Segurança, saúde e meio ambiente (SSMA): o que é e como colocar em prática?

Não é exagero dizer que SSMA, ou HSE, é um dos fatores mais importantes para o futuro das empresas. Mas você já sabe o que é isso? Veja como alcançar indicadores de segurança, saúde e meio ambiente na prática!

Tempo de leitura: 8 minutos
Equipe de ssma

Para que as estratégias de qualquer negócio sejam assertivas, é preciso rever processos internos e alinhá-los às novas (e frenéticas!) transformações do mercado. Nesse sentido, um termo vem ganhando destaque: SSMA. Você sabe o que significa?

Sigla de segurança, saúde e meio ambiente, trata-se de um conceito que traz novas perspectivas e benefícios para as empresas. Afinal, ela impacta diretamente em processos distintos, seja na linha de produção, na qualidade do produto, relacionamento com cliente e até no bem-estar dos colaboradores.

Então, se você quer conhecer melhor o que é e como implementar o SSMA no seu negócio, a fim de aumentar a produtividade e garantir o cumprimento de boas práticas, veio ao lugar certo. Boa leitura! 

Afinal, o que é SSMA?

SSMA é a sigla traduzida de HSE que, em inglês, significa Health, Safety and Environment. Ela abrange as políticas adotadas pelas empresas no que tange a segurança, saúde e meio ambiente, com o objetivo de se adequar às normas e aos padrões exigidos por lei. 

Em organizações maiores, SSMA é um departamento. Assim, os colaboradores da área são responsáveis por organizar aspectos como:

Independentemente do tamanho do seu negócio, segurança, saúde e meio ambiente são frentes fundamentais. E isso fica ainda mais nítido conforme a empresa vai crescendo, bem como a quantidade de colaboradores.

Isso porque a lei passa a exigir outras adequações para garantir que o ambiente está propício para as atividades e que a natureza e a sociedade não estão sendo afetadas.

Principais pontos que as empresas devem trabalhar com foco em SSMA

Como abordamos, a SSMA atua em 3 frentes principais para cumprir seus objetivos dentro de uma organização: segurança, saúde e meio ambiente. Mas como tudo isso funciona na prática? A gente te conta agora!

1. Segurança

É comum ouvirmos a palavra “segurança” e logo a relacionarmos com prevenção. E é exatamente isso o que acontece quando a abordamos dentro do conceito de HSE.

Neste ponto, os gestores devem se responsabilizar pela integridade dos colaboradores, implementando medidas que evitem riscos, acidentes e contaminações. Algumas ações que devem ser adotadas são: 

Uso de EPIs

As principais práticas em SSMA envolvem os Equipamentos de Proteção Individual. Vários pontos merecem atenção em relação a isso. A saber:

  • Seleção de itens de acordo com as atividades realizadas;
  • Colocação e retirada dos equipamentos;
  • Uso correto;
  • Armazenamento adequado;
  • Higienização específica;
  • Descarte apropriado.

Prevenção de acidentes

Outro aspecto de destaque é a prevenção de acidentes. Assim, alguns dos processos importantes que ajudam a evitar imprevistos são:

  • Manutenção e conservação de maquinário;
  • Manuseio de equipamentos;
  • Treinamento de equipes;
  • Definição de planos de emergência;
  • Cumprimento das normativas relacionadas ao exercício da profissão. 

Controle de riscos

Você pode até não ter se dado conta, mas a transparência entre processos e auditorias, ou seja, entre os protocolos de segurança e a situação real, é o segredo de um ambiente de baixo risco.

Mas qual a melhor forma de fazer isso?

Vamos imaginar que a verificação da parte elétrica das máquinas é realizada por meio de questionários impressos. Como saber o real estado da fiação apenas pela descrição? Há um alinhamento adequado entre os critérios do auditor e do supervisor?

Para evitar esse tipo de incompatibilidade, é interessante que se tenham imagens para maior detalhamento dos casos. E, preferencialmente, tudo isso seja disposto em um software que gere históricos e possa ser acessado sempre que necessário.

2. Saúde 

Muitos aspectos já abordados na parte de segurança em SSMA também são relevantes para a saúde. Isso porque essas áreas andam juntas quando se trata de integridade e bem-estar dos funcionários.

No entanto, além dos itens já citados, há, ainda, adequações relacionadas à ergonomia e à saúde mental dos colaboradores. Vale destacar que os dois cenários exigem a estrutura e a verificação dos processos relacionados.

Ao pensarmos na ergonomia, é preciso analisar a estação de trabalho de cada integrante da equipe, levando em conta as atividades desenvolvidas. Aliás, fatores como tempo sentado ou em pé, circulação por áreas restritas e movimentos repetitivos, tudo isso influencia na hora de estabelecer os padrões.

Em termos de saúde mental, um local de trabalho agradável é um dos requisitos básicos. Outras condições igualmente relevantes consistem em: cultura de feedbacks constantes, incentivo ao crescimento, apoio à evolução e consideração pela vida pessoal dos profissionais.

3. Meio Ambiente 

As ações em HSE voltadas ao meio ambiente variam de empresa para empresa. Afinal, tudo depende do setor, tamanho do negócio, entre outros fatores. No entanto, há pontos comuns que devem ser considerados em qualquer indústria. São eles:

  • Práticas que reduzem o impacto ambiental em qualquer âmbito;
  • Descarte adequado de lixo;
  • Tratamento de resíduos químicos;
  • Consumo consciente de água;
  • Digitalização de processos e eliminação de desperdícios.

Todos esses cuidados devem seguir diretrizes claras e coerentes ao posicionamento da empresa, principalmente em termos de sustentabilidade. Além disso, o cumprimento rígido das leis ambientais é essencial para evitar penalizações, bem como contribuir com a preservação do local.

Por que focar em HSE? 

SSMA é um importante recurso para mitigar riscos e gerar valor para as corporações a longo prazo. Não apenas tornando o ambiente de trabalho em si mais saudável, como fortalecendo a empresa frente à concorrência, ao atrair olhares de investidores, fornecedores e clientes.

Afinal, segurança, saúde e meio ambiente são pilares para uma demonstração prática dos valores de uma empresa que está preocupada com seres humanos e com o planeta em que vivemos.

O resultado desse investimento é o aumento efetivo da produtividade e a sintonia com as questões ambientais e de segurança que preocupam todo o mundo atualmente, gerando uma imagem positiva e engajada para o seu negócio.

Outrossim, o HSE está muito ligado a outro termo muito em voga no momento: ESG. Trata-se de um conjunto de estratégias que visam uma melhor governança e maior comunicação entre os acionistas e partes interessadas. Além do RH, jurídico, relações internacionais e compliance, a SSMA é mais uma área importante para a concretização desse projeto.

Passo a passo para implantar um SSMA eficiente

Agora que você já sabe que SSMA tem tudo a ver com uma empresa que sai na frente, você não quer ficar preso em uma gestão obsoleta que a desconsidera, não é mesmo? É por isso que trouxemos os 4 passos essenciais para a implementação desse conceito ser bem-sucedida. 

1- Trabalhe com métricas

Definir e acompanhar indicadores de performance são tarefas de ordem quando o assunto é SSMA, e não por menos ficam em primeiro lugar nessa lista.

Afinal, são muitos os indicadores que têm relação com o tema, e eles são a única forma de saber se a empresa está sendo assertiva nessa missão, de acordo com o que foi planejado.

Nesse sentido, os principais indicadores para SSMA são:

  • Número de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais: É importante monitorar os casos por período para dimensionar o problema e encontrar sua origem, com a finalidade de solucioná-lo permanentemente.;
  • Tipos de acidentes e doenças: Não tem como solucionar um problema ou tratar uma doença sem identificá-la. Portanto, a tipificação é extremamente importante para definir quais são as situações de risco;
  • Frequência de acidentes e doenças: Embora muitos acidentes sejam pontuais, é preciso perceber quando há alguma recorrência, a fim de aplicar medidas de correção ou de prevenção;
  • Gravidade de acidentes e doenças: Mais uma ação importante, perceber o grau de risco e a gravidade dos acidentes ajuda a definir o status de urgência;
  • Quantidade e tipo de material descartado: Uma forma eficiente de atender a normas ambientais é traçar uma rotina de descarte na empresa, mensurando tipo de material, quantidade e frequência de despejos;
  • Quantidade e tipo de resíduo: Isso é importante para definir um plano de redução e tratamento coerente, pois alguns recursos podem ser reutilizados ou reciclados.

2- Faça treinamentos

Lembra quando falamos em melhorar o ambiente de trabalho como um todo? Isso só é possível se todas as equipes estiverem integradas, com processos bem alinhados e padronizados.

Muito dessa ação depende da capacitação de pessoal interno. Afinal, isso ajuda na construção de uma cultura pró-ativa nas áreas de segurança e meio ambiente. 

3- Supervisione rotinas

Ainda que os indicadores sejam analisados, também é importante se debruçar sobre os detalhes da operação, isto é, processos rotineiros na realização do trabalho. Isso pode ser feito através de auditorias e inspeções, por exemplo. 

4- Tenha a tecnologia como aliada

Uma forma efetiva de controlar SSMA dentro da empresa é por meio de checklists eletrônicos.

Assim, ao estruturar listas de verificação para os processos, você tem dois ganhos imediatos: define os procedimentos e evita o esquecimento de etapas. Afinal, pular um passo pode trazer consequências para a operação como um todo.

Quando o assunto é segurança, para garantir que todo o processo de utilização dos equipamentos está de acordo, é possível criar um único checklist que aborde todas as áreas ou fazer questionários específicos para cara verificação. O importante é escolher o formato que seja mais funcional para o seu negócio.

Quanto aos acidentes, sabemos que as normas regulamentadoras, as notas técnicas, os protocolos da ANVISA e a legislação como um todo, apresenta critérios específicos em relação a cada um dos itens.

Por isso, quando você já possui todo o seu processo digitalizado e estruturado, é muito mais fácil alterar pontualmente o que for necessário para se adequar. Isso garante que a sua empresa permaneça regularizada e que o estabelecimento está cada vez mais seguro para os colaboradores.

Do mesmo modo, à medida em que se tem mais informações, com maior riqueza de detalhes sobre a situação real do equipamento, o controle de riscos é feito de forma mais precisa e eficaz.  

Por fim, para controlar boas práticas em relação ao meio ambiente, basta fazer checagens periodicamente. Isso porque esses processos também vão envolver questões de saúde e segurança. Portanto, ao cumprir adequadamente os itens, o padrão de qualidade é elevado, a segurança é reforçada e o meio ambiente é protegido. 

Como o Checklist Fácil simplifica a gestão de SSMA?

É inegável o valor que a tecnologia agrega aos processos que exigem organização e monitoramento, principalmente quando se fala em checklists digitais. Mas é difícil pensar como eles funcionam na prática, não é mesmo?

Em suma, o Checklist Fácil permite a criação de checklists personalizados que atendem às diversas necessidades e etapas da sua operação. Ele se baseia no conceito de automação, isto é, em que o próprio sistema permite a verificação e execução de itens sem interferência humana, uma vez que tudo está parametrizado.

É uma poderosa ferramenta para a agilidade e economia de custos, uma vez que elimina retrabalhos e gargalos. Isso favorece a integração entre áreas, padronização de ações e a centralização de dados, que podem ser monitorados em tempo real e analisados em painéis inteligentes de gestão – tão importantes para tomadas de decisão nos dias atuais.

Todos esses procedimentos são importantes para garantir a qualidade do trabalho executado, bem como dos relatórios gerados. Formulários para o corpo técnico utilizar também ajudam quando o assunto é auditoria, ou mesmo inspeção.

Com a Checklist Fácil, você monta o seu checklist de acordo com a sua necessidade, visando a fluidez da operação, por meio de funcionalidades como: 

Categorização de produtos

Útil para separar os EPIs por diferentes categorias, a fim de ter um melhor controle do inventário da empresa e saber, precisamente, quantos e em quais condições os inúmeros equipamentos de proteção individual estão.

Checklist por imagem

As auditorias realizadas por meio de imagem são muito mais simples e rápidas. Assim, no Checklist Fácil, é possível inserir as perguntas que precisam ser respondidas dentro de uma determinada imagem, seja ela do ambiente, maquinário ou equipamento a ser auditado. 

Agendamento de vistorias

Processos que se repetem de tempos em tempos correm o risco de cair no esquecimento em meio a tantos fatores para controlar. Para não se perder nas datas, os agendamentos de vistorias são a melhor opção.

Afinal, é possível criar agendamentos com repetição ou até iniciar um novo antes de sua data inicial, tudo de forma automática. Eles ainda favorecem a criação de um histórico dos atendimentos cadastrados. 

Planos de ação

Identificar objetivos, definir caminhos, prever obstáculos, estabelecer metas mensuráveis e delimitar prazos são tarefas que fazem parte de um plano de ação bem estruturado. Tudo isso fica ainda mais fácil de executar no Checklist Fácil, garantindo fluidez à operação.

Além disso, o controle também é simplificado por meio de relatórios acerca da operação, como veremos a seguir. 

Relatórios de gestão

O Checklist Fácil viabiliza indicadores de desempenho por unidade, departamento e região, com análise das reincidências das não conformidades, níveis dos planos de ação e indicadores da execução dos checklists agendados. 

Pesquisa de satisfação

Com o sistema, o acesso à informação sobre todos os departamentos que existem na empresa é facilitado. Assim, os dados ficam centralizados, sempre disponíveis e atualizados, incluindo a visão completa das opiniões dos clientes.

Outrossim, pensando na questão da saúde e segurança, você pode promover pesquisas internas, a fim de avaliar o grau de satisfação dos profissionais. E, com isso, promover melhorias no ambiente como um todo. 

Principais benefícios de investir em SSMA

Quando a organização não investe em SSMA, deixando de seguir normas e ações recomendadas, os ricos aumentam significativamente. Primeiramente, a empresa deixa de garantir a segurança de seu time, e ninguém vai querer trabalhar em um local onde não se sente seguro.

Do mesmo modo, clientes e fornecedores também passam a olhar para a marca com desconfiança, e isso tem impacto direto nas vendas. O mesmo vale quando há descaso com o meio ambiente.

Além disso, muitas das diretrizes de HSE são baseadas em leis e normas obrigatórias, cujas multas pelo descumprimento podem pesar no bolso. Sem contar as consequências judiciais severas.

Para fortalecer seu time e melhorar a visão que as pessoas têm da sua marca, portanto, é importante manter processos atrelados ao SSMA em dia. Vale ressaltar que ter um conjunto de regras bem definidas acerca deste assunto também ajuda na padronização de serviços de uma franquia.

Agora, que tal otimizar suas estratégias de SSMA na empresa com o Checklist Fácil? Diversas empresas já fazem isso – falta só a sua. Então, agende uma demonstração agora mesmo e conheça todas as nossas funcionalidades.

Produtora de Conteúdo em Checklist Fácil
Jornalista e especialista em Comunicação Empresarial, sou apaixonada por marketing, escrever, criar e inovar. Além disso, amo correr, ler, ver filme e curtir uma praia.
Estefânia Martins

Posts Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *