Como medir e reduzir os principais impactos ambientais da empresa?

Os impactos ambientais são resultados das atividades humanas ao longo do tempo, e é importante saber como sua empresa pode minimizar as consequências negativas. Confira aqui!
Atualizado em: 1 de fevereiro de 2024
Tempo de leitura: 10 minutos

Provavelmente você já notou que, nos últimos anos, os impactos ambientais estão sendo comunicados com uma maior frequência nas mídias e até nas conversas do dia a dia. Isso porque as consequências estão cada vez mais visíveis, podendo ser percebidas também nas mudanças de temperatura. 

Apesar de os impactos se dividirem em temporários ou permanentes, positivos ou negativos, é necessário conhecer quais os principais impactos ambientais e como sua empresa pode reduzi-los na rotina das suas operações. 

Neste conteúdo, você vai entender como funciona a relação entre gestão ambiental e sustentabilidade para preservar o meio ambiente.  

O que são impactos ambientais?

Segundo o Conselho Nacional do Meio Ambiente (CONAMA), impacto ambiental é “qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas”.

Esse conceito está presente na Resolução nº 1, de 23 de janeiro de 1986, que ainda esclarece que essas alterações podem ser causadas direta ou indiretamente, afetando:

  • Saúde, a segurança e o bem-estar da população;
  • As atividades sociais e econômicas;
  • A biota;
  • Condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;
  • Qualidade dos recursos ambientais.

Dessa forma, entende-se que impacto ambiental é o resultado de ações e atividades dos homens, que alteram os elementos da natureza, danificando suas características originais a ponto de influenciar tudo e todos ao seu entorno.

O que causa impactos ambientais? 

Algumas das principais ações humanas que causam impactos ambientais são extração de recursos minerais, despejo de substâncias poluentes em rios e no solo, emissões industriais, entre outras.  

Toda ação gera uma reação e, no caso das ações humanas, o meio ambiente tem sofrido vários impactos ambientais ao longo dos anos, o que tem gerado a poluição do ar, da água e do solo, o agravamento das mudanças climáticas, a destruição da camada de ozônio e a extinção de várias espécies.  

Apesar de muitas vezes pensarmos em impacto ambiental de forma negativa, há algumas ações que podem gerar resultados positivos para a natureza, como a limpeza de rios e o reflorestamento, por exemplo. 

Quais são os principais tipos de impactos ambientais? 

Como visto, impactos ambientais são resultado de ações humanas que modificam as características originais de um ambiente natural. Algumas das ações humanas mais comuns que causam danos ao ambiente são desmatamento, descarte irregular de lixo e dejetos químicos e orgânicos, uso excessivo de agrotóxicos, queimadas, desperdício de água e energia, e emissão de gases tóxicos.

Os principais impactos causados por essas ações são:

  • Destruição da biodiversidade e extinção de espécies da flora e fauna;
  • Mudanças climáticas como o efeito estufa e consequente derretimento das calotas polares;
  • Contaminação do solo e água;
  • Contaminação do ar;
  • Empobrecimento do solo e consequente erosão ou desertificação;
  • Contaminação da água e consequente intoxicação de pessoas e animais;
  • Elevados custos de tratamento da água para fornecimento às áreas urbanas e rurais;
  • Toxicidade de alimentos;
  • Degradação da mata ciliar, da área costeira e da vida marinha.

É possível categorizar esses impactos da seguinte forma:

  • Direto: quando resulta de uma ação simples sem intermediários; 
  • Indireto: quando parte de outras ordens ou é causado por uma reação em cadeia; 
  • Local: quando afeta apenas o próprio local e suas proximidades; 
  • Regional: quando o impacto afeta apenas uma região; 
  • Global: quando os efeitos envolvem todo o planeta; 
  • Imediato: quando a ação provoca impactos que são percebidos na mesma hora; 
  • A médio e longo prazo: quando a ação não manifesta impactos no mesmo período em que é realizada; 
  • Temporário: quando o impacto pode sumir depois de um determinado tempo; 
  • Reversível: quando é possível desfazer os efeitos; 
  • Não reversível: quando não há como contornar o que foi feito. 

A consequência mais preocupante dos impactos ambientais é a deterioração das condições de vida no planeta Terra. A questão é que a diminuição da qualidade de vida no planeta está acontecendo pouco a pouco. Tanto que vários líderes mundiais questionam esse fato.

Porém, é nítido que o planeta está aquecendo e pesquisas demonstram que o degelo dos polos é real. Inclusive, alguns países já registraram perda de áreas costeiras habitáveis com o aumento do nível do mar.

Outras consequências preocupantes e que impactam a vida humana e animal são o surgimento de novas doenças, extinção de espécies (impactando na cadeia alimentar animal), perda de reservas aquíferas para abastecimento de água, e desertificação.

Impactos ambientais nos diferentes segmentos

Dentre os segmentos do mercado, esses impactos podem acontecer de diferentes formas. Confira a seguir como diferentes nichos afetam o ambiente.

Impactos ambientais do varejo 

No setor varejista, os principais impactos ambientais estão ligados principalmente ao consumo excessivo de recursos e ao desperdício frequente de produtos.  



Para mais esclarecimentos sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia nosso Aviso de Privacidade.

As organizações do varejo também podem impactar o meio ambiente de forma negativa, devido à disposição inadequada de resíduos durante a produção e venda e à queima de combustíveis fósseis, poluindo os solos, as águas e o ar. 

Nesse sentido, é fundamental pensar em formas de contribuir positivamente para a preservação do meio ambiente, reduzindo os impactos negativos. Algumas das práticas sustentáveis a serem adotadas são: 

Impactos ambientais da indústria 

Quando os processos organizacionais das indústrias não adotam práticas sustentáveis, os impactos ambientais durante e após a produção operacional costumam ser bastante negativos. 

Devido ao lançamento de gases tóxicos na atmosfera, por meio do uso de petróleo, gás e carvão, o setor industrial contribui com o efeito estufa artificial, causando um impacto direto no aquecimento da temperatura global. 

Os principais impactos da indústria no meio ambiente também envolvem contaminação da água, dos solos e do ar, desmatamento florestal, alterações da fauna e flora e desequilíbrio da cadeia alimentar. 

Para minimizar esses efeitos tão prejudiciais para todo o mundo, é necessário praticar o desenvolvimento sustentável, aplicando as seguintes práticas na rotina: 

  • Reciclagem e reutilização de materiais e produtos; 
  • Investimento em inovação para desenvolver produtos e serviços sustentáveis; 
  • Uso de fontes renováveis de energia; 
  • Redução das emissões de gases de efeito estufa. 

ACESSE GRÁTIS | Veja mais sobre práticas que podem auxiliar sua gestão industrial

Impactos ambientais de logística e transporte 

Geralmente, o impacto ambiental desse setor se refere principalmente aos efeitos negativos que os veículos geram. Os carros e caminhões produzem não apenas poluição sonora, devido aos ruídos que afetam a saúde auditiva das pessoas, mas também gases poluentes que afetam a natureza. 

Os efeitos ambientais do transporte são de alto nível, pois os veículos consomem bastante energia e queimam a maior porcentagem do petróleo do mundo, gerando poluição do ar, o que contribui efetivamente para o aquecimento global. 

Além disso, as atividades logísticas também provocam diversos danos por causa da emissão de gases poluentes, do alto consumo de energia e de recursos naturais no dia a dia, e também do desperdício de materiais. 

Para transformar essa situação e minimizar os efeitos negativos, é necessário implementar um conjunto de ações e políticas sustentáveis, adotando algumas práticas, entre elas: 

  • Mensurar a quantidade de carbono liberada nas operações logísticas; 
  • Reduzir a poluição sonora, além de pensar em meios de diminuir a poluição do ar e do solo; 
  • Oferecer treinamentos constantes para promover o uso consciente dos recursos; 
  • Usar energias renováveis; 
  • Otimização de rotas inteligentes e redução de circulação de transportes; 
  • Investir em automação de processos. 

Impactos ambientais da agricultura

A agricultura em grande escala é essencial nos dias de hoje para a subsistência. Para isso, então, há necessidade de plantio em enormes áreas rurais que antes, provavelmente, eram florestas. A exemplo do Brasil, que era praticamente coberto pela Mata Atlântica, Cerrado e Floresta Amazônica.

Ainda assim, manter essas plantações exige outra ação humana nociva: o uso de agrotóxicos e inseticidas para conter a flora e a fauna preexistentes no local.

Esses produtos alteram todo o equilíbrio do ecossistema, além de escoarem para os rios e lençóis freáticos, contaminando a água que poderia ser consumida por seres humanos e animais.

Outras ações que causam impactos pela agricultura são:

  • Uso de quantidade excessiva de água para irrigação;
  • Descarte indevido de resíduos no solo;
  • Descarte inadequado de embalagens de agrotóxicos;
  • Uso de agrotóxicos perigosos e proibidos pelo Ministério da Agricultura.

LEIA MAIS | Como diminuir os impactos ambientais da agricultura?

Impactos ambientais dos supermercados

Os supermercados também causam impactos, uma vez que é responsável pela distribuição dos produtos e pelo incentivo ao consumo.

Há poucos anos, muito se foi discutido sobre o uso das sacolas plásticas, que acabam, muitas vezes, indo parar em rios e no mar. Inclusive, a pressão da sociedade fez com que muitas pessoas adotassem o uso das sacolas reaproveitáveis, de tecido, para transportar seus produtos.

Em seguida, grandes redes supermercadistas, junto com indústrias que fabricavam sacolas, conseguiram encontrar uma solução com a fabricação de plásticos biodegradáveis – a partir de matérias-primas alternativas e orgânicas, que se deterioram em pouco tempo na natureza.

Outras ações que causam impactos e são registradas nos mercados de diversos portes são os desperdícios de água e energia.

Impactos ambientais da indústria automobilística

A indústria automobilística, por fazer parte do segmento industrial em si, também é responsável pelos impactos já citados no item 1 deste artigo. Incluindo o uso excessivo de água e energia, falta de tratamento de efluentes, resíduos tóxicos e substâncias químicas.

Mas, como é um segmento da indústria de bens de consumo, os seus produtos (veículos) também precisam ser analisados quanto aos seus impactos ambientais.

Para começar, os automóveis e caminhões são considerados uns dos bens mais poluidores, já que se movimentam através da queima de combustíveis fósseis, que liberam dióxido de carbono na atmosfera.

Mas, não é só o uso dos veículos que causa a poluição do ar. Outros impactos são registrados em todo o ciclo de vida do produto. Na sua fabricação, muitos componentes vêm da indústria metalúrgica, tendo a mineração como matéria-prima.

Enquanto isso, no final do ciclo, muitas vezes os veículos acabam em grandes depósitos a céu aberto. Estes se tornam habitat propício para animais transmissores de doenças, que ameaçam a população do entorno.

Como medir o impacto de uma empresa no meio ambiente? 

De acordo com a ONG WWF, a pegada ecológica mundial é de 2,7 gha/pessoa, enquanto a biocapacidade disponível é de somente 1,8 gha/pessoa. Ou seja, a população precisa de 1,5 planetas Terra para manter seu padrão de consumo, o que é bem preocupante para o cenário atual. 

Mas como mensurar quais são os impactos ambientais da sua empresa no meio ambiente? No meio organizacional, é comum contar com várias ferramentas para medir resultados, despesas e retornos de investimento, mas ainda não é tão comum analisar o impacto ambiental.  

Uma das formas de medir os danos causados à natureza é verificar algumas métricas importantes, como o consumo mensal ou anual de energia, gás, papel e transportes. Acompanhar indicadores de emissões de gases de efeito estufa, uso de recursos naturais e gestão de resíduos também é essencial.  

BAIXE GRÁTIS | Kit Estratégico de ESG

Como definir e avaliar indicadores ambientais? 

Os indicadores ambientais são estatísticas estabelecidas para representar alguns estados do meio ambiente, dos recursos naturais e das atividades humanas envolvidas.  

Nesse sentido, contar com uma gestão baseada nesses indicadores contribui para uma tomada de decisões que visem controlar os efeitos negativos dos impactos ambientais, otimizando os recursos e implementando ações sustentáveis na organização. 

Os indicadores ambientais podem estar associados a métricas de desempenho ligadas ao desenvolvimento do negócio, como: 

  • Sistema de Gestão Ambiental (ISO 14000); 
  • Sistema de Gestão de Qualidade (ISO 9001); 
  • Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (ISO 45001). 

Para realizar todos os registros necessários, verificando não conformidades e implementando medidas sustentáveis nos processos da sua empresa, contar com o Checklist Fácil pode tornar tudo isso mais prático e padronizado. 

Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) 

Com indicadores ambientais estabelecidos, torna-se viável controlar análises e relatórios. E se você ainda não sabe a importância de contar com um relatório para saber como sua empresa está afetando o meio ambiente, é fundamental conhecer o RIMA! 

O RIMA, ou Relatório de Impacto Ambiental, é um documento técnico que deve descrever e avaliar todos os possíveis efeitos significativos que uma atividade ou um projeto pode gerar ao meio ambiente.  

Esse Relatório é parte do procedimento chamado de AIA (Avaliação de Impacto Ambiental), que visa garantir que as decisões de desenvolvimento das empresas levem em conta as implicações ambientais.  

O RIMA e a AIA são exigências que estão presentes na Lei Federal nº 6.938/1981 e na Resolução n° 001/1986 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), com o objetivo de fomentar a conscientização de realizar medidas sustentáveis e reduzir os efeitos adversos sobre o meio ambiente. O RIMA é obrigatório em: 

  • Projetos de construção de grande escala, que podem causar impactos significativos; 
  • Atividades industriais, agropecuárias ou de mineração, envolvendo o uso em excesso de recursos naturais ou a emissão de poluentes; 
  • Mudanças no uso da terra natural de áreas rurais para áreas urbanas, que podem afetar diretamente paisagens, ecossistemas e recursos naturais; 
  • Construção de estradas, ferrovias, portos, entre outras; 
  • Projetos de exploração de petróleo, gás, minerais e outros recursos naturais; 
  • Planos governamentais de grande alcance; 
  • Projetos ou atividades próximos a áreas protegidas, habitats de espécies ameaçadas, entre outras. 

Quais as vantagens de medir o impacto ambiental? 

Ao mensurar o impacto ambiental da sua empresa, é possível fazer uma análise precisa do que tem sido feito para, assim, ter mais consciência dos efeitos gerados e definir formas de evitar que a organização continue afetando o meio ambiente. 

Com as informações e os dados necessários, é possível pensar em planos estratégicos para fazer mudanças simples, na rotina da empresa, com um impacto significativo para o planeta, como: 

  • Cumprir padrões ambientais; 
  • Melhorar o gerenciamento de resíduos; 
  • Trocar o uso da papelada pela digitalização de processos; 
  • Otimizar o uso dos recursos naturais; 
  • Fazer coleta seletiva; 
  • Optar por energias renováveis. 

Isso tudo vai gerar benefícios não apenas para sua empresa e os trabalhadores, mas também para a população, a comunidade próxima à sua empresa e o meio ambiente. 

Como diminuir os impactos ambientais?

Para que haja uma diminuição dos impactos ambientais, o primeiro passo que tem sido tomado pelas instituições e entidades de proteção ao meio ambiente é a conscientização da necessidade de respeitar a natureza e suas particularidades.

ONGs, cientistas e líderes globais estão trabalhando juntos nesta luta, buscando engajar cada vez mais empresas e pessoas para mudar o cenário pensando no futuro.

Muitas empresas, por conscientização própria, cobrança de seus consumidores ou busca por diferenciação estão aderindo a novas práticas de respeito ao meio ambiente e uso de materiais alternativos para também mudarem essa previsão.

Algumas ações que podem ser tomadas agora:

  • Gestão de resíduos por parte das indústrias e prefeituras;
  • Replantio de florestas;
  • Separação e descarte adequado do lixo;
  • Reciclagem;
  • Economia de água e luz;
  • Incentivo ao uso do transporte coletivo;
  • Redução do consumo;
  • Fabricação e adoção de produtos biodegradáveis;
  • Leis e políticas ambientais mais rígidas;
  • Conscientização de crianças e adolescentes nas escolas.

A importância de uma agenda ESG 

A agenda ESG (Environmental, Social and Governance ou Ambiental, Social e Governança) foi desenvolvida com o foco de transformar a gestão de empresas, aprimorando práticas sustentáveis para a sociedade e o planeta como um todo. 

Com ações medidas a partir de indicadores de ESG, qualquer tipo de negócio pode viabilizar transformações significativas rumo ao equilíbrio sustentável das operações.  

Segundo o Índice de Maturidade de Asseguração em ESG da KPMG, por exemplo, 66% dos líderes globais entrevistados afirmam que suas empresas já reportam ou deverão reportar em breve dados relacionados a ESG.  

Além de contribuir com o meio ambiente, investir em ESG ajuda a reduzir custos e desperdícios, assegurar a transparência e aumentar a credibilidade da empresa perante o mercado e seus principais stakeholders.

A tecnologia como aliada da gestão ambiental

Investir em uma solução tecnológica, que centraliza dados, permite a integração de ferramentas e gera uma análise mais ampla do seu negócio, é uma das melhores formas de melhorar a gestão e reduzir os impactos ambientais. 

Com tecnologias que auxiliam o controle de dados e indicadores, e soluções de monitoramento para auditorias e checagens, é possível controlar as ações de prevenção a impactos ambientais.

Ferramentas como checklist online ajudam a gerir o consumo de recursos, planejar ações de controle de resíduos e de redução de desperdícios, tomando decisões mais assertivas – embasadas em relatórios e históricos completos e fidedignos.

Com elas, é possível garantir o cumprimento de processos em prol da sustentabilidade e realizar auditorias de qualidade para certificação. Além de deixar a empresa mais preparada para deixar uma “pegada ecológica”, o que é muito positivo no mercado e no mundo.

O Checklist Fácil é o sistema líder em digitalização e gerenciamento de processos na América Latina. Por meio dele, você pode acessar mais de 150 funcionalidades, acompanhando as informações da sua operação em tempo real de onde estiver. 

Algumas das outras vantagens da solução envolvem uma boa organização de fluxos de trabalho, agendamento de checklists e relatórios completos.

Além de tudo isso, o sistema acaba de vez com a necessidade de checagens manuais. Sendo assim, a sua operação passa a economizar milhares de folhas de papel e impressões que deveriam ser feitas para fins de auditorias ou inspeções.  

Fale com um especialista e comece a transformar a eficiência operacional do seu negócio com o Checklist Fácil. 



Para mais esclarecimentos sobre o tratamento de seus dados pessoais, leia nosso Aviso de Privacidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ideal para o seu negócio!

Categorias

Assine nossa newsletter e acesse, em primeira
mão, conteúdos relevantes para o seu negócio.