Saiba tudo sobre EPC, ou Equipamento de Proteção Coletiva

O uso de Equipamentos de Proteção Individual evita doenças e acidentes de trabalho, e é responsabilidade de toda empresa disponibilizá-los.
Atualizado em: 11 de agosto de 2023
Tempo de leitura: 6 minutos

Existem diversas atividades laborais que expõem os trabalhadores ao risco de acidentes ou ao desenvolvimento de doenças. É por isso que a lei brasileira exige a implementação de meios de prevenção. Entre eles, está o Equipamento de Proteção Coletiva, ou EPC

O EPC é um importante recurso para a Segurança do Trabalho, uma vez que é por meio desses equipamentos que a saúde e o bem-estar dos trabalhadores são preservados — seja na implementação de extintores de incêndio, redes de proteção, entre outros.

Há uma série de EPCs, alguns bem conhecidos, outros específicos de determinados tipos atividade. Aqui, você confere tudo o que você precisa saber sobre esses instrumentos tão importantes. Boa leitura!

O que é EPC e qual sua função?

Equipamento de Proteção Coletiva (EPC) é uma categoria de dispositivos que promove a segurança aos trabalhadores em espaços que podem oferecer riscos à saúde e à segurança física dos profissionais. 

Sua função é prevenir acidentes e doenças ocupacionais, bem como mitigar riscos no ambiente de trabalho. Isso significa que até sinalizações de perigo ou delimitação de áreas perigosas são considerados EPC. Consequentemente, o EPC também reduz os índices de problemas trabalhistas. 

Quando surgiu o EPC?

O EPC foi formalmente instituído no Brasil em 1943, com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). No entanto, mesmo antes da obrigatoriedade legal, algumas empresas já utilizavam equipamentos de proteção para preservar a saúde e a segurança dos trabalhadores.

Assim, a lei apenas formalizou a necessidade de proteção já percebida por diversas empresas e profissionais, uma vez que essa segurança traz inúmeras vantagens para a operação como um todo. 

Qual o objetivo do Equipamento de Proteção Coletiva?

Primeiramente, o EPC tem como objetivo prevenir danos ou acidentes a trabalhadores ou terceiros que estejam em ambientes que oferecem algum risco. 

Como diz respeito à proteção coletiva, o EPC promove a redução de riscos comuns a todos os colaboradores, isto é, todos os que estão expostos a esse ambiente perigoso. 

Isso minimiza perdas e aumenta a produtividade do negócio, promovendo um ambiente laboral mais seguro, justo e de qualidade. 

Quais são as normas que regulamentam o uso de EPC?

O EPC é obrigatório por lei. Assim, toda empresa deve obedecer às práticas regidas pelo Ministério do Trabalho e Previdência por meio de duas Normas Reguladoras: a NR 4 e a NR 9

A NR 4 aborda os parâmetros e os requisitos para constituição e manutenção do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT). Isto é, o órgão responsável por reduzir ou erradicar os riscos nos ambientes. 

Entre esses parâmetros e requisitos, estão:

  • Campos de aplicação e obrigatoriedade;
  • Competência, composição e funcionamento do SESMT;
  • Modalidades;
  • Dimensionamento e Registro do SESMT;
  • Quadro de CNAES e Graus de Risco;
  • Etc.

Já a NR 9 estabelece os requisitos para avaliação de exposições ocupacionais de agentes físicos, químicos e biológicos que constam no  Programa de Gerenciamento de Riscos (PGR). Entre as medidas de controle existentes, estão o EPC e o EPI.

Quais são as medidas de proteção coletiva?

Existem diversos riscos que devem ser evitados em um ambiente de trabalho, o que vai depender das características de cada um desses ambientes. Ou seja, para cada segmento de negócio e tamanho da empresa, os riscos existentes podem variar. 

Para saber quais EPCs são necessários para reduzir o impacto aos trabalhadores na realidade da sua empresa, é necessário contar com um time de Segurança e Saúde no Trabalho (SST). 

Responsabilidades da empresa quanto ao uso de EPC

A empresa deve garantir que as medidas de prevenção sejam implementadas e controladas a longo prazo. Isso significa manter a manutenção periódica desses instrumentos para garantir a efetividade dessas ações. 

Quais as consequências de não utilizar ou disponibilizar EPCs?

A empresa pode ser questionada judicialmente caso não cumpra com as diretrizes que constam NR 4 e na NR 9. Isso significa que tanto o Ministério do Trabalho como sindicatos competentes podem ser acionados pelos funcionários para cobrar e multar a empresa que descumpre a lei. 

Caso ocorra algum acidente, a multa pode ser ainda maior, com a empresa sendo responsabilizada por todos os danos causados, uma vez que não garantiu o fornecimento de EPC. 

Quais são os tipos de EPCs?

Conforme abordamos, há diversos equipamentos de proteção individual e coletiva, tipos e funções. Alguns dos EPCs mais comuns são: 

  • Itens básicos de primeiros socorros para os casos de acidentes;
  • Chuveiros de emergência;
  • Itens primordiais para limpeza em caso de derramamento biológico, químico ou radioativo;
  • Isolação acústica para mitigar a incidência de surdez laboral em ambientes barulhentos ou sobre maquinário barulhento;
  • Exaustores em ambientes de temperaturas elevadas e/ou locais fechados;
  • Redes de proteção, guarda-corpo e corrimão para evitar quedas, sobretudo em construções;
  • Detectores de fumaça;
  • Sinalização para evitar possíveis riscos, como buracos, piso escorregadio ou áreas perigosas e restritas;
  • Piso antiderrapante.

Exemplos de EPC

Como pudemos observar, existem diversas formas de aplicar os EPCs em uma empresa. Dessa maneira, são considerados equipamentos de proteção coletiva EPC: 

  • Cones;
  • Kit de primeiros socorros;
  • Fitas; 
  • Guarda corpo;
  • Kit de limpeza;
  • Corrimão;
  • Extintores de incêndio;
  • Placas de sinalização;
  • Alarmes;
  • Plataformas;
  • Grades;
  • Etc. 

Qual a diferença entre EPIs e EPCs?

Embora sejam parte dos requisitos da NR 9, o EPC e o EPI não são a mesma coisa. No entanto, a diferença é simples. Enquanto o EPC protege todos os trabalhadores envolvidos, o EPI, que é o Equipamento de Proteção Individual, visa a prevenção de riscos do trabalhador em si. 

Isso significa que o EPC deve ser pensado antes mesmo que o EPI, pois trata da segurança dos trabalhadores em geral. Apesar disso, ambos são de grande importância para todas as organizações, e devem ser planejados conforme a avaliação de riscos de cada setor e atividade. 

Qual a importância do EPC no ambiente de trabalho?

As pessoas são os principais ativos das empresas. Sem elas, não há empresa que se mantenha operando sozinha. Por isso, atentar-se ao bem-estar, à saúde e à segurança é fundamental para o desempenho sadio do negócio. 

Benefícios do uso de EPCs

Além de evitar acidentes, problemas de saúde, multas e danos à imagem da empresa no mercado, o uso de EPC reduz afastamentos e paralisações que podem custar caro à produtividade e às vendas. 

Além disso, é um importante recurso para se manter um clima saudável e a qualidade de vida entre os profissionais, como veremos a seguir. 

Para os trabalhadores

Além do aumento da produtividade promovida por uma operação segura e sem falhas, há a redução de faltas por motivos de acidentes e problemas de saúde. Isso traz maior motivação entre os times e gera confiança para os líderes e executivos. 

Para a empresa

A prevenção é uma forma de reduzir custos corporativos em geral, o que aumenta os resultados do negócio. Além disso, ela evita penalizações pelos órgãos de fiscalização trabalhista.

Como garantir o uso correto de Equipamentos de Proteção Coletiva?

O EPC deve ser regularmente verificado quanto à sua manutenção, efetividade e capacidade por profissionais especializados no uso de EPCs. Ademais, é importante contar tomar iniciativas para que a segurança seja estabelecida, tais como:

Conscientização

Investir em campanhas e palestras é um dos passos fundamentais para garantir o uso correto de equipamentos de segurança. Gestores e profissionais especializados devem conduzir essas comunicações a partir da apresentação de estatísticas e materiais didáticos. 

Treinamento

Além de entender a importância do uso de equipamentos de proteção, é preciso que os trabalhadores saibam utilizá-los adequadamente. 

Isso significa que os treinamentos são indispensáveis para garantir que os recursos sejam devidamente aproveitados, como é o caso do kit de primeiros socorros, bem como a utilização de extintores de incêndio e outros instrumentos de emergência. 

Equipamentos de qualidade

Não basta implementar um corrimão ou rede de segurança, por exemplo. É preciso garantir que eles funcionarão. Por isso, a empresa deve buscar fornecedores de confiança, além de garantir que todos os equipamentos estejam em condições de uso e manutenções em dia. 

Checklist para inspeção de EPC

Por fim, uma das ações mais importantes para garantir o uso correto de EPCs é a inspeção. Uma das funções dos profissionais de Segurança do Trabalho é checar se a empresa está disponibilizando todos os EPCs necessários, como mandam as normas. Além disso, é obrigatório que os equipamentos estejam em bom estado e dentro do prazo de validade, se for o caso.

Caso a empresa descumpra os critérios básicos para a segurança coletiva dos trabalhadores, as chances de sofrer embargo ou interdição em uma Auditoria Fiscal são grandes. Pior ainda! A falta de Equipamentos de Proteção Coletiva pode causar doenças e acidentes graves ou mesmo fatais, antes mesmo de qualquer medida administrativa.

Por isso, a empresa precisa aplicar checklists periodicamente, a fim de garantir que tudo está dentro das normas. A checagem completa, item por item, é fundamental para que os trabalhadores estejam realmente seguros enquanto realizam suas atividades laborais.

A aplicação de checklists de segurança do trabalho também auxilia na documentação e no histórico de ações implementada nas empresas.

A tecnologia é uma ferramenta importante para esse controle de Equipamentos de Proteção Coletiva, uma vez que a empresa precisa acompanhar inspeções de segurança para garantir sua efetividade. 

Um checklist digital permite a elaboração de um cronograma de monitoramento de EPC personalizado para sua operação, com agendamentos para manutenção, evitando esquecimentos e problemas de segurança.

O Checklist Fácil otimiza o processo de checagem de EPCs, além de garantir a coleta e o armazenamento de informações de forma segura e inteligente, facilitando tomadas de decisões emergenciais.

Quer saber por que o Checklist Fácil é o melhor software de checklists para segurança do trabalho? Agende uma demonstração ou faça um teste grátis para entender na prática como suas rotinas de SST podem ser muito mais eficientes.



Para mais esclarecimentos sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia nosso Aviso de Privacidade.

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideal para o seu negócio!

Categorias

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.

25 de Abril | 16h | ao vivo

Boas Práticas
de SST:

Como zerar acidentes e criar processos eficientes de segurança