Quais são as melhores ferramentas para mapear processos industriais?

Mais do que diagramas, as ferramentas de mapeamento de processos industriais trazem insights que podem impulsionar a otimização e a inovação nas empresas. Saiba mais sobre o tema com a leitura deste artigo!
Atualizado em: 4 de junho de 2024
Tempo de leitura: 8 minutos

Usar boas ferramentas de mapeamento de processos industriais é estratégico para melhorar a eficiência dos negócios do setor. Mais do que simples diagramas, elas trazem insights que podem impulsionar a otimização e a inovação nas empresas.

Afinal, essa é uma prática essencial para que uma organização possa, de fato, conhecer o seu dia a dia. A partir disso, é possível encontrar gargalos, padronizar a realização de tarefas e reduzir a probabilidade de erros na operação. 

Quer saber quais são os recursos ideais para usar na indústria? Então, continue a leitura do artigo para entender como as ferramentas de mapeamento podem impactar positivamente no desempenho da produção industrial, além de descobrir como escolher a opção ideal de recurso para a sua empresa!

Por que é importante usar ferramentas para mapear processos industriais?

Usar ferramentas para mapear processos industriais é fundamental por diversas razões. Conheça as principais:

  • Melhoria da eficiência operacional: o mapeamento de processos permite visualizar claramente cada etapa de um processo, identificando gargalos, redundâncias ou ineficiências. Isso facilita a reorganização ou a eliminação de etapas desnecessárias, melhorando a eficiência geral;
  • Redução de custos: ao otimizar processos e eliminar desperdícios, as empresas podem reduzir custos significativamente. Isso inclui a redução do uso de recursos, menos horas de trabalho necessárias para tarefas ineficientes e menor desperdício de materiais;
  • Padronização e consistência: ferramentas de mapeamento ajudam a padronizar processos, garantindo que todas as tarefas sejam executadas de maneira uniforme. Isso leva a uma maior qualidade dos produtos e menor variabilidade nos resultados, o que é crucial para manter a consistência em operações de larga escala;
  • Facilitação da comunicação: os mapas de processo servem como uma linguagem comum para todos os envolvidos, desde a gestão até o chão de fábrica. Eles ajudam a explicar processos complexos de forma simples e clara, facilitando a comunicação e o entendimento entre diferentes departamentos e equipes;
  • Cumprimento de normas e regulações: em muitas indústrias, especialmente nas áreas de saúde, alimentação e fabricação, cumprir normas regulatórias é essencial. O mapeamento de processos ajuda a garantir que todas as etapas atendam aos padrões necessários e facilita a auditoria de conformidade;
  • Inovação e melhoria contínua: com uma visão clara dos processos atuais, é mais fácil identificar áreas para inovação. Ferramentas de mapeamento podem destacar oportunidades para implementar novas tecnologias, melhorar a automação ou refinar a logística e a distribuição;
  • Gestão de riscos: ao entender completamente os processos, as empresas podem identificar potenciais riscos associados a cada passo. Isso permite a implementação de medidas preventivas e a preparação para possíveis interrupções, minimizando impactos negativos.

Quais processos industriais devem ser mapeados?

Na indústria, praticamente todos os processos podem se beneficiar do mapeamento, mas alguns são especialmente críticos para a eficiência e competitividade de uma empresa:

Produção e manufatura

Qualquer processo que envolva a transformação de matérias-primas em produtos finais é um candidato principal para mapeamento. Isso inclui todas as etapas, desde o recebimento dos materiais, passando pela fabricação e indo até o controle de qualidade e embalagem.

Logística e distribuição

Os processos de logística, que incluem armazenamento, manuseio de materiais, e transporte de produtos acabados aos clientes, são vitais. Mapeá-los ajuda a otimizar o fluxo de materiais e reduzir custos e tempos de entrega.

Aquisições e suprimentos

Os processos de compra de matérias-primas e outros insumos são fundamentais para garantir a continuidade das operações e a qualidade dos produtos. Mapear esses processos ajuda a identificar fornecedores confiáveis e a negociar melhores condições.

Manutenção de equipamentos

O mapeamento de processos de manutenção pode ajudar a prevenir paradas inesperadas e prolongar a vida útil dos equipamentos. Isso inclui todos os tipos de manutenção: corretiva, preventiva e preditiva.

Controle de qualidade

Processos que asseguram a qualidade dos produtos são essenciais para a satisfação do cliente e para a conformidade regulatória. Mapear esses processos colabora para identificar pontos críticos que afetam a qualidade e implementar melhorias contínuas.

Gestão de resíduos e efluentes

Mapear o tratamento e a disposição de resíduos e efluentes é crucial para o cumprimento de regulamentações ambientais e para a sustentabilidade operacional.

Recursos humanos e treinamento

Mapear os processos de gestão de recursos humanos e treinamento pode melhorar a eficiência e a eficácia da força de trabalho. Isso inclui desde o recrutamento e a seleção até o desenvolvimento profissional e a retenção.

Segurança e saúde ocupacional

Processos que envolvem a segurança dos trabalhadores e o cumprimento das normas de saúde ocupacional são vitais para evitar acidentes e garantir um ambiente de trabalho seguro.

BAIXE GRÁTIS | Kit Estratégico para Indústrias, com planilhas e ebooks

Qual é a diferença entre mapa de processo, diagrama de processo e modelo de processo?

Na gestão de processos industriais e de negócios, as terminologias “mapa de processo”, “diagrama de processo” e “modelo de processo” são frequentemente usadas. Mas, embora estejam relacionadas, elas têm significados distintos e aplicações específicas.

Enquanto o mapa de processo oferece uma visão geral e facilita o entendimento básico do fluxo de trabalho, o diagrama de processo é mais específico, incluindo detalhes técnicos, úteis para análise e design precisos. 

O modelo de processo, por sua vez, é uma construção ainda mais complexa e dinâmica que dá suporte à simulação e à experimentação, sendo uma ferramenta poderosa para a tomada de decisão estratégica e operacional. 

Cada um desses elementos desempenha um papel importante no ciclo de vida da gestão de processos, dependendo do objetivo específico e do estágio de análise ou implementação.

Mapa de processoDiagrama de processoFluxo de processo
DefiniçãoRepresentação simplificada que descreve a sequência de atividades dentro de um processo. Ele mostra as etapas do processo de forma sequencial e pode incluir informações básicas, como quem é responsável por cada etapa.Representação gráfica mais detalhada e técnica de um processo. Ele utiliza símbolos específicos para representar diferentes tipos de ações, decisões ou materiais envolvidos nas etapas do processo.Representação abstrata e teórica de um processo, frequentemente criada usando software de modelagem de processos. Ele inclui não apenas as etapas e o fluxo, mas também elementos como entradas e saídas, interdependências e regras de negócios.
UsoÉ utilizado principalmente para entender o fluxo de trabalho atual e identificar áreas de melhoria. Mapas de processo são ferramentas acessíveis para a comunicação de processos entre diferentes níveis da organização.É útil para análise detalhada e para documentação técnica. Eles ajudam os profissionais a explorar como os processos funcionam em detalhes e são frequentemente usados na fase de design ou reengenharia de processos.Usado para simulação e otimização, permite que as organizações testem mudanças nos processos em um ambiente virtual antes de implementá-las na realidade, facilitando a previsão de resultados e a minimização de riscos.

Quais são as principais ferramentas para mapear processos industriais?

No contexto industrial, diversas ferramentas são utilizadas para mapear processos, cada uma oferecendo funcionalidades distintas que se adequam a diferentes necessidades e objetivos:



Para mais esclarecimentos sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia nosso Aviso de Privacidade.

Fluxogramas

Talvez a ferramenta mais básica e amplamente utilizada, os fluxogramas mostram a sequência de etapas de um processo por meio de símbolos padrão. Eles são fáceis de entender e podem ser usados para mapear praticamente qualquer tipo de processo.

fluxograma

SIPOC (Suppliers, Inputs, Process, Outputs, Customers)

Essa ferramenta fornece uma visão de alto nível do processo, identificando fornecedores, entradas, saídas, clientes e o próprio processo. É útil para entender os contextos mais amplos em que o processo opera.

Value Stream Mapping (VSM)

Muito usado no Lean Manufacturing, o VSM mapeia o fluxo de materiais e informações necessárias para levar um produto ou serviço ao cliente. A ferramenta é fundamental para identificar desperdícios e promover a eficiência na produção.

Diagramas de Ishikawa

Utilizados para identificar e visualizar as causas principais de um problema dentro de um processo, os Diagramas de Ishikawa ajudam a focar as intervenções nos fatores que realmente impactam o desempenho.

BAIXE GRÁTIS | Modelo customizável para Diagrama de Ishikawa

BPMN (Business Process Model and Notation)

O BPMN é uma notação gráfica mais formal que é utilizada para modelar processos de negócios em um formato que tanto profissionais técnicos quanto não técnicos podem entender. É muito útil para modelar processos que envolvem sistemas de informação.

PDCA (Plan-Do-Check-Act)

Embora mais uma metodologia do que uma ferramenta de mapeamento em si, o PDCA é crucial no ciclo de vida do mapeamento de processos para planejar melhorias, implementá-las, verificar os resultados e agir com base no feedback.

5S

O 5S é uma técnica que foca na organização do local de trabalho (Sort, Set in order, Shine, Standardize, Sustain) e pode ser utilizada para mapear e melhorar processos, garantindo que os ambientes de trabalho sejam eficientes e seguros.

Checklists 

Elaborar checklists de processos é uma opção que complementa o mapeamento: a partir de uma lista de verificação, por exemplo, é possível relacionar, item a item, quais são as atividades que precisam ser realizadas de forma concisa e organizada. Assim, nenhuma tarefa ficará de fora do seu mapa de processos.   

Como escolher a melhor ferramenta de mapeamento de processos em indústrias?

Escolher a melhor ferramenta de mapeamento de processos para uma indústria específica envolve avaliar uma série de fatores que vão desde as necessidades operacionais específicas até a facilidade de uso e integração com sistemas existentes:

Estabeleça os objetivos do mapeamento

Determine o que você espera alcançar com o mapeamento de processos. Por exemplo, você está buscando aumentar a eficiência, reduzir custos, melhorar a qualidade ou facilitar a formação e comunicação? A ferramenta escolhida deve alinhar-se claramente com esses objetivos.

Analise a complexidade dos processos

Considere a complexidade dos processos que precisam ser mapeados. Algumas ferramentas são melhores para processos simples e diretos, enquanto outras são projetadas para lidar com processos altamente complexos e interdependentes.

Defina os usuários da ferramenta

Avalie quem usará a ferramenta. Ela precisa ser acessível e compreensível para os colaboradores que a utilizarão, sejam eles engenheiros de processo, gerentes de linha de produção ou operadores. A capacidade de customização e o suporte para múltiplos níveis de usuário também são importantes.

Priorize opções passíveis de integração com outros sistemas

A ferramenta deve integrar-se de forma eficaz com outros sistemas de gestão usados na empresa, como ERP (Enterprise Resource Planning), MES (Manufacturing Execution Systems) e sistemas de qualidade. A integração facilita a automação e o fluxo de informações, tornando o mapeamento de processos mais eficiente.

Investigue características sobre facilidade de uso e suporte

A solução deve ser intuitiva e fácil de usar para facilitar a adoção pelos usuários. Além disso, é importante considerar o suporte oferecido pelo fornecedor, incluindo treinamento, recursos de ajuda e assistência técnica.

Questione a escalabilidade do recurso

A ferramenta escolhida deve ser escalável para acompanhar o crescimento da empresa e a evolução de seus processos. Isso inclui a capacidade de lidar com um número crescente de processos, usuários e dados.

Examine o custo-benefício

Analise o custo total de propriedade da ferramenta, incluindo licenças, treinamento, implementação e manutenção. É vital que a ferramenta ofereça um bom retorno sobre o investimento, proporcionando melhorias mensuráveis que justifiquem o custo.

Descubra o potencial para análise e feedback

Escolha uma ferramenta que não apenas mapeie os processos, mas também ofereça funcionalidades analíticas para avaliar a eficácia dos processos e sugerir melhorias. A capacidade de coletar e analisar feedback em tempo real pode ser um diferencial importante.

Participe de demonstrações e busque avaliações

Antes de tomar uma decisão final, solicite demonstrações da ferramenta e considere realizar um período de avaliação para testá-la no ambiente da sua empresa. Isso pode ajudar a identificar quaisquer problemas de compatibilidade ou usabilidade antes de um compromisso de longo prazo.

Por que o Checklist Fácil auxilia no mapeamento de processos industriais?

O Checklist Fácil é a ferramenta ideal para mapear, centralizar, padronizar e digitalizar todo tipo de processo na sua empresa. Nesse sentido, o principal ganho da solução está na oportunidade de centralizar as atividades de diferentes equipes, departamentos ou unidades em um único software. 

Portanto, ao digitalizar todos os processos, as empresas têm a chance de compreender se todos estão cumprindo seu papel ou se há alguma oportunidade de ajuste para maximizar os resultados da operação. Com isso, podemos afirmar que o Checklist Fácil ajuda a mapear as melhorias necessárias com base na metrificação dos processos

São mais de 150 funcionalidades, e entre as que mais se relacionam ao mapeamento de processos industriais estão:

  • Criação de checklists inteligentes;
  • Configuração de workflows com fluxos de trabalho completos;
  • Possibilidade de indicar interdependências entre as atividades;
  • Contestação de item;
  • Inclusão de mídias (fotos, vídeos ou PDFs) para comprovações ou para aprofundar o detalhamento sobre o que deve ser executado;
  • Integração com Inteligência Artificial para criação de checklists de processos em poucos segundos;
  • Relatórios gerados em tempo real;
  • Assinatura digital.

Quer saber mais sobre como podemos ajudar no seu mapeamento de processos industriais? Solicite agora uma demonstração!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideal para o seu negócio!

Categorias

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.

25 de Abril | 16h | ao vivo

Boas Práticas
de SST:

Como zerar acidentes e criar processos eficientes de segurança