O que é cadeia de suprimentos e como realizar a sua gestão eficiente?

A cadeia de suprimento compreende desde a aquisição de insumos para produzir um produto até a sua entrega ao cliente. Mas qual a sua importância e como realizar a gestão adequada? Continue a leitura e descubra!

Tempo de leitura: 9 minutos
Máquinas auxiliando na gestão de cadeia de suprimentos

Cadeia de suprimentos, também chamada de Supply Chain, é um conceito que faz parte do dia a dia das grandes empresas. Ela compreende toda a operação do negócio, desde a aquisição de matéria-prima até a entrega do produto para o consumidor.

Apesar de ser um processo essencial, existem organizações que não conseguem realizar a sua gestão adequadamente. Ou seja: não mantêm a harmonia, alinhamento e integração de todas as etapas, ocasionando em prejuízos e, principalmente, insatisfação do cliente final.

Para que você não corra esse risco, sugerimos continuar a leitura. Isso porque explicaremos o que é cadeia de suprimentos, qual a sua importância e como fazer a sua gestão de forma eficiente. Vamos lá!

Afinal, o que é cadeia de suprimentos?

A cadeia de suprimentos é definida como um conjunto de atividades e tarefas envolvidas no processo que abrange desde a aquisição de insumos pela empresa até a entrega do produto ao cliente que efetuou uma compra.

Sendo assim, a sua gestão deve contemplar processos como:

Tudo isso deve ser administrado de forma integrada e organizada para gerar resultados positivos para a empresa. O que significa que é preciso que haja um planejamento, alinhando colaboradores, fornecedores, serviços terceirizados, varejistas e compradores.

Para que serve a gestão de Supply Chain?

Ela tem como objetivo principal adequar todo o processo que envolve o desenvolvimento e entrega de um produto. Assim, é capaz de ajudar na redução de custos, aumentando a qualidade e gerando, no fim das contas, a satisfação do cliente.

Quer um exemplo? Imagine que os setores de uma empresa não conversam entre si. A tendência é que cada um adote o processo que for mais conveniente, concorda? 

Isso significa que a área de marketing pode desenvolver uma embalagem super descolada e moderna sem se preocupar se ela é resistente para o tipo de transporte adotado, por exemplo.

Agora, vamos supor que o setor de compras de insumos age sem avaliar a situação do estoque. Toda uma produção pode ser encerrada porque uma peça não foi adquirida, levando a um prejuízo incalculável.

Logo, podemos dizer que a cadeia de suprimentos existe para que haja uma troca de informações entre os setores, fazendo com que atuem de forma estruturada.

Quais áreas compõem a cadeia de suprimentos?

Conforme você viu acima, a cadeia de suprimentos abrange uma série de atividades. Porém, podemos dizer que ela é composta por 6 processos essenciais, que você deve compreender e gerenciar adequadamente. São eles:

1. Produção

Esse processo tem como principal objetivo garantir que serão supridas as necessidades e demandas de mercado. Por isso, toda a equipe envolvida precisa levar em consideração o que e quantos itens precisam ser fabricados. Bem como se há capacidade interna para tal – ou se é necessário terceirizar algo.

Neste ponto, o elemento-chave é a qualidade, que irá impactar diretamente na satisfação do cliente.

2. Fornecedor

Seguindo a etapa acima, você deve determinar onde e como os seus bens serão produzidos. E isso passa pela análise dos seus fornecedores.

Na hora de escolher seus melhores parceiros, avalie fatores como velocidade de entrega, flexibilidade e negociação. Tudo isso irá impactar no seu planejamento operacional e financeiro.

3. Estoque

É essencial encontrar um equilíbrio entre contar com um grande estoque, que gera muito custo, e nenhum, que pode comprometer a sua capacidade de atender prontamente o mercado.

Aqui, uma dica é avaliar seu histórico de vendas para entender fatores como sazonalidade e tendências. Com isso, você consegue prever momentos em que é preciso armazenar mais mercadorias – e quais especificamente têm procura elevada.

4. Transporte

Você sabia que cerca de 30% do custo de um produto está relacionado ao transporte? Sendo assim, é essencial escolher corretamente a forma com que seus produtos serão transportados. Sempre pensando no custo vs benefício e menor prazo de entrega.

5. Manutenção

Para evitar imprevistos durante a produção, é importante planejar sua cadeia de suprimentos levando em conta o plano de manutenção dos seus equipamentos

Aqui, o ideal é incorporar a manutenção preventiva na sua estratégia, pois ela evita paradas bruscas que impactam diretamente nas suas entregas. Bem como custos não planejados com máquinas e peças novas.

6. Marketing e vendas 

Por fim, é indispensável que seu time de marketing e vendas estejam totalmente alinhados com os demais processos acima. Afinal, como eles vão prever o lançamento de um produto se eles não sabem quando vai ser finalizado? 

E mais: como vão ofertar para novos clientes um item com valor promocional se não houver estoque suficiente? 

Qual a diferença entre logística e cadeia de suprimentos?

Se você chegou até aqui, certamente está se questionando qual a diferença entre logística e cadeia de suprimentos, certo? De fato, é comum haver essa confusão, principalmente porque ambas estão relacionadas ao produto. Porém, trazem diferenças substanciais, que é essencial esclarecermos.

A logística está relacionada à movimentação física do produto, de forma a garantir a sua entrega. Logo, seu objetivo é implantar um modelo de distribuição de mercadorias e reduzir custos.

Em contrapartida, a cadeia de suprimentos está mais focada nas questões operacionais relacionadas ao produto, como compras, depósito e inventário. Com isso, ela visa obter vantagem competitiva através da diminuição de gastos nas etapas operacionais.

Devido a essas atribuições, algumas empresas chegam a terceirizar o processo logístico. Entretanto, o mesmo não ocorre com a cadeia de suprimentos, por se tratar de uma área altamente estratégica e que lida diretamente com fabricantes e demais parceiros. 

Resumidamente, a logística inclui os processos relacionados ao transporte e armazenamento de mercadorias. Ao passo que a cadeia de suprimentos abrange compras, planejamento de demanda e fornecimento, gestão de estoque, fabricação e a própria logística.

Como gerenciar adequadamente uma cadeia de suprimentos?

Não existe uma fórmula mágica para realizar a gestão de cadeia de suprimentos, uma vez que as empresas possuem processos próprios de produção. Sendo assim, o primeiro passo consiste justamente em realizar uma análise geral da organização, de forma a descrever como cada etapa ocorre.

Como já mencionamos, esse mapeamento deve ser amplo, abrangendo desde a aquisição dos insumos até a entrega ao consumidor final. Questione-se sobre alguns pontos, incluindo: 

  • Como é o contato com o fornecedor? Ele é recorrente para que os prazos sejam cumpridos e de acordo com as solicitações do setor de produção?
  • A estrutura para o seu estoque é adequada ao perfil do seu produto? Você tem controle sobre a quantidade armazenada?
  • O setor de marketing e vendas atua de acordo com a produção? 
  • As manutenções das máquinas são feitas de forma preventiva, a fim de evitar paradas bruscas?
  • O processo de logística é planejado de forma a cumprir os prazos prometidos aos clientes?

Além disso, é essencial contar com uma equipe integrada e informada, bem como ter um controle sobre histórico de vendas – pois isso ajuda a prever demandas e, assim, organizar toda a cadeia de suprimentos.

Quer entender melhor essa parte prática? Continue a leitura!

6 passos para planejar sua cadeia de suprimentos

Agora que você entendeu o conceito e viu como iniciar a gestão do Supply Chain, chegou a hora de tornar essa atividade ainda mais eficiente. Confira 6 dicas infalíveis:

1. Aposte na tecnologia

Investir em tecnologia, como softwares de gestão, é indispensável para integrar a cadeia de suprimentos. Isso porque ela centraliza os dados, de forma que o responsável pelo estoque pode acompanhar o andamento da produção, por exemplo.

Um ponto importante sobre a automação é que ela evita erros humanos. Logo, torna os processos ainda mais eficientes.

Vamos abordar mais sobre esse tema no próximo tópico, mas podemos adiantar que existe uma variedade de opções. Cabendo a você analisar o que de fato supre as necessidades do seu negócio.

2. Encontre os gargalos da sua produção

Os fluxos de cada etapa dentro da produção precisam estar bem alinhados, para que um não atrapalhe o andamento do outro. Sendo assim, promova auditorias para encontrar os gargalos existentes e promover as melhorias.

Ao realizar esse trabalho, você também consegue antecipar problemas. Ou seja, prever e superar empecilhos que podem atrasar suas entregas. 

3. Padronize seus processos

A padronização é a melhor forma de garantir eficiência operacional em toda a cadeia de suprimentos. Isso porque ela garante a aplicação das melhores práticas, reduzindo erros e, consequentemente, custos.

Outrossim, ao padronizar seus processos, você aumenta o desempenho do seu time, uma vez que ele sabe exatamente como deve agir para entregar os melhores resultados.

Dica: não veja esse trabalho como algo estático, ou seja, que você faz uma vez e está pronto. Afinal, sempre surgem novas tecnologias e práticas, sem falar que o mercado se atualiza com frequência. 

Sendo assim, é preciso seguir realizando a gestão dos processos, a fim de promover melhorias contínuas

4. Treine a sua equipe

De nada adianta estar com os processos da cadeia de suprimentos organizados e unificados se as equipes não têm conhecimento do que está sendo realizado.

Portanto, capacitar e manter seus profissionais sempre atualizados é indispensável – até para otimizar a produtividade de todos. E mais: tenha uma comunicação clara, rápida e eficiente com todos.

5. Faça a gestão da qualidade

Mesmo otimizando e interligando as etapas da produção, ainda assim é preciso acompanhar a qualidade do produto final. Geralmente, essa gestão deve ser feita de forma paralela, tendo em vista que se trata de um trabalho minucioso.

6. Converse com seus clientes

Por fim, como mencionamos, a cadeia de suprimentos tem como objetivo final a satisfação do cliente. Sendo assim, todos os processos devem ser pensados de forma a garantir uma experiência única e diferenciada ao consumidor.

Mas como saber se está obtendo esse resultado? Tenha um bom serviço de atendimento ao consumidor (SAC), para que eles possam reclamar, dar sugestões ou mesmo elogiar. E, ainda, promova pesquisas de satisfação

Com essas informações em mãos, você consegue aprimorar ainda mais o trabalho da sua empresa.

Principais tendências tecnológicas da cadeia de suprimentos

Como comentamos acima, a tecnologia é essencial para garantir o fluxo adequado da cadeia de suprimentos. Mas, você sabe quais inovações estão despontando no momento? A gente te conta:

Internet das coisas

A Internet das Coisas é a grande revolução na gestão da cadeia de suprimentos, visto que os sensores permitem ações incríveis. 

Por exemplo, por meio de um software integrado às câmeras, é possível fazer um controle de estoque automatizado. Isso porque os equipamentos vão registrar todo o espaço do armazém e mandar as informações para um computador.

Como os novos computadores possuem Inteligência Artificial – que falaremos mais abaixo -, eles são capazes de compreender o que cada caixa ou pacote significa, fazendo uma baixa automática daquele insumo assim que ele sair do ambiente. 

Outra possibilidade são os sensores instalados na linha de produção, que conseguem medir a velocidade e as condições durante a operação. Esses dados igualmente são enviados para um PC, que pode, autonomamente, acelerar ou reduzir a rapidez da esteira de produção.

Por fim, há também a gestão de frotas. Os sensores GPS são instalados em cada veículo, de modo que um software monitora toda a rota para que o gestor tenha uma visibilidade em tempo real.

Inteligência artificial

A Inteligência Artificial consegue dominar grande parte da linha de produção por meio de seus braços mecânicos. Entretanto, hoje, ela também está se tornando imprescindível na gestão. 

Por exemplo, um robô poderá monitorar uma remessa desde o momento que ela sai da empresa e gerar atualizações no status. É como se ele entendesse a localização fornecida pelo GPS e interpretasse o que aquilo quer dizer.

Assim, quando ele consegue entender que o produto chegou à casa do cliente, manda mensagens para todas as partes envolvidas. Caso haja atraso, ele também compreende isso e envia notificações para os gestores e ou para os clientes, desculpando-se do erro. 

Um dos grandes diferenciais da IA é que ela está em constante aprendizado. Ou seja, quanto mais é utilizada, mais inteligente ela fica!

Soluções analytics

As soluções analytics são as ferramentas que extraem informações importantes para as decisões empresariais por meio do Big Data

Um exemplo de analytics é a previsão de demandas, essencial para a cadeia de suprimentos. Ao analisar a procura por produtos no seu e-commerce, nas redes sociais ou nos mecanismos de busca, esses sistemas estimam uma demanda futura. Com isso, você passa a fazer pedidos mais assertivos aos seus fornecedores. 

Softwares especializados

O nicho de softwares de gestão está em franco crescimento, e isso tem trazido soluções muito interessantes para as empresas. 

Um exemplo são as plataformas de checklist. Nelas, os gestores podem inserir todas as tarefas de um processo logístico para que o colaborador não se esqueça de nenhuma etapa. A cada ação concluída, ele deverá registrar no sistema e o gestor poderá auditar se ela foi realmente executada e com que nível de qualidade.

O Checklist Fácil, por exemplo,conta com algumas funcionalidades que otimizam a rotina dos profissionais. Uma delas é a possibilidade de tornar obrigatório o preenchimento de planos de ação quando alguma não conformidade é detectada. Isso promove rapidez na promoção de soluções, além de evitar que os problemas se tornem reincidentes.

Além dessa, há o módulo adicional de Workflows, indispensável para processos que envolvem mais de um setor. Resumidamente, com ele, você cria cadências de aplicação de checklists, visando garantir que a checagem seja feita na ordem correta.

Quais são os benefícios de ter uma cadeia de suprimentos bem organizada?

Você entendeu o que é uma cadeia de suprimentos e viu dicas para realizar a sua gestão, inclusive com o apoio da tecnologia. Mas quais são os benefícios reais que ela oferece para as empresas?

Partindo da premissa de que o cliente é o centro do trabalho de qualquer empresa, é possível afirmar que o gerenciamento da cadeia de suprimentos influencia diretamente no crescimento do negócio. Afinal, todos os processos têm como objetivo oferecer um produto final de qualidade.

Mas as vantagens não param por aí. No momento em que as informações são compartilhadas entre todos os setores, é possível planejar ações mais apropriadas às necessidades atuais e futuras.

Outros benefícios que merecem destaque são:

Otimização da linha de produção

No momento em que você tem controle e acesso a todos os processos realizados na empresa, consegue atingir resultados mais satisfatórios.

Logo, passa a oferecer uma melhor experiência ao cliente, com produtos de qualidade e entrega nos prazos estabelecidos.

Redução de custos operacionais

Quando se realiza a gestão adequada da cadeia de suprimentos, é possível visualizar rapidamente gargalos, falhas, desperdícios e pontos de melhorias.

Assim sendo, é possível desenvolver planos de ação de forma a ajustar esses pontos antes que causem problemas. Permitindo, portanto, atuar sempre em alto nível, sem desperdiçar recursos.

Agilidade nos processos

No momento em que os processos estão alinhados, eles se tornam menos complexos, fazendo com que sejam realizados com maior velocidade. 

Desta forma, é possível entregar produtos de qualidade em menos tempo – algo que o consumidor moderno valoriza cada vez mais.

Aperfeiçoamento da logística

Como explicamos, a logística também faz parte da cadeia de suprimentos, uma vez que é ela que garante que o produto chegue ao cliente. Quando integrada aos demais processos, há uma melhora significativa em toda a operação logística, otimizando o tempo e garantindo que todas as entregas ocorrerão dentro dos prazos estipulados.

E quem ganha com isso tudo? A empresa, é claro, que vê a satisfação dos consumidores e os seus resultados aumentarem cada vez mais.

Agora que você entendeu o que é cadeia de suprimentos, que tal fazer como Unilever, Renault, Walmart, Polishop e várias outras empresas que já utilizam a solução Checklist Fácil para fazer essa gestão? Então, peça já uma demonstração!

Produtora de Conteúdo em Checklist Fácil
Jornalista e especialista em Comunicação Empresarial, sou apaixonada por marketing, escrever, criar e inovar. Além disso, amo correr, ler, ver filme e curtir uma praia.
Estefânia Martins

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *