8 boas práticas para realizar um controle de qualidade industrial eficiente

Para realizar um controle de qualidade industrial, é preciso focar na satisfação dos clientes. Porém, essa não é a única ação que deve ser realizada. Confira 8 boas práticas e comece a adotá-las desde já!

Tempo de leitura: 8 minutos
Profissional realizando o controle de qualidade industrial

Fazer o controle de qualidade industrial é essencial para garantir que os produtos que chegam ao mercado estão dentro do padrão de excelência pré-estabelecido

Organizações que têm clareza sobre esse processo conseguem identificar e corrigir falhas rapidamente. Evitando que elas atinjam o consumidor final e, portanto, gerem algum tipo de insatisfação.

Mas como realizar um controle de qualidade industrial que, de fato, seja eficiente? Neste conteúdo, mostraremos 8 dicas que irão ajudá-lo nesta tarefa. Abordaremos, ainda, mais sobre o seu conceito, a fim de deixar claro a importância de realizá-lo na sua empresa. Acompanhe!

O que é controle de qualidade industrial? 

Antes de entrarmos no conceito direcionado à indústria, é essencial esclarecer o que, de fato, é controle de qualidade. Trata-se de um sistema adotado para mensurar a qualidade dos serviços e produtos. Baseando-se, sempre, em parâmetros técnicos previamente estabelecidos.

Mas o que é um sistema? Nada mais é do que um conjunto de normas, procedimentos e instruções utilizados para monitorar a produção. E, assim, garantir que tudo esteja sempre em conformidade com as especificações e tolerâncias.

Por qualidade, entende-se a ausência de defeitos no produto final. E, ainda, a entrega de um item dentro do padrão desejado pela empresa.

Passados esses esclarecimentos, podemos afirmar que o controle de qualidade industrial ocupa um papel preponderante no desenvolvimento da organização. Isso porque visa identificar não conformidades nas etapas produtivas. Para, desta forma, garantir um produto de excelência no final.

Para que ele seja efetivo, deve ser adequado às necessidades da indústria e o tipo de atividade que desempenha. Além disso, não pode ser restrito a um único procedimento. 

Ou seja, o monitoramento deve abranger recursos humanos, materiais e equipe como um todo. Afinal, todos esses fatores, se bem organizados, garantem uma produção muito mais eficiente.

Qual o papel do controle de qualidade industrial?

Resumidamente, ele identifica defeitos, erros e falhas no produto, impedindo que isso chegue até o cliente. Logo, visa garantir, a longo prazo, crescimento e rentabilidade ao negócio. Uma vez que reduz os desperdícios.

Vale, aqui, uma observação: o controle de qualidade industrial não leva a uma análise, mudança ou padronização de processo. Esta parte é tarefa da Gestão da Qualidade Total – que já foi tema central de outro conteúdo aqui no blog.

Logo, seu objetivo é evitar que algo fora do padrão chegue ao mercado. Assim, atuará, por exemplo, com inspeções, testes e verificações.

Com isso, busca promover a satisfação dos clientes, bem como estreitar a relação com fornecedores e demais parceiros. 

Neste último caso, ao realizar o controle de qualidade da matéria-prima, por exemplo, visa conter a chegada de insumos fora do padrão. Evitando, portanto, novas perdas de produtos e prejuízos diversos.

Com tudo isso, podemos dizer que esse controle efetivo impacta na competitividade da empresa. Uma vez que a satisfação dos clientes e a eliminação de desperdícios são fatores essenciais para obter lucro.

Vamos mostrar mais sobre a importância dessa ação em todos os tipos de indústria a seguir. Continue com a gente!

Qual a importância de realizar esse controle nas indústrias?

Fazer o controle de qualidade industrial é importante para garantir a excelência das mercadorias que são entregues ao mercado. Isso porque, quando realizado de forma eficaz, permite identificar e corrigir as inconsistências facilmente.

Conforme as ações são realizadas, é possível diminuir os retrabalhos. Uma vez que os profissionais automaticamente passam a prever possíveis falhas. 

Logo, reduz-se custos e desperdícios. Seja os relacionados a materiais descartados, tempo investido ou energia.

Assim sendo, com o tempo, o controle de qualidade industrial passa a potencializar os resultados, garantindo processos mais enxutos. Além de limitar as falhas – humanas e tecnológicas.

Juntando todos os pontos acima, podemos afirmar que essa estratégia é indispensável para uma boa produtividade e participação do mercado. Afinal, evita a realização de trabalho dobrado, o que ocasiona um incremento na lucratividade. 

Quais os riscos da falta de controle de qualidade na indústria?

Quando chega um insumo na indústria, é necessário realizar testes, análises e inspeções. A fim de, com isso, certificar-se de que a qualidade do material entregue atende às especificações solicitadas.

Agora imagine que não há esse controle eficaz na sua indústria. As falhas podem aparecer em qualquer etapa da produção, incluindo na final. Neste caso, você poderá ter que jogar todo um lote no lixo. 

E, com ele, tudo que foi gasto em termos de tempo, energia e matéria-prima. Ou seja: prejuízo total! Sem falar que o atraso pode gerar problemas com o seu cliente.

Esse é apenas um exemplo de problema que a falta de controle de qualidade na indústria pode causar. Há, ainda, outras situações desagradáveis, como:

  • Necessidade de recall;
  • Devolução ou manutenção durante o tempo de garantia do produto;
  • Mercadoria com qualidade inferior à prometida;
  • Riscos à saúde dos colaboradores e também do comprador.

Esses fatores podem afetar, ainda, a imagem da fábrica. Que, além de se reinventar para garantir a qualidade na sua produção, terá que lidar com uma crise de marca.

Quais são os benefícios do controle de qualidade industrial?

Agora que você viu a importância de realizar essa atividade, bem como os problemas que podem advir da sua falta, fica mais fácil entender os benefícios gerais que ela gera. Resumidamente, são os seguintes:

Consistência dos produtos

Como mencionamos, o objetivo de controlar a qualidade é manter o padrão de excelência previamente estabelecido. Logo, a consistência permite que a indústria ofereça o mesmo nível de qualidade em cada produção concluída

Isso evita que seus clientes comparem as mercadorias adquiridas. E pior: vejam que algumas estão melhores do que outras. 

Melhor desempenho

Quando há a diminuição dos retrabalhos, a produtividade da equipe como um todo aumenta. Afinal, não será preciso dispor de mais tempo para suprir um lote defeituoso.

Além disso, quando há uma cultura voltada para o controle de qualidade industrial, o desempenho em geral melhora. Uma vez que todos passam a se engajar em manter alto o nível das suas próprias entregas. 

Satisfação do cliente

Tem forma melhor de suprir as necessidades dos seus clientes do que oferecer um produto de qualidade? Ou seja, dentro dos padrões prometidos?

Pois bem, ao realizar esse controle, você conquistará a satisfação do consumidor final. Incentivando-os a realizarem recompras e indicarem sua marca. 

Fortalecimento da marca

Esse benefício nada mais é do que resultados dos outros que citamos acima. Afinal, ao oferecer um produto consistente, otimizar o desempenho operacional e satisfazer os clientes, o controle de qualidade industrial ajuda a fortalecer a sua marca no mercado.

Quais ferramentas ajudam a controlar a qualidade na indústria?

Existem várias ferramentas que contribuem para otimizar a produtividade e eficiência das indústrias. Isso porque permitem entender os processos e, a partir disso, determinar onde está a causa-raiz do problema.

Selecionamos algumas que, certamente, farão toda a diferença no seu negócio:

  1. Diagrama de pareto: Facilita a visualização das causas mais importantes de um problema. É muito utilizado para determinar e tratar não conformidades no processo produtivo. Bem como identificar pontos a serem aprimorados;
  2. Diagrama de causa e efeito: Também conhecido como Espinha de Peixe e Diagrama de Ishikawa, permite identificar, classificar e manifestar possíveis causas de problemas. Permitindo, assim, chegar à solução considerada ideal;
  3. Histograma: Trata-se de um diagrama de barras verticais, que representam a frequência de um determinado conjunto de dados. Costuma ser utilizado para mostrar a periodicidade de algum evento, permitindo priorizar e relacionar ações;
  4. Fluxograma: É uma ferramenta de planejamento voltada para a identificação do melhor fluxo a ser percorrido ao longo do processo produtivo. Sua vantagem é o fato de trazer símbolos e gráficos, que permite uma visualização mais clara das etapas;
  5. Folha de verificação: Conhecida como checklist, é uma planilha para coleta e análise de dados. Com ela, é possível identificar mais facilmente em qual processo os erros estão ocorrendo de forma repetida. Para que, posteriormente, seja criado um plano de ação para solucioná-lo.

Existem outras metodologias que podem ser úteis nessa tarefa, como 5W2H e Ciclo PDCA. Entretanto, elas são mais utilizadas pensando na padronização dos processos. Uma vez que possuem em sua essência a melhoria contínua.

Como é feito o controle de qualidade industrial?

Para implementar um controle de qualidade eficiente, é fundamental envolver todos os níveis da empresa. Ou seja, essa cultura deve se estender desde o diretor até quem trabalha na operação. 

Entretanto, para que isso ocorra, os processos devem estar claros. Assim como a ficha técnica, preenchida e atualizada. Afinal, como saber se algo está certo se a pessoa não sabe qual o padrão considerado ideal?

Junto a isso, é importante oferecer capacitação aos colaboradores. Preferencialmente a cada alteração nos procedimentos.

Além disso, a organização deverá avaliar o melhor sistema para realizar esse controle. Apesar de ser possível criar planilhas manuais, a tecnologia é uma grande aliada. Isso porque ela permite a centralização dos dados e a gestão dos mesmos. Tornando o trabalho como um todo mais eficiente.

A seguir, selecionamos os passos essenciais para realizar o controle de qualidade nas indústrias. Confira!

8 boas práticas para um controle de qualidade industrial efetivo

Realizar o controle de qualidade na indústria não é uma tarefa fácil. Porém, seguindo algumas boas práticas, as chances de obter êxito aumentam substancialmente. Conheça quais são elas:

1. Foque na satisfação dos clientes

A satisfação dos clientes deve ser a meta principal de todos os setores de uma indústria. Entretanto, esse objetivo não se resume a oferecer um produto de qualidade – apesar de ser essencial. Você deve, também:

  • Entender as necessidades dos seus clientes;
  • Ofertar produtos que solucionem os problemas de forma eficiente;
  • Utilizar matéria-prima de qualidade
  • Contar com uma logística e distribuição organizada;
  • Padronizar o serviço de atendimento, especialmente o pós-venda.

Todas essas ações também devem ser realizadas com excelência. Uma vez que também influenciam na imagem que as pessoas têm da sua marca.

2. Adote uma gerência participativa

Gestores dispostos a ouvir, delegar e motivar tendem a formar equipes muito mais engajadas. E como o controle de qualidade industrial exige justamente isto, é essencial que este perfil esteja presente na sua indústria.

Assim sendo, busque profissionais que tenham habilidades de liderança. Afinal, eles são capazes de:

  • Motivar as equipes, elevando a eficiência;
  • Reter talentos;
  • Identificar e corrigir erros com agilidade;
  • Promover um ambiente de trabalho mais harmônico;
  • Melhorar a comunicação entre os times.

3. Desenvolva as pessoas

Como mencionamos, é impossível atingir os padrões de qualidade desejados sem o apoio dos colaboradores. Logo, adotar medidas que incentivem o seu desenvolvimento deve ser visto como prioridade.

Você pode criar programas de treinamento e motivação. E, ainda, oferecer recompensas por metas batidas.

4. Adote uma comunicação transparente

Uma equipe que se comunica tende a ser muito mais eficiente. Afinal, dúvidas são rapidamente esclarecidas, não deixando brechas para ambiguidades. 

Sendo assim, incentive a troca de informações. Inclusive entre líderes e seus colaboradores. Assim, eles também se sentirão parte do negócio, impactando diretamente no seu desempenho.

5. Busque a melhoria contínua

Uma coisa é fato: não há nada tão perfeito que não possa ser melhorado. Isso significa que, por mais que tenha sido criado um padrão para a compra de matéria-prima, por exemplo, isso deve ser revisto periodicamente.

Afinal, o mercado e as necessidades mudam com frequência. E, portanto, é preciso acompanhar de perto essa dinâmica.

6. Não aceite erros

Erros são comuns em qualquer empresa. Porém, eles não devem ser encarados como inevitáveis, e sim como algo a ser combatido.

Isso não significa que você deva punir seus colaboradores. Mas, deve identificar as falhas prontamente e buscar alternativas para que não ocorram mais. Isso faz parte de um desenvolvimento constante que caminha lado a lado com o controle de qualidade industrial.

7. Priorize a garantia da qualidade

Quando pensamos em qualidade de produto, há vários fatores que influenciam. É preciso, por exemplo, certificar-se que está adquirindo apenas matérias-primas de qualidade e que não há falhas no processo de produção. 

Além disso, devemos garantir que a mercadoria irá chegar ao cliente em boas condições e dentro da validade. E, ainda, que ele é realmente competitivo no mercado.

Todos esses fatores devem ser levados em consideração ao realizar o controle de qualidade industrial. Afinal, uma falha em um deles pode impactar negativamente na satisfação do cliente.

8. Utilize um checklist online

Lembra que sugerimos utilizar uma tecnologia para realizar um controle de qualidade industrial mais efetivo? Pois bem, o checklist online é uma dessas soluções que facilitam (e muito) no dia a dia.

Com ele, você pode criar uma lista de verificação por setor ou atividade. Assim, o profissional responsável por determinado processo visualiza cada tópico e dá um “check” nos que estão adequados.

O bom da versão digital é que todas as informações são armazenadas na nuvem. Desta forma, evita-se retrabalhos. Bem como reduz os riscos de perdas e rasuras. Sem falar que facilita o controle dos gestores.

Conte com o Checklist Fácil para obter qualidade na sua indústria!

O Checklist Fácil é líder em checklist digital na América Latina. Com ele, você cria as listas de verificação e determina quando as checagens devem ser feitas – e por quem. Após o preenchimento, os dados ficam disponíveis para conferência. Permitindo, assim, a geração de relatórios e gráficos.

Além de auxiliar no controle de qualidade industrial, o software também possui outras funcionalidades, incluindo:

  • Mapear todas as etapas dos processos;
  • Controlar não conformidades e reincidências;
  • Reduzir falhas e retrabalhos;
  • Diminuir o uso de papel;
  • Reduzir custos operacionais;
  • Otimizar o tempo da sua equipe.

No vídeo abaixo, você conhece um pouco mais sobre a nossa solução:

Está esperando o quê? Agende uma demonstração gratuita agora mesmo com os nossos especialistas e veja como podemos ajudar a sua indústria! 

Jornalista e especialista em Comunicação Empresarial. Sou apaixonada por marketing, escrever, criar e inovar - inclusive nas horas vagas.
Estefânia Martins

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *