8 passos para adequar seu negócio às normas da vigilância sanitária

Adequar-se às normas da vigilância sanitária é o primeiro passo para quem deseja obter sucesso no seu negócio, pois além de evitar multas, estas ações previnem danos à saúde do consumidor. Então, veja neste post 8 ações que você deve aplicar no seu negócio para se adequar a essas regras.

Tempo de leitura: 7 minutos
Colaboradora conferindo as normas da vigilância sanitária

Para todas as empresas, em especial aquelas que trabalham com alimentos, é importante conhecer e respeitar as normas da vigilância sanitária. Essas regras não existem para “dificultar a vida” dos empresários e seus funcionários, mas sim para garantir que os consumidores tenham acesso a produtos de boa qualidade.

No Brasil, quem estabelece as boas práticas que devem ser seguidas é a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). As resoluções tratam, por exemplo, da higienização das instalações, equipamentos e utensílios. Também abordam o preparo, acondicionamento, armazenamento, transporte e exposição dos produtos nos estabelecimentos comerciais.

Então, se você deseja adequar sua empresa às regras da vigilância sanitária e, assim, eliminar ou prevenir que práticas danosas possam colocar em risco a saúde das pessoas, confira as 8 dicas deste post. Vamos lá!

8 passos para se ajustar às normas da vigilância sanitária

Sabendo da importância das regras da vigilância sanitária e das boas práticas que favorecem a higiene e a segurança do ambiente de trabalho, trouxemos 8 ações que sua empresa pode aplicar.

Por isso, essas dicas servem para sua empresa se ajustar a estas regras e garantir um ambiente de trabalho mais seguro. Confira:

1. Checklists ajudam a garantir o cumprimento das normas da vigilância sanitária

Quando uma tarefa envolve muitas atividades pequenas, é preciso manter um controle de tudo que deve ser feito. Isso também vale para as regras da vigilância sanitária. 

Para isso, nada melhor do que utilizar uma ferramenta de checklist, que permita a personalização dos checklists e a criação de planos de ação para corrigir eventuais inconformidades.

Após a contratação de uma boa ferramenta, é preciso incluir nos checklists todas as ações que devem ser tomadas para que o estabelecimento se mantenha dentro das regras definidas para o seu setor.

No começo, pode ser necessário aumentar as checagens sobre todas as tarefas, para garantir que as regras estão sendo seguidas. Entretanto, após algum tempo, esses procedimentos se tornam parte da rotina dos colaboradores e começam a ser executados automaticamente por todos.

As auditorias de qualidade e fiscalização do cumprimento das normas são imprescindíveis para um negócio prosperar com segurança, visando a qualidade de trabalhadores e clientes.

2. Observe o estado de saúde de todos os funcionários

Algo bem salientado pela vigilância sanitária é que pessoas doentes devem ser afastadas do trabalho, pois podem contaminar ambientes, alimentos e outras pessoas através da proliferação de doenças.

O mesmo vale para objetos que serão utilizados e compartilhados entre funcionários ou que entrarão em contato com os consumidores.

Caso um funcionário esteja com coriza, fraqueza muscular ou demonstre qualquer sintoma de que está doente, mande-o de volta para casa. A presença dele certamente será mais prejudicial do que sua ausência. 

Em casos de extrema necessidade, realoque-o para um trabalho mais leve, que não envolva contato com os produtos e outras pessoas ou disponibilize o trabalho remoto, caso seja uma possibilidade.

3. Crie um ambiente adequado à conservação

Uma parte muito importante de qualquer empresa que lida com alimentos e outros produtos químicos, por exemplo, é o seu estoque. Por isso, este é um dos focos da vigilância sanitária. 

As inspeções do órgão sempre ocorrem nestes locais, para conferir suas condições. 

Por isso, é vital que todo o lugar seja devidamente higienizado e possua climatização adequada para a conservação dos produtos.

Algumas ações básicas para negócios que lidam com alimentação, como supermercados, restaurantes, fabricantes de alimentos, transportadoras e distribuidoras são:

  • Disponibilizar freezers ou caminhões refrigerados para manter os alimentos na temperatura correta;
  • Providenciar ambientes sempre secos e desinfetados para evitar a proliferação de fungos e bactérias;
  • Efetuar de forma recorrente a dedetização dos locais para evitar pragas;
  • Entre outros.

4. Confira a validade de todo o seu estoque

Mesmo quando os produtos estão devidamente conservados, eles ainda possuem uma data limite para uso e, uma vez atingida, já não é mais considerado saudável consumi-los. 

Por isso, é muito importante acompanhar a data de validade de todo o estoque, caso contrário, algum produto estragado pode acabar sendo vendido por acidente.

Uma solução simples para evitar o desperdício de mercadorias e trabalhar a prevenção de perdas é tentar escoar o máximo possível antes que a validade chegue. Promoções, por exemplo, ajudam a alavancar as vendas. 

Em outros casos, uma simples reorganização do estoque pode fazer toda a diferença, ajudando a utilizar primeiro os produtos que estão mais perto de vencer.

Em último caso, ainda é possível doar as sobras da mercadoria para que sejam consumidas rapidamente.

5. Mantenha o local de trabalho limpo e organizado

Um dos requisitos básicos para deixar o ambiente dentro das normas da vigilância sanitária é mantê-lo limpo e organizado. Ele deve contar com boa iluminação e ventilação, pois isso favorece à manutenção da higiene local.

O estabelecimento deve possuir uma rede de esgoto ou fossa séptica, eliminando qualquer outro tipo de descarte. Além disso, as caixas de gordura e esgoto devem estar longe do local de preparo dos alimentos, para que não ocorram contaminações. 

Ainda no caso de bares, restaurantes ou supermercados onde existem açougues e padarias, as mesas e bancadas também devem estar em boas condições, enquanto as lâmpadas devem ser protegidas contra quebras.

6. Nunca guarde produtos de limpeza e alimentos no mesmo local

Os alimentos devem ser mantidos isolados de todo e qualquer produto de limpeza, como:

  • Água sanitária;
  • Detergente;
  • Desinfetantes;
  • Sabão.

Isso porque, se consumidos, eles podem causar sérias complicações à saúde. 

Além disso, todos os estabelecimentos no Brasil são obrigados a utilizar produtos de limpeza regularizados junto à Anvisa

Já para a aplicação de venenos ou dedetizantes em galpões, estoques, comércios e restaurantes, isso deve ser realizado por uma empresa especializada no assunto, para garantir a correta execução do serviço e evitar qualquer tipo de contaminação.

7. Tome cuidado com a água

A água utilizada nos estabelecimentos deve ser corrente e tratada. No caso de utilizar poços artesianos, ela deve ser analisada a cada seis meses, para certificar-se de que não está contaminada. 

A caixa d’água também precisa estar em boas condições. Ou seja, deve estar tampada, sem qualquer tipo de rachaduras, vazamentos, infiltrações e descascamentos. Por isso, recomenda-se que caixas d’água sejam lavadas e higienizadas a cada seis meses, de preferência com empresas especializadas neste serviço.

Desta forma, evita-se a entrada de animais e outros potenciais materiais contaminantes. 

8. Zele pela higiene e segurança dos seus funcionários

Bares, restaurantes e empresas que fabricam e processam alimentos devem ter atenção redobrada neste tópico.

Os funcionários devem estar sempre limpos, com cabelos presos e cobertos com redes ou toucas. O uniforme deve ser utilizado apenas na área de preparo dos alimentos e a troca deve ser feita diariamente, de forma a mantê-lo limpo e conservado.

Além disso, dependendo do tipo de negócio, é fundamental a utilização de outros EPIs, como luvas, óculos ou algum protetor térmico no corpo, especialmente para quem trabalha com câmaras frias.

Fazer checklist de EPIs também é uma ótima forma de controlar não somente a utilização dos mesmos, por parte das equipes, mas também para garantir a qualidade dos equipamentos, providenciando substituições no caso de equipamentos danificados.

Além disso, acessórios como brincos, pulseiras, anéis e relógios, além de maquiagem, são proibidos na área de manipulação. 

Outro cuidado que deve-se ter é em relação às unhas. Elas devem ser mantidas curtas e sem esmalte, enquanto as mãos devem ser sempre higienizadas antes de preparar os alimentos.

Os colaboradores também devem evitar manipular alimentos quando estiverem com cortes ou ferimentos. Afinal, determinadas doenças podem ser transmitidas através da comida. Inclusive, esse é um dos motivos pelo qual as empresas devem manter em dia os exames de saúde de seus funcionários.

Agora que você já sabe quais os 8 passos a seguir para garantir as melhores práticas no cumprimento das normas da vigilância sanitária, que tal conhecer um pouco mais sobre o trabalho da ANVISA no Brasil? Confira!

Quais segmentos são monitorados pela ANVISA e devem seguir as normas da vigilância sanitária?

No Brasil, como mencionamos, a Anvisa é a responsável por criar as normas da vigilância sanitária e dar suporte para todas as atividades deste tipo em território nacional.

O órgão também é quem executa as atividades de fiscalização no que diz respeito ao controle sanitário em aeroportos, áreas portuárias e fronteiras. 

A atuação da Anvisa pode ocorrer em:

  • Locais de produção de medicamentos ou distribuição e comercialização de produtos de interesse para a saúde;
  • Locais de produção de alimentos, transporte e logística ou comercialização;
  • Locais de serviços de saúde de forma geral (clínicas, hospitais, laboratórios, entre outros);
  • Ambientes do trabalho e processos relacionados à saúde do trabalhador;
  • Projetos de arquitetura, orientando as bases corretas para criar um ambiente adequado;
  • Entre outros.

Por isso, caso ainda esteja em dúvida, procure o centro de vigilância sanitária do seu estado para averiguar como sua empresa deve se portar em relação a estas regras.

Agora que você já sabe como funcionam as normas da vigilância sanitária, entenda como a tecnologia pode ajudar sua empresa. Confira!

Tecnologia de checagens para garantir mais qualidade na sua empresa

Nossa tecnologia ajuda empresas dos mais variados setores com auditorias de qualidade, checagens e controle de estoques, tudo isso para otimizar o trabalho da sua empresa e facilitar o cumprimento das regras da vigilância sanitária.

Além disso, é possível utilizar mídias como fotos, vídeos e áudios para comprovar determinadas avaliações, dando uma maior veracidade nas informações prestadas durante as checagens.

Utilizar uma ferramenta de checklist digital facilita para os funcionários e gestores, que podem seguir à risca as regras propostas nas auditorias e analisar, a fundo, a correta aplicação das ações dentro da empresa.

Veja o exemplo real de um dos clientes do Checklist Fácil:

Cliente Checklist Fácil - Assaí Atacadista

O Assaí Atacadista, grande rede de hipermercados brasileira utiliza a nossa solução em suas 189 unidades e destaca:

Pegando um comparativo no setor de Segurança de Alimentos de alguns anos atrás, a evolução é nítida. Porque os Responsáveis Técnicos estão mais presentes nas lojas e as fotos e evidências estão chegando com mais agilidade (antes tinha que enviar por e-mail e relacionar com alguma não conformidade). […] Com esses checklists, o responsável técnico faz a visita nas lojas como se fosse um relatório da vigilância sanitária, sem aviso prévio. Cada semana ele avalia uma área diferente, permitindo que no final do mês a gente tenha uma nota de todas as áreas, gerando indicadores (por regional e geral).”

Então, faça como eles e mais de 600 clientes espalhados em 14 países: escolha a solução líder na América Latina e veja como suas operações podem se beneficiar com a nossa solução. 

Fale agora mesmo com um especialista e peça uma demonstração gratuita!

Siga-me
Produtora de Conteúdo em Checklist Fácil
Especialista em marketing estratégico e comunicação em mídias digitais, sou fã de viagens, aventuras, culturas diferentes, além de ler e escrever!
Lilian Sulzbacher
Siga-me

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *