Quais as vantagens da manutenção preventiva? Veja como implementar

A manutenção preventiva pode ser muito benéfica para vários tipos de negócio, possibilitando uma melhor utilização dos recursos. Conheça mais sobre essa alternativa de preservação de equipamentos!

Tempo de leitura: 6 minutos
Saiba como implementar e as vantagens da manutenção preventiva

A manutenção preventiva é um dos meios de cuidar e garantir o bom funcionamento dos equipamentos. Através dela, é possível prever problemas e, ao mesmo tempo, evitar danos que podem causar acidentes no trabalho.

Nós já falamos aqui sobre os tipos de manutenção industrial e como executar cada um deles. Assim sendo, quando pensamos em preservação de maquinário, é importante lembrar que há várias opções e estratégias disponíveis. E a melhor escolha varia de acordo com o tipo de negócio.

Nesse sentido, um dos principais pontos a se considerar na manutenção preventiva industrial é a frequência de falhas associada à vida útil das peças. Quer descobrir como iniciar esse processo? Acompanhe o post!

O que é manutenção preventiva?

A manutenção preventiva é um tipo de manutenção planejada. Ou seja, ela é organizada de acordo com uma série de fatores que influenciam no desempenho dos instrumentos. 

Conforme Almeida (2018), em Manutenção mecânica industrial:

“Manutenção preventiva é a manutenção planejada e controlada, realizada em datas prederminadas, de modo a manter a máquina ou o equipamento em corretas condições de funcionamento e conservação […].”

A norma NBR-5462 afirma que o seu intuito é reduzir as probabilidades de falha ou degradações provenientes do funcionamento incorreto ou intensivo de uma determinada máquina.

Logo, diferentemente dos outros tipos de manutenção, ela consiste em uma série de medidas que são adotadas para evitar prejuízos decorrentes de substituições ou correções.

Sendo assim, é criado um cronograma a partir dos registros de falhas e das informações das ferramentas utilizadas – fornecidas pelos fabricantes. Com esses dados, é possível construir um calendário para trocas e reparos periódicos, evitando imprevistos.

Para que serve a manutenção preventiva industrial?

O objetivo da manutenção preventiva é manter as condições originais do equipamento pelo máximo de tempo possível. E, assim, reduzir a probabilidade de falhas durante a operação.

Ela serve também para:

  • Evitar interrupções imprevistas na linha de produção;
  • Tornar as instalações, os equipamentos e máquinas mais seguros e sempre disponíveis para o uso;
  • Preservar o valor dos equipamentos;
  • Reduzir a quantidade de manutenções corretivas;
  • Manter a eficiência produtiva dos aparelhos e aumentar a sua vida útil;
  • Alcançar a produção máxima a um custo de reparo mínimo;
  • Prevenir acidentes e, com isso, preservar a saúde dos trabalhadores.

Quando a manutenção preventiva deve ser realizada?

Um plano de manutenção que permita agir de forma preventiva deve ser elaborado com base em indicadores e informações sólidas. Afinal, sem isso, não se tem os dados que demonstrem a sua necessidade.

Mas quais indicadores devem ser utilizados? Há 3 em especial que merecem atenção:

1. Tempo de operação e atividade

O tempo é considerado um dos indicadores mais importantes. Porém, ele deve ser determinado de acordo com as características do equipamento, as instruções elaboradas pelo fabricante e os diversos fatores aos quais está exposto.

Com isso tudo em mãos, você consegue criar um cronograma de revisões e trocas de peças. É possível, por exemplo, estabelecer que um item deve ser submetido a esse serviço a cada 5 meses. Independentemente se apresentar ou não qualquer falha.

2. Ciclo de produção

Esse indicador também utiliza as características do equipamento industrial para estabelecer um parâmetro para as manutenções preventivas.Aqui, porém, o requisito principal é o ciclo de operação da máquina. Ou seja: a quantidade de peças que produziu.

Você pode planejar que, a cada 20 mil itens, a máquina deve ser revisada, por exemplo. Com isso você garante que ela irá manter o mesmo padrão operacional. 

3. Horas de atuação

Por fim, esse indicador leva em consideração as características do equipamento para, assim, definir após quanto tempo ele precisa ser revisado. Porém, o fator relevante aqui é a quantidade de horas em que ele ficou operando.

É possível, por exemplo, que a sua máquina tenha que ser revisada a cada 10 mil horas de atividade. 

Quais as falhas que podem ser evitadas ao realizar manutenção preventiva industrial?

Um dos principais diferenciais da manutenção preventiva é o fato de conseguir intervir antes que os problemas surjam. E mais: antes que sinistros simples se agravem a ponto de causar acidentes ou paralisações na produção.

Neste contexto, é importante conhecer os tipos de falhas possíveis de serem previstas. Elas podem ser divididas em dois grupos distintos, conforme você verá a seguir:

1. Falha potencial

Durante a operação, é natural que algumas máquinas apresentem defeito e, ainda assim, continuem funcionando. Esse tipo de falha é conhecido como potencial. 

Isso porque, caso não seja solucionado prontamente, tem o potencial de se tornar um problema funcional. E, assim, interromper o desempenho do equipamento por completo. 

Vamos supor que uma das engrenagens de uma esteira transportadora apresente uma rachadura. Apesar de estar danificada, se ela for pequena, a tendência é que você não dê grande importância, não é mesmo? Afinal, ela continua funcionando e sua produção se mantém em dia.

Porém, caso não seja solucionada, essa falha potencial pode se agravar a ponto de inviabilizar o uso. 

2. Falha funcional

Diferentemente da falha potencial, esta é mais severa e pode impedir que uma máquina desempenhe sua tarefa.

Geralmente, ela ocorre quando um problema previamente identificado não é tratado adequadamente. Sendo assim, significa que a máquina funcionou, por um tempo, em condições adversas.

Consequentemente, a tendência é que, além do defeito visualizado, outras peças sofram com fatores como atrito e desgaste. Logo, a falha ganha novas proporções, elevando os custos com a manutenção.

Seguindo o exemplo que demos acima, se uma das engrenagens está comprometida, outras passam a ficar sobrecarregadas. E, com o tempo, podem apresentar defeitos ainda mais graves, que podem levar à parada total do equipamento.  

Passo a passo para implementar a manutenção preventiva

Se a sua empresa pretende implementar a manutenção preventiva, é preciso estruturar alguns processos. Dá só uma olhada no passo a passo a seguir:

1. Faça o diagnóstico dos equipamentos

Nessa primeira fase, vale centralizar todos os dados que você possui das inspeções realizadas, condições de ferramentas, registros de manutenção corretiva e informações de vida útil dos equipamentos.

Feito o diagnóstico inicial, é possível ter uma base de dados consistente e diversificada sobre as condições de uso dos materiais na empresa

2. Examine o material coletado

Todas as informações levantadas vão te ajudar a analisar com que frequência as falhas acontecem e quais reparos são necessários. Esses aspectos precisam ser observados em cada máquina, ferramenta ou equipamento utilizado na empresa. 

Nesse momento, é preciso entender os porquês. Assim, serão identificadas formas e tempo de uso, além de práticas de conservação, armazenamento e higienização do maquinário.

3. Elabore um plano

Com os dados em mãos, a sua atuação vai consistir em antecipar os problemas e evitar que eles aconteçam. Por isso, o registro e a visão geral de todas as auditorias são fundamentais nesse processo.

Essa etapa precisa rever e prever as tarefas que exigem o uso de cada ferramenta, para identificar pontos de melhoria e otimização. Tudo isso com o objetivo de conservá-las pelo maior tempo possível.

4. Registre todas as ações

A partir do momento em que você definiu o plano e estabeleceu as ações a serem realizadas, mantenha tudo registrado. Isso vai servir para entender se as ações definidas reduziram, de fato, as falhas, os custos e a necessidade de reparos.

Além disso, com o histórico, fica mais fácil entender onde é preciso agir pontualmente e quais são os impactos gerados por cada decisão tomada. 

Principais vantagens da manutenção preventiva

Agora que você entendeu como pode começar a aplicar a manutenção preventiva no seu negócio, vamos aos benefícios desse formato. Veja os ganhos que você pode ter ao implementá-lo!

Melhor utilização de recursos

Em um planejamento adequado, a alocação de recursos também é reorganizada. Portanto, você pode ter um repositório de peças, lubrificantes para as máquinas, EPIs etc. 

Mas, sem exagero! Estoques desnecessários podem acabar estragando ou vencendo, gerando custos indevidos. Em contrapartida, não é viável ficar despreparado, sem nenhum item reserva. 

Logo, selecione aquilo que não pode faltar ou que demora muito para chegar – caso ocorra alguma falha. 

Aliás, isso também vale para a mão de obra. Se você utiliza serviços de manutenção terceirizados, poderá negociar um pacote com o fornecedor.

Ao mesmo tempo, caso tenha uma equipe própria, é possível alocar os profissionais e as suas atividades de acordo com o planejamento. Assim, não há excesso ou falta de profissionais.

Uma vez que o plano de manutenção preventiva está preparado, as atividades e os recursos se mantêm em ordem. Consequentemente, a produtividade aumenta e os gastos diminuem, já que toda a operação está otimizada.

Alta confiabilidade nos prazos

Se o cronograma de manutenção está em dia, fica mais fácil manter os prazos da linha de produção. Isso porque todas as ações que garantem o bom funcionamento das máquinas são realizadas com antecedência.

Desse modo, a chance de quebras ou falhas é minimizada. Assim, evita pausas para consertos, reparos ou, até mesmo, chegada de itens que devem ser substituídos. 

Nesse sentido, a prevenção proporciona, continuamente, uma evolução na qualidade dos serviços oferecidos. 

Aumento na vida útil dos equipamentos

Ao implementar a manutenção preventiva industrial, as trocas de peças e componentes são feitas antes que problemas maiores ocorram. Sendo assim, ela evita que o seu funcionamento seja prejudicado e que haja degeneração, quebras e falhas gerais. 

Consequentemente, aumenta a vida útil do equipamento. Garantindo que ele possa ser utilizado por muito mais tempo!

Aumento da satisfação do cliente

Recursos bem alocados, prazos cumpridos e aumento da qualidade só podem resultar em satisfação garantida! Uma coisa é certa: é preciso entender que todos os planejamentos impactam no cliente final – direta ou indiretamente.

Por isso, os benefícios da manutenção preventiva vão além dos aspectos internos da empresa. Isso ocorre porque cada decisão tomada gera efeitos e consequências nas etapas subsequentes dos processos.

Uma gestão que preza pela visão geral da operação certamente está um passo à frente para proporcionar experiências melhores para os colaboradores e consumidores.

Você já controla as auditorias de manutenção da sua empresa com relatórios completos? Quanto tempo demora para construí-los? É hora de digitalizar esse processo!

Imagina economizar até 10 horas por semana nessa atividade com um software que gera os relatórios por você? Conheça a Checklist Fácil agora mesmo. 

Agende uma demonstração gratuita e entenda como monitorar todos os processos do seu negócio!

Produtora de Conteúdo em Checklist Fácil
Jornalista e especialista em Comunicação Empresarial, sou apaixonada por marketing, escrever, criar e inovar. Além disso, amo correr, ler, ver filme e curtir uma praia.
Estefânia Martins

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *