Saiba como otimizar o controle de qualidade da matéria-prima

O controle de qualidade da matéria-prima garante menos prejuízos e produções bem feitas. Porém, ele requer organização e passos simples para garantir seu funcionamento eficiente. Saiba mais!

Tempo de leitura: 9 minutos
Profissional realizando o controle de qualidade da matéria-prima

O controle de qualidade da matéria-prima é uma atividade que deve fazer parte da rotina de qualquer indústria. Isso porque ele impacta diretamente no produto final. E, consequentemente, na satisfação dos clientes.

Mas o que é matéria-prima, afinal? Basicamente, são produtos de origem vegetal, animal ou mineral que são transformados e, posteriormente, utilizados na elaboração de mercadorias. Porém, seu uso inadequado pode levar a retrabalho e prejuízos.

Devido à importância que ele tem para o sucesso de um produto no mercado, é essencial entender como funciona o controle de qualidade da matéria-prima. E é esse o tema deste conteúdo. Acompanhe!

O que significa controle de qualidade da matéria-prima?

De forma geral, o controle de qualidade da matéria-prima pode ser definido como um processo de auditoria e análise realizado nos materiais utilizados na primeira etapa do processo industrial de fabricação.

Primeiramente, para descobrir se o material é de qualidade, entende-se que o mesmo atende aos requisitos básicos da legislação. Bem como possui as características físicas, químicas e microbiológicas que garantem que seja algo seguro para ser vendido.

Porém, o controle de qualidade não é um processo tão simples como pode parecer. Ele costuma envolver diferentes etapas, dependendo do tipo de matéria-prima ou do produto final, e cada uma possui objetivos específicos. Em resumo, as principais são:

  • Recebimento da matéria-prima;
  • Teste de comprovação da qualidade;
  • Análise dos resultados;
  • Identificação de conformidade ou não conformidade;
  • Comunicação para o fornecedor da matéria-prima.

De todas essas etapas, destacamos uma em especial: o recebimento da matéria-prima. Esta, certamente, é a mais importante do processo e não está em primeiro lugar por acaso. Isso porque envolve a inspeção e o teste dos materiais assim que chegam na indústria.

Ou seja, caso haja um controle eficiente, é possível encontrar as não conformidades antes mesmo que cheguem até a produção. Evitando, assim, produtos defeituosos ou fora dos padrões da empresa.

Além disso, vale lembrar que cada uma das etapas é essencial. Afinal, se a primeira não for bem realizada, ainda é possível detectar irregularidades nas demais e já adiantar os ajustes necessários para não ocorrerem prejuízos. 

Para isso, o uso de um software para coletar, analisar e gerar relatórios ajuda no entendimento do que é preciso validar em cada matéria-prima. Tornando, desta forma, o processo mais estruturado e organizado. 

Mas, antes de falarmos a forma prática de aplicar o controle de qualidade da matéria-prima na sua empresa, é necessário compreender como realizá-la e é sobre isso que vamos tratar a partir de agora.

4 dicas para realizar o controle de qualidade da matéria-prima

Até aqui, você entendeu o que é o controle de qualidade da matéria-prima, certo? Agora, é hora de descobrir como realizá-lo de forma efetiva na sua empresa. 

Provavelmente, você já deve ter compreendido que sem ele, pode ter prejuízos substanciais – inclusive financeiros. Por isso, é essencial não apenas implementar, mas fazer isso da forma correta. Mas e como fazer isso, afinal? 

Confira 4 dicas que vão lhe ajudar a desenvolver produtos que, de fato, irão agradar seus clientes, sem erros. Vamos lá!

1. Estabeleça um padrão no produto final

Encontrar um produto com falha em meio a um lote deixa claro que houve erro de processo. E mais: que não há um padrão pré-definido, dificultando a produção e isso é extremamente negativo aos olhos do cliente.

Para driblar isso, é preciso ter amplo conhecimento sobre a origem da matéria-prima. Testes físicos e químicos podem ser usados ​​para caracterizar perfis de pureza e impureza de diferentes fontes, por exemplo.

Dessa forma, é possível especificar o perfil que deve ser utilizado para que não ocorram perdas. Para isso, crie checklist de especificações para cada tipo de material exclusivo utilizado no processo de fabricação. Ou seja, não crie especificações gerais para uma categoria inteira. 

Se sua lista for muito abrangente, terá mais chances de contar com problemas de variação. Interferindo, assim, na qualidade final do produto. Mantenha o padrão nos mínimos detalhes.

2. Faça inspeções na pré-produção

Lembra que falamos sobre a importância de dar uma atenção especial ao recebimento da matéria-prima? Pois um trabalho bem feito nessa etapa evita uma série de consequências posteriores.

Aqui, é fundamental que exista uma boa comunicação entre as indústrias e os fornecedores dos insumos. Assim, quando houver um problema, essa interação vai ajudar a determinar a causa. Permitindo que as empresas atuem juntas para fazer os ajustes necessários.

E mais: é fundamental fechar um contrato que delimita quais são os pontos que podem ser levados como fatores de recebimento ou não da matéria-prima. Devem existir critérios claros de aceitação e rejeição, para evitar conflitos.

Dica: Você pode incorporar critérios adicionais para garantir a segurança e autenticidade da matéria-prima. Pergunte-se o que você gostaria de saber sobre o material antes de aceitá-lo. Por exemplo:

  • Está na temperatura correta? 
  • Está devidamente rotulado? 
  • A embalagem está intacta e sem evidência de adulteração?

Além disso, é interessante ter profissionais capacitados cuidando exclusivamente dessa etapa do processo de produção. É um ponto inicial, logo, muito importante.

3. Métodos de entrega

A forma com que as matérias-primas são entregues também deve ser avaliada. Uma vez que podem ocorrer diversos contratempos no processo de produção caso aconteça problemas nessa etapa.

Imagine que o seu negócio é um restaurante e, entre as suas matérias-primas, estão as frutas. Caso a operação logística do fornecedor inclua várias entregas antes da sua, corre o risco dos alimentos chegarem machucados ou mesmo muito maduros. Isso pode fazer com que você não consiga entregar os sucos no dia, por exemplo.

Ou seja, dependendo do tipo de material, o processo de fabricação teria que ser abortado em caso de atraso, além de prejudicar consideravelmente a experiência do cliente com a sua marca. Ninguém quer passar por isso, né?

Dessa forma, não custa negociar esse ponto com o fornecedor ou até mesmo rever a sua forma de aquisição.

4. Direcionamento na APQP

Por fim, um parâmetro que não pode ficar de fora no controle de qualidade da matéria-prima é o trabalho feito em cima do APQP. Trata-se da sigla de Advanced Product Quality Planning ou Planejamento Avançado da Qualidade do Produto. 

Essa ferramenta de gestão da qualidade possui 5 fases e funciona como um guia de processos para reduzir possíveis falhas, sendo muito usada pelas grandes companhias.

Basicamente, o trabalho é baseado em:

  1. Análise das embalagens dos produtos;
  2. Avaliação do design;
  3. Conformidade em relação às Normas Regulamentadoras;
  4. Diversos outros pontos que se referem à qualidade.

Produtos complexos e cadeias de suprimentos apresentam muitas possibilidades de falha, especialmente quando novos produtos estão sendo lançados. Nesse cenário, o APQP é um grande aliado, porque garante a satisfação com novos produtos e processos.

Dica: Os profissionais da área de qualidade precisam ter o entendimento sobre as principais metodologias aplicadas no mercado e uma delas é o APQP.

Por isso, é necessário que os especialistas responsáveis por esse processo na empresa participem de cursos, eventos e demais formas de aprendizado para sua equipe ficar sempre por dentro das novidades.

5. Implementação de tecnologia 

Com certeza você já ouviu falar muito sobre isso e não é por acaso. Investir na implementação de tecnologia garante um controle eficiente e sem erros.

Para isso, invista em softwares que oferecem integração e segurança, como é o caso do Checklist Fácil

Através da plataforma, é possível supervisionar as inspeções e checagens, mantê-las integradas e criar checklist de produtos e serviços. Além disso, ela permite fazer automatização de processos, a integração com demais sistemas, como Power Bi, dispor todos os dados na nuvem, gerar relatórios e muito mais! 

Com a tecnologia, você consegue ter todos os dados necessários na palma da mão, garantindo uma gestão mais transparente e uma melhoria contínua

Em resumo, esses são alguns passos simples que você deve cumprir na sua empresa, visando colocar o controle de qualidade da matéria-prima para funcionar de forma efetiva. 

Agora, entenda quais são os principais problemas que podem ocorrer caso você não dê a devida atenção a esse tema. E, claro, aprenda a evitá-los.

O que pode ocorrer se eu não controlar a qualidade da matéria-prima?

Resumidamente, o ponto mais crucial aqui é a possível ocorrência de prejuízos significativos para a sua fábrica. Isso porque, sem o controle de qualidade da matéria-prima, você corre o risco de ocorrerem diversos contratempos no processo de produção.

Quer um exemplo? Vamos supor que você recebeu um insumo que estava comprometido e não atendia aos requisitos para a produção. Se isso não for detectado logo no seu recebimento, a não conformidade pode ser descoberta apenas no final do processo de transformação.

Ou seja, esse lote passou pelos equipamentos, ocupou tempo e energia dos colaboradores e utilizou outras matérias-primas. Tudo para chegar na última etapa e perceberem que o produto não está de acordo. E, portanto, precisa ser descartado.

Isso leva a um prejuízo financeiro desnecessário e uma lacuna de tempo gasto pelos funcionários, que poderiam estar gerando algo lucrativo. 

O exemplo deixa claro as consequências que podem ocorrer: os prejuízos com matéria-prima mal utilizada, desperdício de tempo e de trabalho das máquinas e dos colaboradores e o uso indevido do almoxarifado com uma remessa que será descartada.

Convenhamos que o estrago é grande. Agora imagine realizar isso com frequência. Não dá!

Certamente pode levar uma indústria a ter que fechar as portas. Uma vez que, além de não ter produto de qualidade para comercializar, ainda tem custo alto e desnecessário. 

Sem falar na insatisfação do cliente, que ainda pode vir a receber produtos com erros. Afinal, se ele passou pela produção, existe a chance de chegar ao cliente sem que você saiba.

Em outras palavras, o desperdício de tempo, dinheiro e o risco de expor a empresa a erros que poderiam ser evitados, são agravantes aqui e motivos para investir o mais rápido possível na implementação de um controle de qualidade da matéria-prima bem estruturado

Agora, para você entender melhor essa realidade e como ela pesa no bolso da empresa, vamos abordar a questão financeira mais a fundo a seguir.

Qual o impacto financeiro da falta de controle de qualidade?

Os custos envolvidos em uma produção são diversos. Afinal, não abrange apenas o que foi gasto para adquirir os insumos. Mas também os recursos humanos e a infraestrutura que fazem parte desse processo. 

Bem como o fato de que não se gasta apenas uma matéria-prima na produção, ou seja, aquela única com defeito, também vai prejudicar qualquer outro item usado no processo. Dessa forma, muitas vezes é necessário descartar demais itens e equipamentos.

Assim sendo, é importante parar e calcular quanto a sua empresa está perdendo devido a falta de controle de qualidade da matéria-prima. Pergunte-se:

  • Quantas vezes a indústria teve problemas devido às não conformidades dos insumos?
  • Quanto custa a hora/máquina e a hora/homem da sua fábrica para produzir uma remessa? 
  • Qual o valor total dos materiais utilizados para fabricar uma remessa?
  • Quanto custa para refazer o processo?

Fez os cálculos? Agora tenha esses números em mente na hora de otimizar a gestão da qualidade. Lembre-se que, quanto mais cedo as não conformidades forem detectadas, menor será o impacto financeiro.

Para isso, é necessário contar com profissionais preparados e de confiança, que saibam tomar as decisões certas para manter um padrão de qualidade que a empresa precisa para se manter competitiva no mercado. 

A seguir, confira mais informações sobre essa atuação e sua importância de forma geral dentro de um negócio, para não errar na hora de escolher o profissional ideal para desempenhar essa função.

Quais profissionais podem contribuir para o controle de qualidade da matéria-prima?

Além dos profissionais encarregados pela pesquisa e pelo desenvolvimento, existem outros especialistas que podem contribuir nesse controle. Inclusive, ao juntar pessoas de diferentes setores, as chances de obter êxito aumentam significativamente.

Por esse motivo, a dica é investir em um setor exclusivo para cuidar dessa etapa tão importante, zelando por todos os detalhes e controlando qualquer possibilidade de erro que possa vir a acontecer.

Alguns profissionais que podem ser acionados nessa atividade são:

Qualidade

O profissional de qualidade tem sido cada vez mais requisitado e é indispensável, principalmente na área industrial. 

Isso porque ele é garantidor de processos bem definidos e que geram melhoria contínua –  tanto para o ambiente de trabalho quanto pensando na experiência do cliente. 

Este profissional é o responsável por garantir que as especificações técnicas estão sendo atendidas, inspecionando os serviços e realizando testes. 

Produção

Falando diretamente do ponto focal dessa discussão, o profissional que atua na produção é a parte da equipe responsável por colocar a “mão na massa”. 

Por exemplo, é essa pessoa que vai apontar formas mais adequadas para manipular e processar as matérias-primas – para que não sofram danos ao longo das etapas. 

Basicamente, trata-se do profissional que entende dos processos e, portanto, está suscetível aos erros. Por isso, é necessário que seja alguém responsável e focado nas tarefas.

Venda

Por último, temos o profissional de vendas, que é a principal fonte entre os interesses da empresa e o relacionamento do cliente, além de toda a experiência do mesmo com a marca, do início ao final do processo de vendas. 

Os profissionais de venda auxiliam na definição de um produto que supra as necessidades do público e que tenha preço coerente com o mercado.

É indispensável que ele esteja integrado com o restante da equipe, entendendo cada processo, especificações de produto e propósitos da empresa.

Resumidamente, aqui podemos observar uma equipe completa e pronta para contribuir para um controle de qualidade da matéria-prima mais ágil e eficiente.

Finalmente, você já entende tudo sobre o assunto, mas se ainda existe algum receio ou dúvida, confira o próximo tópico.

Principais vantagens de realizar o controle de qualidade da matéria-prima

O controle de qualidade da matéria-prima é importante para as empresas. Porém, esse trabalho precisa ser feito sempre com o foco no resultado final. Ou seja: visando entregar itens de qualidade para os consumidores, de forma a satisfazer suas necessidades.

Pensando dessa forma, as chances de sucesso são ainda maiores. Afinal, isso impacta diretamente nos resultados e na imagem da empresa.

Além de melhorar a experiência do seu consumidor final, ainda é possível otimizar processos dentro da empresa. 

Ou seja, manter um bom sistema para o controle de qualidade da matéria-prima garante processos mais organizados, funcionários melhor aproveitados, mais economia com menos chances de prejuízos e mais rentabilidade, bem como uma gestão de qualidade.

Através dessa mudança, a empresa terá a oportunidade de ser mais organizada, rentável e ainda se destacar pelos melhores produtos e/ou serviços, mantendo-se competitiva no mercado.

O Checklist Fácil pode lhe ajudar nos processo de inspeção e checagem da qualidade. Quer saber como? Faça um teste grátis por 15 dias e descubra!

Produtora de Conteúdo em Checklist Fácil
Jornalista e especialista em Comunicação Empresarial, sou apaixonada por marketing, escrever, criar e inovar. Além disso, amo correr, ler, ver filme e curtir uma praia.
Estefânia Martins

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *