Indústria de embalagens: 10 coisas que toda pessoa gestora precisa saber

De extrema importância para a economia brasileira, a indústria de embalagens está em constante evolução e se destaca por seus desafios e oportunidades.
Atualizado em: 26 de outubro de 2022
Tempo de leitura: 7 minutos

Grande empregadora e um importante termômetro para a economia brasileira como um todo, a indústria de embalagens é uma janela para a análise da produção industrial do Brasil. Afinal, seu desempenho ajuda na identificação de tendências e comportamento do mercado.

Além de ajudar nas vendas, a qualidade da embalagem é fundamental para a preservação do produto comercializado. Do mesmo modo, também pode ser fator decisivo na escolha de compra do consumidor, a depender de sua aparência e do valor que agrega.

O consumidor está mais conectado e informado, e a tomada de decisão muitas vezes se dá por questões relacionadas à sustentabilidade.

E não acaba por aí: a produção na indústria de embalagens deve levar em conta a utilização de materiais regulamentados, que sigam normas técnicas e evitem perdas ou problemas com contaminação ao longo do transporte ou armazenagem do produto.

Vamos entender como tudo isso funciona e qual é o cenário brasileiro?

Qual a importância da indústria de embalagem para os demais setores?

É no desenvolvimento de novas soluções, que acompanha as principais tendências de mercado, que a indústria de embalagens pode se destacar. 

Nesse sentido, levando em conta a gama de materiais que podem ser utilizados, os processos de produção, design e características que as embalagens apresentam são determinantes para a movimentação de mercadorias de ponta a ponta — da produção à compra, passando pelos processos de transporte e armazenagem.

Também agrega valor à utilização do consumidor. Além da funcionalidade de proteção que a embalagem possui, ela deve ser de fácil manuseio e eficiente em seu propósito. 

Imagine a embalagem de um suco. Ela pode ser para consumo individual e, portanto, deve ser manejável para isso — acompanhando um canudo ou formatos específicos para o acesso à bebida. Por outro lado, embalagens maiores e que suportam mais litros nem sempre terão foco em portabilidade, mas sim em armazenagem segura e de fácil estocagem. 

A indústria de embalagens está continuamente em busca de inovações que tornem suas embalagens mais eficientes, funcionais e atraentes. Muito além do trocadilho, é preciso realmente pensar “fora da caixa”!

Isso estimula soluções inovadoras que modificam a forma que o consumidor percebe e até consome os produtos, bem como a forma que as marcas apresentam ideias. É uma dinâmica totalmente integrada e participativa, em que todos os setores influenciam e são influenciados pela indústria de embalagens. 

Algumas das principais tendências são:

  • Polímeros e filmes com múltiplas funções;
  • Embalamento asséptico, com atmosfera modificada e vácuo controlado;
  • Mecanismos de abertura e fechamento variados;
  • Tampas easy open e selos peel off em latas de aço, alumínio e fibra composta;
  • Rótulos sleeve;
  • Etc.

Qual o cenário da indústria de embalagens no Brasil?

Embora não fosse esperado, em função dos acontecimentos da pandemia de Covid-19, 2020 foi um ano importante para a indústria brasileira de embalagens. Só no nicho de embalagens plásticas flexíveis, o setor registrou alta de 5,4% no volume produzido em comparação ao ano anterior.

É o que mostra o estudo realizado pela Maxiquim para a ABIEF – Associação Brasileira de Embalagens Plásticas Flexíveis. Segundo ele, a produção atingiu 2,088 milhões de toneladas e o faturamento mostrou um desempenho ainda mais positivo: a alta foi de 30%, chegando a R$ 27,7 bilhões.

Além disso, o estudo mostrou que o principal mercado para as embalagens plásticas flexíveis ainda é a indústria de alimentos, que consumiu 826 mil toneladas das 2,088 milhões de toneladas. 

As aplicações industriais ficam em segundo lugar, com 371 mil toneladas, seguidas por descartáveis (239 mil t), bebidas (200 mil t), agropecuária (172 mil t), higiene pessoal (101 mil t), limpeza doméstica (101 mil t), pet food (45 mil t) e outros (32 mil t).

Principais desafios que esse tipo de indústria enfrenta

Apesar do cenário positivo e a importância inquestionável dessa indústria para o mercado, planejar toda essa operação é um grande desafio. Aqui, elencamos algumas das principais adversidades que os empresários e gestores do segmento devem se preparar:

1. Proteção bem pensada

Até aqui, você já pode perceber que a discussão sobre a qualidade na indústria de embalagens vai muito além da mera proteção. Atualmente, as marcas precisam estabelecer verdadeiros vínculos com seus clientes para aumentar a retenção e se estabelecer no mercado.

É por isso que a embalagem precisa ter uma forte estratégia de comunicação. Além de expor o produto e chamar atenção no PDV, as embalagens precisam trazer algo a mais e a indústria deve estar preparada para esse tipo de demanda. 

Aqui, também vale pensar na tendência dos produtos veganos. Os sustentáveis também estão em constante crescimento e não envolvem apenas a produção de embalagens retornáveis e recicláveis, como também o uso de matérias-primas conscientes, biodegradáveis, reutilizáveis e recicláveis.

2. Trajetória da embalagem

Ter sucesso na indústria de embalagens também exige bom entendimento sobre a jornada das embalagens. Afinal, a embalagem deve acompanhar o consumidor em todos os momentos de sua rotina — que está cada dia mais intensa. Embalagens que facilitem o transporte pessoal e facilitem o consumo na rua são demandas em crescimento. 

Vale a busca por novas tecnologias que permitam conservar alimentos por mais tempo, como a embalagem com atmosfera modificada (ATM) para carnes, legumes, verduras e frutas. 

3. Design inteligente

Vivemos a indústria 4.0, em que a expectativa do consumidor sobre a inovação é muito maior. Por isso, soluções que atendam às necessidades específicas são essenciais nesse sentido. 

Embalagens interativas, como aquelas que informam o consumidor sobre o vencimento do produto ou características de armazenamento por meio de alertas cromáticos são boas apostas para o futuro. 

Pode até parecer um cenário bastante futurista, mas esse tipo de embalagem é um exemplo sobre formatos que podem se popularizar nos próximos anos e a empresa que se antecipar a esse tipo de tendência tende a sair na frente dos concorrentes. 

4. Responsabilidade social e ambiental

A consciência ambiental e social não poderia ficar de fora! E essa não é uma demanda restrita à expectativa dos consumidores. Afinal, o mercado vem se transformando a partir das principais tendências e práticas de ESG – Environmental, Social and Governance. 

A cada ano que passa, o termo ESG ganha mais espaço no mundo corporativo. Isso porque investidores e consumidores estão valorizando as empresas que têm compromisso com as questões ambientais, sociais e de governança. Ou seja, que não buscam apenas o lucro a todo custo.

Além disso, ações globais de ESG já comprovaram: organizações que de alguma forma contribuem para o futuro do planeta e da humanidade tendem a crescer mais a longo prazo. Assim, a indústria de embalagens precisa se atentar ao impacto que está causando no mundo e encontrar maneiras de torná-lo mais positivo.

Lembra-se de quando falamos de embalagens que devem garantir a correta conservação do produto? Uma boa embalagem é também uma iniciativa para reduzir o desperdício de alimentos, pois nem sempre tudo que é produzido no campo chega ao consumidor final por causa de deficiências na embalagem.

5. Adequação às normas

A criatividade precisa andar junto das exigências legais para rótulos e embalagens. Isso porque normas técnicas para manter determinados produtos podem ser extensas e constantemente atualizadas. É preciso ficar atento às mudanças!

6. Controle das misturas

A composição dos materiais e suas respectivas concentrações é determinante para a qualidade da embalagem. Qualquer desvio ao longo do processo e o gestor terá de lidar com uma perda na produção. Afinal, as embalagens com problemas técnicos não podem ser reaproveitadas sob nenhum aspecto. 

7. Custos dos materiais

Seja qual for o setor da indústria, a busca constante por retrabalhos e inadequações com a finalidade de reduzir custos operacionais é primordial para a saúde financeira do negócio. Na indústria de embalagens não é diferente. 

É preciso pensar em contratos com fornecedores, qualidade de matéria-prima e prazos. Além disso, é importante manter o estoque em dia para que o setor de compras esteja preparado e tenha dados atualizados para trabalhar com eficiência. 

8. Aproveitar a capacidade do maquinário

Há casos em que as máquinas possuem diferentes velocidades de produção, a depender do material que estão lidando. Assim, é preciso que os gestores planejem os equipamentos utilizados no fluxo de processos, evitando problemas como a não conformidade do que é produzido —o que também acarreta em perdas na produção. 

9. Controle de aparas

Apara é o material que, embora seja gerado ao longo da fabricação, não é utilizado no produto acabado. Isso pode acontecer por conta do maquinário, falta de qualidade ou sobras esperadas. Os gestores precisam direcionar suas equipes de operadores a fim de avaliar a produtividade da produção. Ou seja, manter os níveis de aparas dentro do que é esperado.

Há também a oportunidade de planejar o reaproveitamento de aparas, trazendo maior rentabilidade do material e, portanto, ajudando nos custos operacionais. 

10. Registros e documentação

Outra rotina importante para quem trabalha na indústria de embalagens é a de manter registros sobre o que ocorre na operação. 

Atualmente, esse controle pode ser feito por meio de softwares, o que ajuda no acompanhamento de toda a fabricação — para saber se os produtos podem ser despachados ou não, diminuindo chances de anomalias de produção que podem pesar no bolso. 

Por que a inovação é essencial na indústria de embalagens? 

Em conclusão, percebemos que a produção de embalagens inovadoras, com atenção aos processos produtivos em si, são as grandes tendências e desafios para os próximos anos para esse setor.

Nesse cenário, a inovação tem papel importantíssimo, uma vez que é a partir dela que as ideias serão colocadas em prática, bem como o processo produtivo como um todo pode ser otimizado. Afinal, não há como se preparar para novas demandas se a fábrica não possuir estratégias bem definidas e um controle rigoroso.

Além disso, o acompanhamento de indicadores e métricas é essencial, uma vez que representam metas que devem ser cumpridas para chegar ao objetivo macro do negócio. São esses indicadores que determinarão se as rotinas estão sendo eficientes, orientadas conforme o planejado.

Tudo isso demonstra como a inovação é fator decisivo no novo cenário competitivo, não só em termos de proteção do produto e durabilidade, mas também vendas e responsabilidade social. O papel da indústria de embalagens aumenta ao passo em que ser papel com a interface como consumidor aumenta. 

Como o Checklist Fácil torna a indústria de embalagens mais competitiva?

Para essa otimização 360° nas fábricas, empresários e gestores podem contar com o apoio de softwares que auxiliam a gestão de qualidade, processos e estoque — tão importantes para o segmento. Assim, o Checklist Fácil é boa opção.

Com mais de 150 funcionalidades, como workflows planos de ação, o gestor pode acompanhar a operação em tempo real, tornando a gestão de dados muito mais organizada e assertiva. Também é ideal para a elaboração de relatórios e dashboards inteligentes, que são gerados pelo próprio software conforme a necessidade do negócio.

Os workflows consistem na integração total de etapas da operação, favorecendo a conexão entre elas. Assim, com o Checklist Fácil é possível criar toda uma cadeia de trabalho, garantindo que os times estejam todos na mesma página. 

Já os planos de ação são boa pedida para lidar com não conformidades. Sempre que esse tipo de situação é identificada, a equipe logo consegue tomar decisões. 

É a aplicação da rotina de forma bem estruturada, cujo preenchimento de etapas é obrigatório. Ou seja, o time só pode avançar quando concluir as não conformidades. Dessa forma, é possível minimizar as chances de não resolver um problema.

Ficou interessado? Se deseja otimizar processos na indústria de embalagens e preparar seu negócio para o futuro com inovação, agende uma demonstração gratuita do Checklist Fácil!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conheça o software Checklist Fácil:

Categorias

Artigos relacionados

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.