Indústria de base: entenda o que é, o que produz e as principais características

Conheça os detalhes da indústria base, qual o cenário atual dessas empresas no Brasil e entenda, ainda, os motivos que fazem delas um segmento fundamental na economia.

Tempo de leitura: 7 minutos
Exemplo de indústria de base

Quando falamos sobre os pilares da economia, a indústria de base sempre está presente nessa lista. Afinal, é através dela que todo o mercado consegue ter acesso às matérias-primas necessárias e outros itens para o desenvolvimento de novos produtos ou serviços. Mas, você já conhece os detalhes desse tipo de indústria?

Todos os produtos físicos são compostos de uma combinação de materiais básicos. Eles são processados ​​para criar um novo produto, já na sua versão final. Nesse caso, a indústria de base é a primeira etapa na cadeia de abastecimento de diversos itens, incluindo recursos naturais. Portanto, todas as empresas que trabalham com entrega de matérias-primas fazem parte desse segmento.

A produção de qualquer produto que consumimos segue uma cadeia de eventos semelhante: as matérias-primas são extraídas, transformadas, compradas por outras empresas, que depois refinam para criar o produto final. Por isso, precisamos entender como a indústria de base funciona e o papel que ela possui no início dessa cadeia.

O que é indústria de base?

Também conhecida como indústria de bens de produção, a indústria de base é aquela que produz e fornece matérias-primas e máquinas necessárias para outros setores e para a fabricação de bens. Alguns exemplos são a produção de ferro, aço, fundição de cobre e alumínio. 

O seu papel é coletar a matéria-prima que ainda está em estado bruto na natureza – e normalmente é encontrada misturada com outros elementos. E trabalhar para entregá-la no estado necessário para outras indústrias, como a de bens de consumo, cuja produção é focada diretamente no consumidor final.

Resumindo, a atividade principal dessa indústria é entregar substâncias úteis para serem utilizadas em outros segmentos.

Mas, para atingir efetivamente o objetivo acima, a indústria de base requer não apenas o acesso a áreas de extração das matérias-primas, mas também:

  • Grandes quantidades de energia, necessária para atuar com a transformação da matéria para o estado esperado;
  • Maquinário especializado, ou seja, os equipamentos adequados para lidar com o tipo de trabalho realizado;
  • Muitos recursos humanos, tendo em vista que, para atender a demanda, esse tipo de indústria conta com um grande número de colaboradores, envolvidos em diferentes etapas do processo;
  • Alto investimento em capital, uma vez que o valor necessário para começar uma indústria de base é elevado, na comparação com qualquer outro tipo de empresa;
  • Grandes mercados com alta capacidade de compra, pois o trabalho da indústria de base só faz sentido se existir negócios dependentes dos materiais entregues.

O que a indústria de base produz?

O setor se desenvolve em torno dos negócios que lideram o processo de descoberta, desenvolvimento e processamento de matérias-primas, como madeira e extratos metálicos. E, até mesmo, para a produção de energia, como petróleo bruto, carvão e gasolina.

Para ficar mais claro quais empresas se encaixam nessa descrição da indústria de base, conheça os 4 principais ramos:

  1. Metalúrgico: Responsável pela produção de metais e ligas metálicas, como ferro, ouro, prata e bronze;
  2. Siderúrgico: Responsável pela fabricação e tratamento de aços e ferros fundidos;
  3. Petroquímico: Além de lidar com a refinação de petróleo, é responsável por outras matérias-primas, como o gás natural, querosene, gases liquefeitos de petróleo e gases residuais de refinaria;
  4. Cimento: Atua na produção desse produto básico, usando na construção de moradias e demais obras de infraestrutura.

Além desses materiais essenciais para toda a cadeia de produção global, também contamos com a Indústria de Base Tecnológica (IBT). Esse é um grupo de empresas que está dentro do segmento de indústrias de base. São responsáveis por entregar máquinas essenciais para quase todos os setores e segmentos econômicos.

Na sua maioria, a entrega desse segmento engloba equipamentos, ferramentas, embalagens e peças para outras indústrias. Incluindo aquelas que atuam com:

  • Aparelhos industriais;
  • Máquinas operatrizes;
  • Fibras sintéticas.

Principais características desse tipo de indústria

A indústria de bens de produção representa um dos setores básicos da economia brasileira. Seu volume de produção é um dos fatores mais importantes para os planos econômicos e para a política de desenvolvimento nacional. Mas, essa é só uma das características desse setor.

O mercado de materiais básicos também é marcado pela dependência da demanda dos produtos que utilizam na produção. Como todos os bens físicos são criados a partir de algum tipo de matéria-prima, a demanda varia muito entre os mercados.

Por exemplo: a demanda por cimento é fortemente ligada ao mercado imobiliário. Se há um grande nível de consumo e demanda por novas casas, o mesmo ocorre pelo cimento.

Outra característica que devemos destacar quando olhamos para o setor de materiais básicos é a oferta finita de recursos naturais. Se o custo para descobrir e produzir esses materiais aumenta, o mesmo acontecerá com os produtos de consumo feitos a partir deles.

Por isso, os governos influenciam diretamente esse segmento da indústria. São as esferas de governo que adotam medidas, como a cobrança de impostos sobre os insumos, para ajudar a controlar e limitar a exploração dos recursos naturais.

Subsetores da indústria de base

Existem vários subsetores na indústria de base que estão inseridos naqueles quatro ramos principais que já listamos aqui. Porém, podemos incluir como exemplo a produção de produtos químicos, mineração e produtos florestais.

O subsetor de produtos químicos inclui uma ampla gama de produtos, como fertilizantes agrícolas, gases industriais e produtos químicos especiais, usados ​​para fazer colas e tintas.

Falando de metais e mineração, também existe uma ampla gama de materiais, incluindo minerais-minérios de ferro como hematita, magnetita e bauxita, e matérias-primas como alumínio e aço.

Já a silvicultura consiste em empresas que colhem árvores para produzir madeira, papel, papelão e outros produtos semelhantes.

Qual a importância da indústria de base?

A indústria de base é uma atividade fundamental na economia de qualquer país. Uma vez que é responsável por esse processamento e transformação de produtos naturais em matérias-primas. Sem isso, o mercado não consegue produzir outros produtos acabados e semiacabados que a população consome de forma contínua no dia a dia.

Existe, também, uma importância histórica desse setor que não pode ser apagada. Afinal, foi o gradual crescimento e expansão da indústria de base que levou à criação e expansão de outros setores que agora fazem parte da sociedade moderna.

Assim, ele representa uma questão chave para o estabelecimento de uma economia forte e de longo prazo para o desenvolvimento de qualquer país. Inclusive, esse tipo de indústria é um dos pontos observados por investidores internacionais, que visam entender a sua capacidade de produção.

6 vantagens da indústria de base para o desenvolvimento do país

Veja, a seguir, quais são os benefícios que essas indústrias oferecem pensando no desenvolvimento de qualquer país:

  1. Melhora a utilização dos recursos naturais: Graças ao alto volume de indústrias que dependem dos recursos naturais, o consumo deles seria desregulado sem a indústria de base – que faz um trabalho regulamentado em torno desses recursos;
  2. Diminuição dos níveis de desemprego: O desenvolvimento de novas indústrias exigirá sempre muitos recursos humanos, com o consequente aumento das vagas de emprego na região em que elas ficam estabelecidas;
  3. Impacto no PIB: As indústrias de base contribuem com boa parte do PIB (Produto Interno Bruto) de qualquer país, impactando, também, no nível de renda e na capacidade de investimentos da população em geral;
  4. Apoio a outros setores econômicos: Essa indústria também ajuda no desenvolvimento de outros setores econômicos quando lidam com diferentes matérias-primas para transformá-las. Isso também ajuda em diferentes mercados, diversificando, assim, a economia e promovendo o comércio exterior;
  5. Melhoria de setores estratégicos de vários países: Esse tipo de industrialização ajuda no desenvolvimento de muitos setores estratégicos, como energia, transporte, construção, químico, entre outros. Além disso, as indústrias contribuem fortemente para as receitas do governo, devido às cobranças de diferentes impostos – impactando positivamente na melhoria da infraestrutura pública;
  6. Maior independência econômica: A produção de diversos bens essenciais auxilia na implementação de medidas de substituição de importações. Que, ao mesmo tempo, ajudam qualquer país a minimizar sua dependência de importações estrangeiras.

Cenário atual da indústria de base no Brasil é de investimentos em inovação

Agora que já entendemos a importância e qual a vantagem desse tipo de indústria dentro de qualquer país, é hora de olhar para o Brasil. Afinal, qual o cenário atual desse mercado?

Segundo o estudo realizado pela EBAPE (Escola de Administração Pública e de Empresas da FGV), entre março de 2015 a março de 2017, ficou claro que a indústria de base do país é a que mais investe em inovação

Isso comprova que o avanço em pesquisas e tecnologias dentro da indústria é o caminho utilizado para atuar em duas frentes importantes: solução de problemas e aumento da produtividade.

Esse cenário fica ainda mais claro quando olhamos para as tendências de inovação que surgem no país nesses últimos anos. Tecnologias envolvendo soluções IoT (Internet das Coisas) e Inteligência Artificial – ligadas diretamente ao surgimento da Indústria 4.0 – são cada vez mais utilizadas..

Claro que a pandemia da Covid-19 afetou o setor básico de forma bastante severa. Tivemos uma redução histórica no consumo de matéria-prima, já que a demanda de diversos setores e regiões caíram. Materiais como concreto e petróleo bruto tiveram quedas drásticas no início do período, com uma lenta recuperação ao longo do ano de 2020.

Esse movimento colocou um freio na busca por inovação, com as empresas focando em otimizar seus recursos e reduzir custos. Vale destacar que o ouro e os metais preciosos aumentaram o valor, visto que são amplamente considerados como commodities, mesmo em tempos de crise.

Importância de fazer a gestão de processos na indústria de base

Você já deve ter percebido que o funcionamento da indústria de base passa por diferentes etapas. Elas vão desde a extração de cada matéria-prima específica até a sua transformação para a forma final que será distribuída.

Nesse caminho, existe uma série de processos intermediários, que exigem gestão e controle preciso. Assim como uma auditoria constante. 

É por isso que a gestão de processos é um dos trabalhos mais importantes na indústria de base. Ela é feita através de 3 passos fundamentais:

  1. Organização e planejamento: Definição das regras de trabalho, indo desde os equipamentos de proteção que serão utilizados até às determinações de segurança para os profissionais envolvidos em cada etapa;
  2. Implementação da roteiro de execução: Estabelecimento da rotina de trabalho;
  3. Checagem e inspeção: Etapa de verificação das ações, para garantir que todas estão seguindo as recomendações e dentro dos padrões de qualidade necessários.

Há uma série de vantagens em adicionar etapas de checagem, sejam de materiais ou do trabalho em si, no dia a dia da indústria básica. Devido à interdependência entre as etapas, o desempenho da produção depende desse tipo de gestão.

Para aquelas que lidam com os estoques de materiais básicos, o uso de ferramentas de auditoria é um investimento ainda mais importante e lucrativo. Esse processo evita lidar com perdas e garante que o fluxo de produção esteja dentro do previsto para determinado período.

Conte com a Checklist Fácil para gerenciar os processos na indústria de base

No período atual, nenhuma dessas ações de checagem e auditoria precisam continuar acontecendo de forma manual, usando acompanhamento com papel ou fichas de inspeção. Com a solução certa, você já consegue digitalizar todo o processo.

A Checklist Fácil, líder em checklist digital na América Latina, é a ferramenta ideal para esse processo: ela otimiza a realização de todas as auditorias, inspeções e checagens.

Ela conta com mais de 100 funcionalidades para facilitar a vida de quem lida diretamente com a gestão de processos. Entre elas, a indústria pode contar com:

  • Criação de listas de verificação;
  • Agendamento das auditorias;
  • Obrigatoriedade de tirar fotos dos locais para comprovação;
  • Relatórios automatizados;
  • Insights e análises completas para tomada de decisão.

Com isso, é possível eliminar até 100% o uso de papel em checagens, inspeções e vistorias. Todos os dados colhidos são armazenados na nuvem, podendo ser acessados por qualquer dispositivo quando e onde precisar. O resultado final é a padronização dos processos internos.

É isso que está precisando? Então, não perca tempo. Agende uma demonstração gratuita agora mesmo com os nossos especialistas e veja como podemos ajudar a sua indústria!

Convidados especiais fazem parte do nosso blog. Especialistas incríveis que podem contribuir com conteúdo de qualidade para os leitores.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *