantir que o produto esteja em conformidade com a legislação. Caso uma não conformidade seja detectada, o software gera automaticamente um plano de ação com as instruções necessárias para a correção.

4. Estratégia de marketing e comercialização

Nessa fase, são feitas as segmentações de mercado e campanhas de publicidade para alcançar o público-alvo. A logística e distribuição para que o produto chegue até as prateleiras das redes credenciadas também são aspectos cruciais dessa fase.

Esse ciclo permite que a indústria inove continuamente, atualizando e melhorando os medicamentos e desenvolvendo novos produtos que atendem demandas emergentes. 

Aprimore sua gestão usando a tecnologia a seu favor!

A indústria farmacêutica é um dos setores que mais usam a tecnologia no seu processo de produção. Por isso, para ter sucesso e garantir que os medicamentos cheguem em segurança nas redes de distribuição para a população é preciso realizar uma gestão rigorosa dos pilares apresentados anteriormente.

Por ser bastante extenso e exigir controle minucioso e auditorias regulares, usar uma solução tecnológica, como a Checklist Fácil, permite melhorar o processo de inspeção, padronizando as checagens e criação de um checklist completo para auditoria farmacêutica!

Com ele é possível controlar todas as áreas da produção, criar planos de ação para não conformidades, controlar a manutenção das máquinas, acompanhar os processos de qualidade e muito mais. Solicite uma demonstração gratuita da Checklist Fácil e veja como otimizar os processos da sua empresa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideal para o seu negócio!

Categorias

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.