Boas práticas de fabricação: o que são e como adotá-las na minha empresa?

Você já ouviu falar em boas práticas de fabricação? Trata-se de um conjunto de procedimentos que visa garantir qualidade e segurança nos processos de fabricação. Continue conosco e veja como adotá-las na sua empresa!

ícone autor blogpost Estefânia Martins ícone data de postagem e atualização16/11/2020 ícone data de postagem e atualização25/11/2020 ícone comentários0 comentários ícone categoria principal Gestão da Rotina ícone tempo de leitura 4 minutos
Compartilhe este Post  : 

As boas práticas de fabricação (BPF) são muito adotadas, especialmente nas indústrias alimentícias, médicas e farmacêuticas. Por trás das suas regras, há uma preocupação em minimizar os riscos envolvidos em qualquer produção. Garantindo, assim, a saúde dos profissionais e também dos clientes finais.

Mas o que são boas práticas de fabricação? Nada mais é do que um sistema que visa garantir que os produtos sejam desenvolvidos e controlados seguindo os padrões estipulados de qualidade.

Por envolver uma série de aspectos e diretrizes, convidamos você a continuar a leitura. Afinal, explicaremos mais sobre BRF e a sua importância. Além disso, mostraremos como dar os primeiros passos para adotá-las na sua empresa. Vamos lá!

Boas práticas de fabricação: o que são?

Boas práticas de fabricação são um conjunto de procedimentos obrigatórios que visam garantir um padrão mínimo de qualidade. Eles se aplicam nos processos de fabricação, armazenagem, transporte e até comercialização de gêneros de consumo diversos.

As boas práticas de fabricação incluem aspectos como equipamentos, treinamento e higiene pessoal dos profissionais. Elas devem ser documentadas de forma clara e objetiva nos Procedimentos Operacionais Padronizados (POP), para que sejam adotados por todas as pessoas envolvidas.

Algumas das suas normas possuem vigência internacional. Outras, porém, possuem caráter local, instituídas pela Agência Brasileira de Vigilância Sanitária (Anvisa). Independentemente da regra, deve ser aplicada por todas as empresas e fiscalizada pelos órgãos responsáveis – seja em âmbito da União ou Município.

Qual o objetivo das boas práticas de fabricação?

A principal intenção é garantir que os requisitos de higiene e qualidade sejam cumpridos em todas as etapas de fabricação, incluindo:

  • Recebimento de matéria-prima;
  • Armazenagem;
  • Preparação do produto;
  • Manipulação;
  • Embalagem;
  • Transporte e logística.

No caso da indústria alimentícia, por exemplo, o objetivo é assegurar que os alimentos não sejam contaminados. E, assim, proteger a saúde do consumidor.

As boas práticas de fabricação também diminuem os riscos inerentes a qualquer produção. Ou seja, reduzem a incidência de acidentes, no momento em que estipula regras claras quanto à higiene e segurança.

De que forma as boas práticas de fabricação podem beneficiar as empresas?

A implementação das BPF pode ajudar as indústrias de diversas formas. Elas são capazes de melhorar a sua imagem e competitividade no mercado, por exemplo. Afinal, a preocupação com segurança e higiene é um fator levado muito em consideração na atualidade.  

Outros benefícios são:

  • Tornam mais eficaz o controle de qualidade em toda a operação; 
  • Padronizam a cadeia produtiva, garantindo a segurança sanitária do produto e a uniformidade dos processos;
  • Promovem organização e bem-estar às equipes, uma vez que torna o ambiente mais limpo e seguro;
  • Aumentam a vida útil dos produtos, pois previne a ocorrência de falhas;
  • Preservam a saúde dos colaboradores e do cliente final;
  • Reduzem desperdícios e, consequentemente, os custos.

Além disso, a adoção das boas práticas de fabricação garante que a empresa estará de acordo com as leis vigentes. Evitando, assim, multas e outras formas de punições que podem prejudicá-la.

Quais são as diretrizes básicas das boas práticas de fabricação?

Você viu o que são as BPF e a sua importância. Mas quais são as diretrizes que devem ser seguidas para colocá-las em prática? Selecionamos as 10 orientações principais para você:

1. Estabelecer e descrever as boas práticas

Não basta estabelecer as regras que devem ser adotadas. No caso, elas precisam ser detalhadas em um documento, que deve ser disponibilizado a todos. 

2. Validar processos

Com os procedimentos descritos, é hora de validá-los no sistema. Ou seja: eles devem ser colocados em prática e o desempenho do time, avaliado em cima deles.

3. Definir responsabilidades

Ter uma equipe dedicada à gestão da qualidade auxilia muito no processo de adoção de boas práticas de fabricação. Isso porque ela fica responsável por garantir o cumprimento das definições, ajudando na sua consolidação como cultura empresarial.

4. Registrar as ações

Durante a padronização de processos, podem surgir não conformidades e problemas. O ideal é ter um registro de tudo isso, de forma a realizar melhorias constantes.

5. Adotar instalações e equipamentos corretos

A infraestrutura também entra nas boas práticas de fabricação. Ou seja: é essencial contar com equipamentos e instalações que, de fato, ofereçam a segurança necessária no dia a dia. 

6. Realizar manutenções preventivas

Realizar manutenções apenas quando algo não está funcionando pode levar à perda de dinheiro e ao atraso nos processos. Logo, a recomendação é promover manutenções preventivas, visando sempre evitar problemas mais graves.

7. Treinar a equipe

Apenas é possível cobrar do profissional o cumprimento de processos quando ele é orientado para tal. Nesse sentido, ofereça treinamento e capacitações para todos.

8. Regularizar as instalações

Realizar inspeções em equipamentos e instalações é essencial para mantê-los regulares, ou seja, determinar que estão adequados. Essa preocupação ajuda a prevenir acidentes e ferimentos.

9. Praticar boa higiene

A limpeza do local de trabalho deve ser feita diariamente, evitando o acúmulo de sujeiras. Isso é especialmente importante na indústria alimentícia, pois pode levar à contaminação dos produtos.

10. Colocar a qualidade em primeiro lugar

Investir em métodos de produção modernos e controle de padrões de qualidade está entre as principais boas práticas de fabricação. Isso porque influencia diretamente em todas as etapas do processo.

Afinal, por onde começar?

Antes de seguir qualquer uma das diretrizes acima, é preciso dar um primeiro passo. Você sabe qual é? Consiste na realização do diagnóstico da empresa.

Ao analisar os processos à fundo, é possível elaborar com mais clareza o manual de boas práticas de fabricação. Isso porque o documento passa a ser criado de acordo com a realidade do negócio – mesmo que seguindo as diretrizes legais.

Utilizar um checklist pode facilitar e agilizar tanto nessa auditoria preliminar, quanto na de conferência após as regras entrarem em vigor. Afinal, os responsáveis visualizam o que precisa ser conferido e o que se espera em cada etapa analisada.

Dica bônus: utilize as versões de checklist digital, pois eles tornam o processo de inspeção e auditoria muito mais organizado, rápido e produtivo. Além de manter em segurança os dados colhidos. 

Quer saber como o Checklist Fácil pode ser útil na implementação de boas práticas de fabricação? Não perca mais tempo e solicite uma demonstração gratuita agora mesmo!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *