Guia do blockchain: conheça o conceito, vantagens, aplicações e como adotar essa tecnologia

Tecnologia que se popularizou no mundo financeiro tem aplicações importantes na era da hiperconectividade da Indústria 4.0.
Atualizado em: 13 de maio de 2024
Tempo de leitura: 12 minutos

O blockchain tem emergido como uma tecnologia disruptiva capaz de transformar os principais segmentos dos setores da economia. Na Indústria 4.0, isso não seria diferente: a ferramenta tem o potencial de otimizar e aprimorar processos industriais como o rastreamento de produtos e a segurança das informações, entre outras aplicações.

Quer entender como funciona o blockchain e como ele pode beneficiar sua empresa? Preparamos esse guia completo para esclarecer todas as suas dúvidas. Desde a definição até as aplicações práticas, vamos explorar cada aspecto do blockchain e mostrar como ele está revolucionando diversos setores em todo o mundo. Confira!

O que é blockchain?

Blockchain é uma tecnologia composta por um banco de dados digital descentralizado e uma rede de protocolo P2P, ou point to point. Em tradução simples, blockchain significa “cadeia de blocos”, o que representa bem o funcionamento dessa tecnologia.

O mecanismo do blockchain é formado por blocos interconectados por meio de criptografia, o que permite o armazenamento e o compartilhamento de informações de forma transparente, segura e confiável.

Podemos relacionar com um grande livro de registros digital que armazena informações de forma segura e transparente. 

Funciona assim: em vez de ter um único dono, esse livro é compartilhado por muitas pessoas. Cada novo registro de informação é agrupado em um bloco que é adicionado à cadeia de blocos anterior, formando uma sequência de registros encadeados. Essa tecnologia é chamada de “blockchain” porque os blocos são conectados uns aos outros, como elos em uma corrente. 

Uma vez que as informações são adicionadas a um bloco e confirmadas pela rede, elas não podem ser alteradas ou apagadas, o que torna o blockchain seguro e confiável para uma variedade de usos, desde transações financeiras até rastreamento de produtos.

O termo blockchain ficou bastante popular no mundo das finanças, com o advento das transações por criptomoedas. Contudo, como você verá neste artigo, esta tecnologia tem papel importante em diversos contextos.

Como o blockchain surgiu?

O blockchain surgiu em 2008, com a publicação de um artigo intitulado Bitcoin: A Peer-to-Peer Electronic Cash System por uma pessoa (ou grupo de pessoas) conhecida pelo pseudônimo Satoshi Nakamoto. Esse artigo descreveu o conceito do blockchain como a base da criptomoeda Bitcoin. 

Antes do blockchain, era difícil criar um sistema digital de dinheiro que não dependesse de uma autoridade central, como um banco, para verificar e registrar as transações. 

O blockchain resolveu esse problema ao introduzir um método descentralizado de registro de transações, no qual as transações são verificadas e registradas por uma rede de computadores interconectados, chamados de “nós”.

A ideia por trás do blockchain foi revolucionária, pois permitiu que as transações fossem transparentes, seguras e imutáveis, sem a necessidade de uma autoridade central para intermediar o processo. 

Desde então, o blockchain evoluiu para além do Bitcoin e é agora usado em uma variedade de aplicações em diferentes setores, incluindo finanças, saúde, logística e muito mais.

Como funciona o blockchain?

De maneira simples, podemos dizer que cada bloco contido no blockchain carrega uma informação e possui um código, que é sua identificação digital, ou hash. O hash de um bloco é formado a partir da sequência de dados do bloco anterior — é daí a ideia de uma corrente ou cadeia.

Os blocos estão interligados por estes códigos de tal forma que torna bastante difícil — para não dizer impossível — qualquer tentativa de fraude nas informações ali contidas. Outra característica que dificulta qualquer tentativa de alteração é que toda informação adicionada em um bloco fica armazenada em pontos distintos, espalhados pela rede, e não centralizadas em um só lugar.

Em outras palavras, podemos explicar o funcionamento do blockchain como uma espécie de livro de registros, como de contabilidade ou de um cartório. Veja só: cada página desse livro possui um número que a identifica, além de conter uma informação protegida de qualquer tentativa de apagá-la ou rasurá-la. Os registros realizados neste livro possuem testemunhas e todas elas sabem o que está escrito, ou seja, não tem como alguém mudar alguma informação sem que alguém fique sabendo.

É este sistema descentralizado e criptografado que faz do blockchain uma das tecnologias mais inovadoras no que diz respeito à segurança e confiabilidade no compartilhamento de dados via internet.

Dividindo seu funcionamento em um passo a passo, temos:

  1. Transações: o processo começa com uma transação sendo realizada entre duas partes. Essas transações podem ser qualquer coisa, desde transferências de dinheiro até contratos inteligentes ou registros de propriedade;
  2. Agrupamento em blocos: as transações são agrupadas em um bloco. Cada bloco contém um certo número de transações, dependendo da capacidade do bloco e do protocolo da blockchain específica;
  3. Hash criptográfico: antes de ser adicionado à cadeia, cada bloco é selado com um código único chamado de hash criptográfico. Esse hash é gerado a partir das informações contidas no bloco e de um hash do bloco anterior na cadeia;
  4. Validação e consenso: o bloco é então distribuído para todos os nós (computadores) na rede. Os nós trabalham para validar o bloco, garantindo que as transações contidas nele sejam legítimas e que o hash criptográfico seja válido. Isso é feito através de um processo chamado de “prova de trabalho” (no Bitcoin) ou “prova de participação” (em outras criptomoedas);
  5. Adição à cadeia: uma vez que o bloco é validado, ele é adicionado à cadeia de blocos existente, formando assim uma sequência linear e imutável de registros de transações;
  6. Imutabilidade e segurança: como cada bloco contém um hash do bloco anterior, qualquer tentativa de modificar um bloco anterior na cadeia seria rapidamente detectada, tornando o blockchain imutável e seguro contra fraudes. Esse processo se repete continuamente, com novos blocos sendo adicionados à cadeia à medida que mais transações ocorrem.

Quais são os benefícios e vantagens do blockchain?

Por falar no uso do blockchain pelas empresas, confira alguns benefícios e vantagens da adoção dessa tecnologia: 

Transparência e imutabilidade

Uma das principais vantagens do blockchain é sua capacidade de proporcionar transparência e imutabilidade. Como as transações registradas no blockchain são visíveis para todos os participantes da rede e não podem ser alteradas ou apagadas, isso cria um ambiente confiável e transparente para as operações comerciais.



Para mais esclarecimentos sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia nosso Aviso de Privacidade.

Segurança

O blockchain é altamente seguro devido à sua estrutura descentralizada e criptografada. Cada transação é validada e registrada de forma segura na rede, reduzindo o risco de fraudes, manipulação de dados ou ataques cibernéticos.

Desintermediação

O blockchain permite transações diretas entre as partes envolvidas, eliminando a necessidade de intermediários, como bancos, instituições financeiras ou terceiros confiáveis. Isso reduz custos, tempo e complexidade associados a processos de intermediação tradicionais.

Eficiência e redução de custos

Ao automatizar e otimizar processos por meio de contratos inteligentes e registros digitais, o blockchain pode aumentar a eficiência operacional e reduzir os custos de transação para as empresas.

Aumento da confiança e credibilidade

A natureza transparente e segura do blockchain aumenta a confiança e a credibilidade entre as partes envolvidas em transações comerciais. Isso pode ser especialmente importante em setores onde a confiança é essencial, como cadeias de suprimentos, setor financeiro e saúde.

Rastreabilidade e auditoria

O blockchain permite rastrear e auditar facilmente o histórico de transações e ativos, desde sua origem até o destino final. Isso é especialmente valioso em setores onde a rastreabilidade é fundamental, como alimentos, produtos farmacêuticos e diamantes.

Inovação e novos modelos de negócios

O blockchain oferece um ambiente propício para a inovação e a criação de novos modelos de negócios. Ele permite a criação de aplicativos descentralizados e ecossistemas digitais que podem transformar indústrias inteiras.

Aspectos regulatórios e legais do blockchain no Brasil

No Brasil, os aspectos regulatórios e legais relacionados ao blockchain ainda estão em desenvolvimento e evolução, refletindo o rápido avanço da tecnologia e suas aplicações. Alguns aspectos importantes a serem considerados são:

Regulação das criptomoedas

O Banco Central do Brasil (BCB) e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) são os principais órgãos reguladores responsáveis pela regulamentação das criptomoedas, incluindo o Bitcoin e outras moedas digitais. 

Atualmente, não há uma legislação específica que regulamente as criptomoedas no país, mas várias iniciativas estão em andamento para abordar questões como prevenção à lavagem de dinheiro, proteção ao consumidor e tributação.

Legislação tributária

As transações envolvendo criptomoedas estão sujeitas à legislação tributária brasileira. O Ministério da Economia emitiu orientações sobre a tributação de operações com criptoativos, estabelecendo regras para declaração de ganhos e perdas, bem como para o pagamento de impostos sobre renda e ganhos de capital.

Proteção ao consumidor

Embora o blockchain ofereça benefícios em termos de segurança e transparência, os consumidores podem enfrentar desafios em relação à proteção de seus direitos em transações envolvendo criptomoedas.

A regulamentação futura pode abordar questões relacionadas à segurança das transações, proteção contra fraudes e mecanismos de resolução de disputas.

Privacidade de dados

O uso do blockchain levanta questões importantes relacionadas à privacidade e proteção de dados pessoais. Embora o blockchain seja transparente e imutável por natureza, há preocupações sobre como garantir a privacidade dos usuários e cumprir com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) do Brasil.

Quais são os desafios e limitações do uso de blockchain?

O uso de blockchain apresenta uma série de desafios e limitações que precisam ser considerados pelas empresas e organizações que desejam adotar essa tecnologia. Aqui estão alguns dos principais:

  • Escala e desempenho: uma das principais limitações do blockchain é sua capacidade de escala e desempenho. As redes blockchain existentes, como a do Bitcoin e Ethereum, enfrentam desafios de escalabilidade, resultando em tempos de transação mais lentos e taxas mais altas durante períodos de alta demanda;
  • Interoperabilidade: a falta de interoperabilidade entre diferentes redes blockchain é um desafio significativo. Isso dificulta a transferência de ativos e dados entre diferentes blockchains e pode limitar a adoção e o uso generalizado da tecnologia;
  • Consumo de energia: alguns protocolos de consenso, como a prova de trabalho (PoW), que é usada pelo Bitcoin, consomem uma quantidade significativa de energia. Isso levanta preocupações ambientais e pode tornar o blockchain menos sustentável a longo prazo;
  • Privacidade e escalabilidade: enquanto o blockchain oferece transparência e segurança, também apresenta desafios em relação à privacidade dos dados. As redes blockchain públicas podem expor informações sensíveis a todos os participantes da rede, enquanto as soluções de blockchain privadas podem ter desafios de escalabilidade e centralização;
  • Custos: a implementação e operação de soluções baseadas em blockchain podem ser caras, especialmente em termos de desenvolvimento de software, manutenção de infraestrutura e custos de transação. Isso pode limitar a acessibilidade do blockchain para empresas de menor porte;
  • Regulação e compliance: a falta de clareza regulatória e compliance pode ser um obstáculo para a adoção do blockchain em alguns setores. Questões relacionadas à conformidade com regulamentações financeiras, tributárias e de proteção de dados podem criar incerteza para empresas que consideram a implementação de soluções baseadas em blockchain;
  • Educação e conscientização: a compreensão do blockchain e suas aplicações ainda é limitada em muitos setores e regiões. A falta de educação e conscientização sobre os benefícios e desafios do blockchain pode dificultar sua adoção e uso generalizado.

Quais são as aplicações do Blockchain na indústria?

Assim como outras tecnologias aplicadas à indústria, os estudos sobre blockchain têm aumentado as possibilidades de uso dessa ferramenta nos processos industriais. Confira algumas das aplicações mais comuns hoje em dia:

1. Segurança de dados 

É impossível falar em integração de sistemas, digitalização e análise de dados sem pensar na segurança de informações tão relevantes e sensíveis para as indústrias. Nesse sentido, o blockchain é uma das inovações que garante que essas informações permaneçam seguras, livre de fraudes.

Isso é especialmente importante quando falamos de sensores IoT, justamente porque o blockchain ajuda a reforçar a segurança e a autenticidade dos dados compartilhados entre os dispositivos.

2. Rastreamento de alimentos e medicamentos

O blockchain é uma das ferramentas que tem proporcionado mais confiabilidade sobre os processos de produção das indústrias de alimentos e farmacêutica. Isso porque a tecnologia garante que as informações de cada etapa sejam registradas e protegidas de alterações.

Na indústria de alimentos, o blockchain permite que informações do cultivo dos ingredientes até o processo de distribuição fiquem registrados e disponíveis para rastreamento de falhas e para consulta dos próprios consumidores.

Para a indústria farmacêutica, este registro é igualmente importante, uma vez que garante a autenticidade dos processos de fabricação e a consulta de lotes, validade dos medicamentos, informações de ensaios clínicos, entre outros dados relevantes.

3. Contratos inteligentes

Os smart contracts são mais uma aplicação do blockchain que tem otimizado transações e outros tipos de acordos digitais na indústria e demais setores. Os contratos inteligentes são criados e executados automaticamente a partir do cumprimento das condições por todas as partes envolvidas. O resultado disso? Zero processos manuais, maior confiabilidade e agilidade na conclusão desses contratos.

4. Manutenção preditiva

O blockchain também tem papel importante para a manutenção preditiva na indústria, uma vez que as tomadas de decisão sobre máquinas e equipamentos precisam ter como base dados confiáveis e precisos.

A integração do blockchain com sensores IoT aprimora este controle de dados, facilitando o monitoramento do  desempenho de máquinas e equipamentos em tempo real, detectando sinais de desgaste e permitindo intervenções antes de ocorrerem falhas ou paradas não programadas.

LEIA MAIS | Manutenção Planejada: o que é como implementar em 5 passos

5. Logística

O blockchain pode ser utilizado para rastrear o movimento de mercadorias ao longo da cadeia logística, fornecendo visibilidade em tempo real e reduzindo o risco de perdas e fraudes. Ele também pode ser empregado para manter registros precisos e imutáveis de inventários, otimizando a gestão de estoques e reduzindo erros e inconsistências.

6. Gestão e automação de processos

O blockchain permite a execução automática e imutável de contratos inteligentes, que são acordos autoexecutáveis baseados em código de programação. Isso simplifica e automatiza processos de negócios, reduzindo a necessidade de intermediários. Além disso, também pode ser usado para autenticar e certificar a autenticidade de documentos digitais, como diplomas, certificados e contratos, garantindo sua integridade e imutabilidade.

7. Gestão financeira

Transferências internacionais de fundos: o blockchain pode facilitar transferências internacionais de forma rápida, segura e econômica, eliminando intermediários e reduzindo taxas e tempo de processamento.

Outra aplicação é o crowdfunding e investimentos em startups e projetos, permitindo que investidores participem de forma transparente e segura, e que empreendedores levantem capital de forma descentralizada.

Blockchain e Indústria 4.0

A hiperconectividade e o compartilhamento de dados são dois elementos chave na Manufatura Avançada. A Quarta Revolução Industrial tem como premissa a conexão dos mundos físico e digital, ou seja, ativos, sistemas e máquinas, para processos mais eficientes, ágeis e flexíveis nas indústrias.

São pelo menos nove pilares que fundamentam a chamada Indústria 4.0, como Computação em Nuvem, Internet das Coisas, Inteligência Artificial e, uma das mais importantes: a Cibersegurança. E é aí que o blockchain desempenha um papel importante no contexto da Manufatura Avançada.

Seu uso traz muitas vantagens nesse contexto, como:

  • Confiabilidade e segurança de dados: todas as informações registradas no blockchain ficam praticamente imunes a fraudes ou quaisquer alterações não autorizadas.
  • Automatização e agilidade em operações: processos como contratos e transações comerciais são realizados de forma muito mais rápida porque sua execução se dá de forma automatizada via blockchain.
  • Redução de custos: Agilizando transações e contratos inteligentes, há também uma redução dos custos dessas operações para os negócios.
  • Mais transparência: no blockchain, todas as partes envolvidas nas transações ou compartilhamentos de qualquer informações tem total visibilidade sobre os dados e podem atestar sua autenticidade.

Como o blockchain se relaciona com outras tecnologias?

O blockchain se relaciona de várias maneiras com outras tecnologias emergentes, como Internet das Coisas (IoT), Inteligência Artificial (IA) e mais. Aqui estão algumas das principais interações:

  • Internet das Coisas (IoT): o blockchain pode ser usado para fornecer uma infraestrutura segura e descentralizada para a comunicação e troca de dados entre dispositivos IoT. Isso permite que os dispositivos compartilhem dados de forma segura e autenticada, garantindo integridade e confiabilidade nas redes IoT;
  • Inteligência Artificial (IA): a combinação de blockchain e IA pode levar a avanços significativos em várias áreas, incluindo análise de dados, automação de processos e segurança cibernética. Por exemplo, o blockchain pode ser usado para armazenar e compartilhar conjuntos de dados de treinamento de IA de forma segura e descentralizada, enquanto a IA pode ser usada para analisar e extrair insights desses dados;
  • Computação em nuvem: o blockchain pode ser integrado à computação em nuvem para fornecer um ambiente mais seguro e confiável para o armazenamento e processamento de dados. Por exemplo, o blockchain pode ser utilizado para garantir a integridade e autenticidade dos dados armazenados na nuvem, enquanto os serviços em nuvem podem fornecer escalabilidade e acessibilidade aos aplicativos blockchain;
  • Segurança cibernética: o blockchain pode ser usado como uma ferramenta para melhorar a segurança cibernética, fornecendo um registro imutável e transparente de atividades e transações. Por exemplo, o blockchain pode ser aproveitado para rastrear e auditar acessos e alterações em sistemas de informação, detectando e prevenindo ataques cibernéticos;
  • Gestão de identidade digital: o blockchain pode ser usado para criar soluções de gestão de identidade digital mais seguras e descentralizadas. Por exemplo, o blockchain pode ser usado para armazenar e compartilhar credenciais de identidade de forma segura e autenticada, garantindo a privacidade e segurança dos usuários.

Como adotar o blockchain na sua empresa? Veja dicas práticas

Adotar o blockchain na sua empresa pode ser uma decisão estratégica importante, mas também requer planejamento cuidadoso e consideração de vários fatores. Aqui estão algumas dicas práticas para ajudá-lo a adotar o blockchain de forma eficaz:

1. Entenda as necessidades da sua empresa

Antes de começar, é crucial entender as necessidades e desafios específicos da sua empresa que o blockchain pode ajudar a resolver. Identifique áreas onde a transparência, segurança ou eficiência podem ser aprimoradas com o uso do blockchain.

2. Aprenda sobre o tema

Familiarize-se com os fundamentos do blockchain, incluindo como funciona, suas aplicações e benefícios. Isso ajudará você a tomar decisões informadas sobre como implementar e usar o blockchain na sua empresa.

3. Comece com um projeto piloto

Considere iniciar com um projeto piloto de blockchain em uma área específica da sua empresa para testar sua viabilidade e eficácia. Escolha um projeto que seja de tamanho gerenciável e tenha potencial para fornecer resultados tangíveis.

4. Escolha a plataforma certa

Existem várias plataformas de blockchain disponíveis, cada uma com suas próprias características e funcionalidades. Escolha a plataforma que melhor atenda às necessidades da sua empresa em termos de segurança, escalabilidade e recursos.

5. Identifique parceiros e fornecedores

O sucesso da adoção do blockchain muitas vezes depende da colaboração com parceiros e fornecedores. Identifique e envolva-se com parceiros que tenham experiência em blockchain e possam fornecer suporte e orientação durante o processo de implementação.

6. Garanta conformidade regulatória

Certifique-se de entender e cumprir quaisquer regulamentações ou requisitos legais relacionados ao uso do blockchain na sua indústria ou região. Isso pode incluir questões relacionadas à proteção de dados, privacidade e conformidade tributária.

7. Invista em treinamento e capacitação

O sucesso da adoção do blockchain também depende da capacitação dos funcionários. Invista em treinamento e capacitação para garantir que sua equipe esteja bem preparada para usar e gerenciar as soluções baseadas em blockchain.

8. Mensure e avalie o progresso

Estabeleça métricas claras para avaliar o progresso e o impacto da adoção do blockchain na sua empresa. Meça o desempenho em relação aos objetivos estabelecidos e faça ajustes conforme necessário.

A adoção do blockchain pode ser combinada com ferramentas tecnológicas para tornar os seus processos ainda mais eficazes. Afinal, segurança e confiança nas informações coletadas e compartilhadas são critérios primordiais para qualquer tomada de decisão dentro de um negócio.

E mais de 1.500 empresas já estão vendo na prática a importância de contar com dados precisos e disponíveis em tempo real com o Checklist Fácil!

Que tal otimizar seus processos de checagem, como inspeções e auditorias, em sua indústria com a melhor e mais completa para coletar dados, digitalizar e padronizar processos? Conte com o Checklist Fácil para potencializar a eficiência e a qualidade da sua operação. Conheça nossa solução e peça uma demonstração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideal para o seu negócio!

Categorias

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.

25 de Abril | 16h | ao vivo

Boas Práticas
de SST:

Como zerar acidentes e criar processos eficientes de segurança